Juvenis da ADN vão disputar a final da taça da AFC frente ao Mocidade

A equipa de juvenis da Associação Desportiva Nogueirense (ADN) venceu, na passada terça-feira, dia 25 de fevereiro, a equipa da Académica, por 2-1, no Estádio de Santo António, em Nogueira do Cravo.

A equipa nogueirense está, por isso, apurada para o jogo da final da Taça da Associação de Futebol de Coimbra (AFC), frente ao Vigor Mocidade, a realizar-se a 10 de abril.

O percurso da equipa de juvenis enche de orgulho e satisfação a direção da ADN. Em entrevista à Rádio Boa Nova, Nuno Freixinho presidente da direção do clube mostra-se satisfeito pelo caminho trilhado e dá os parabéns ao plantel e equipa técnica, agradecendo ainda aos patrocinadores , assim como ao município de Oliveira do Hospital e à junta de freguesia de Nogueira do Cravo.

À Rádio Boa Nova, o responsável adiantou que há três anos aconteceu o mesmo feito e deseja que o escalão que reúne jovens dos 15 aos 17 anos “consigam fazer uma proeza” que ainda não é o patamar desejado. “Nós queremos ganhar a taça como é óbvio, mas não podemos deixar de ficar satisfeitos com a caminhada que eles fizeram”, defendeu.

O presidente fez ainda questão de referir que, “neste escalão e nos outros”, a ADN é “a única equipa das redondezas que tem todas as equipas no primeiro escalão da distrital”. Para Nuno Freixinho, “a formação tem sido uma grande aposta nos últimos anos”.

Sobre a equipa sénior que milita na Divisão de Honra da Associação de Futebol de Coimbra, Nuno Freixinho referiu que o momento é de “transição” e de “olhos postos no futuro”, em que a “formação deve ser o principal manancial da equipa sénior”. “Atualmente há 10 jogadores da formação na equipa sénior”, referiu o dirigente, considerando que “não vale a a pena dar passos maiores que as pernas, para deixar de ter uma equipa honrada, para passar a ter uma equipa cheia de dificuldades”.

“Temos tido dificuldades. Mas temos tido pessoas capazes de enfrentar”, referiu. À Rádio Boa Nova, Nuno Freixinho admitiu que a direção gostaria que o clube estivesse “mais acima” na tabela classificativa, mas também observa que os meios de que dispõem “são limitados”.

Oiça a entrevista na íntegra »»»




Acompanhe os trabalhos da Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital

Esta sexta-feira, dia 28 de fevereiro, realiza-se a sessão ordinária da Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital. Os trabalhos tiveram início às 14h30, no Salão Nobre da autarquia. A reunião de trabalho conta com seis prontos na Ordem do Dia.

Rádio Boa Nova em reportagem:

– Por proposta da Mesa da Assembleia, presidida por Dulce Pássaro, foi aprovado um voto de pesar pelo falecimento de João Ataíde das Neves.

– Decorre o período antes da Ordem do Dia, com os deputados a colocar algumas questões ao presidente do executivo:

– Olga Bandeira, presidente da Junta de Freguesia de Lagares (PS) , questionou sobre a instalação de saneamento básico numa parte da freguesia.

-Patrícia Lopes, deputada do PS, questionou sobre as medidas já tomadas para fazer face ao Coronavirus.

-João Esteves (PSD) questionou sobre a falta de médico na extensão de saúde de Ervedal da Beira, mas também sobre as obras paradas da Casa da Cultura e Ruas Virgílio Ferreira e Alexandre Herculano.

-Luís Nina, presidente da JF de Nogueira do Cravo (PS) questionou sobre a instalação de saneamento básico em alguns locais.

-José Ferreira (PS) questionou sobre o apoio da Câmara à recuperação das segundas habitações e ponto de situação sobre conta solidária.

-Carlos Maia, presidente da União de Freguesias de Ervedal e Vila Franca da Beira (PS) informou das diligências para resolver a falta de médico na extensão de saúde, mas sem resultado. “Não se admirem que as pessoas se revoltem e se indignem”, afirmou.

-Rafael Costa (PSD ) questionou sobre o apagão em Oliveira do Hospital e a falta de gerador no Centro de Saúde, o IC6, escolha de artistas para a EXPOH, o aluguer de tendas para eventos, concurso público para requalificação da sede do Agrupamento de Escolas. Sugeriu um letreiro turístico gigante com letras do município “que pode funcionar como atrativo turístico”.

-Rui Monteiro (PS) a propósito do IC6 questionou o que foi feito por um governo PSD.

-Agostinho Marques, presidente da JF de Alvoco de Várzeas (PS) agradeceu o empenho do município na requalificação da EN230. Apelou ao auxílio do executivo junto da Altice para a instalação de fibra óptica na freguesia.

Na resposta aos deputados, o presidente do Município de Oliveira do Hospital, José Carlos Alexandrino começou por agradecer o voto de pesar pelo falecimento de João Ataíde das Neves.

– Informou estarem em curso várias candidaturas ao nível de saneamento básico e disse estar empenhado na instalação da fibra óptica nos locais em falta no concelho.

-O autarca anunciou que o concurso para a requalificação da escola secundária foi ganho pela empresa Santovaiense.

-Informou que na próxima segunda-feira vai reunir com a ministra da Saúde para resolver o problema da falta de urgências no período diurno. Também se mostrou preocupado com a falta de médico em Ervedal da Beira. Mostrou-se disponível para convocar uma luta pela saúde. “Serei o da frente no combate e direi isso à senhora Ministra na segunda feira”.

-O autarca mostrou-se descontente com as questões em torno da falta de gerador no Centro de saúde, verificando que o Centro de Saúde não é da competência da Câmara Municipal.

-O presidente informou que vai reunir com os responsáveis pela saúde no concelho para definir um Plano de Ação para fazer face ao Coronavirus. “Não vou ficar à espera que chegue. Se não chegar ótimo. Acreditamos que é uma questão de tempo”, afirmou José Carlos Alexandrino.

-Sobre o IC6, o autarca disse saber que estão a ser dados passos. “Não é que isso me conforme. O que queremos é que seja feito, porque é uma questão de justiça”. –

-José Carlos Alexandrino abordou ainda o conjunto de obras em curso no concelho e que rondam 18 milhões de Euros. “Nunca na história de Oliveira do Hospital houve tanto investimento”.

Às 17h00 iniciou o período da Ordem do Dia composta por seis pontos. Destaque para o ponto 4 relativo à proposta de contratação de um empréstimo de médio e longo prazo até 3 milhões de euros para a concretização de diversos investimentos de interesse municipal.

[Em atualização]




6ª Corrida do Alva vai contar com mais de 500 participantes em Penalva de Alva e Sandomil

É já no próximo domingo, dia 1 de março, que se realiza a 6ª Corrida do Alva entre Penalva de Alva e Sandomil, nos concelhos de Oliveira do Hospital e Seia, …

… num percurso de 10 quilómetros, com prova a contar para o Campeonato Distrital de Estrada.


A iniciativa desportiva é organizada pelo Clube Atlético de Oliveira do Hospital (CAOH) e o Maratona Clube de Vila Chã (Seia) que desde a primeira edição têm intercalado o arranque e chegada da prova entre Sandomil, no concelho de Seia e Penalva de Alva, no concelho de Oliveira do Hospital. Este domingo, a prova tem partida e chegada em Penalva de Alva.

A 6ª Corrida do Alva esteve em destaque, esta manhã, no programa “Outras Conversas” da Rádio Boa Nova, com a presença em estúdio de Albano Dinis, presidente do CAOH. A poucos dias da realização da prova, o responsável disse que as inscrições oficiais para o Campeonato Distrital (da Guarda e Coimbra) já fecharam, mas como a corrida conta com outras vertentes como a corrida aberta, a caminhada e a corrida jovem, as inscrições estão abertas até à hora da prova. Segundo o responsável são esperados cerca de 500 participantes.

A esta altura, Albano Dinis revela que as expectativas são elevadas à semelhança do que tem acontecido em anos anteriores. “E têm-se cumprido felizmente”, referiu Albano Dinis, que esta manhã dirigiu “um grande abraço de amizade e solidariedade ao clube de Vila Chã”. “São nossos amigos há muito tempo, com quem mantemos ótimas relações”, referiu o presidente da direção do CAOH, que do mesmo modo agradeceu “às juntas de freguesia e aos municípios que dão ao seu contributo na divulgação da prova e na organização da prova”. “Sem eles era impossível realizar este tipo de atividades”, observou.

A Corrida do Alva é ainda uma prova recente no calendário desportivo do concelho e da região. Tal decorre do facto de também o CAOH ser ainda uma associação desportiva “jovem”. Albano Dinis referiu que “é um clube que vai dos 8 aos 80. Toda a gente gosta de correr e fazer actividade física. É o desporto que é mais simples”. Explicou que “compete ao clube acolher essas pessoas e tentar organizá-las”. “Queremos ser uma porta aberta para as pessoas e fornecer componente técnica”, disse ainda Albano Dinis, destacando o facto de o CAOH dispor da prática do triatlo, com um grupo de jovens que participa no circuito Norte Jovem. Segundo Albano Dinis, o CAOH conta com mais de 30 atletas federados que participam em competições e outros atletas que não são federados.




Carnaval da Beira Serra animou e atraiu muitos visitantes a Lagares da Beira (com vídeos)

Ontem, em dia de Carnaval, cumpriu-se o tradicional Cortejo Carnavalesco na vila de Lagares da Beira, no concelho de Oliveira do Hospital.

A iniciativa, organizada pela Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Lagares da Beira, resultou num sucesso, atraindo centenas de visitantes do concelho e da região.

Em Lagares da Beira, o Carnaval já é uma tradição longínqua e prova disso foi a grande mobilização das gentes da localidade na 43ª edição do certame,  que encheu de cor e alegria as ruas da vila de Lagares da Beira.

A fanfarra dos Bombeiros Voluntários, cuja formação e atuação é muito apreciada, abriu caminho ao Cortejo Carnavalesco que, este ano, teve como madrinha, uma aluna da Escola Básica Integrada de Lagares da Beira, destacando- se a forte participação do Agrupamento de Escolas de Oliveira do Hospital no cortejo de lagarense, em jeito de parceria. Refira-se que no Cortejo do Agrupamento de Escolas, realizado no dia 21 de fevereiro, o Carnaval da Beira Serra também se fez representar.

Ontem à tarde, foram vários os temas representados pelos vários grupos, bairros e instituições participantes no Cortejo de Carnaval, desde a maior florestal tropical, Jorge Jesus, os Angry Birds, espigas de milhos, veículos elétricos, Piratas, arco-íris, Marega, caretos, selva da bruxaria cuxixo do amor e outros disfarces. Neste ano, a organização voltou a contar com a participação de dois grupos exteriores à freguesia de Lagares da Beira: Vila do Mato (Tábua), e Aldeia Formosa.

Ao longo de todo o percurso, com duas voltas, a animação foi uma constante, com as ruas repletas de visitantes. As entradas foram gratuitas, sendo contudo solicitado um apoio, não obrigatório, para os bombeiros, entidade promotora do Carnaval da Beira Serra.


O Carnaval da Beira Serra contou a participação de cerca de 300 figurantes e 10 carros alegóricos que contagiaram com animação e alegria a todos os visitantes, a que se juntaram os elementos do executivo Municipal de Oliveira do Hospital e da Junta de Freguesa de Lagares da Beira.

O programa do Carnaval da Beira Serra, em Lagares da Beira, reserva para hoje, a partir das 22h00, o Enterro do Entrudo e a Leitura das Tradicionais Deixas. Este constitui outro dos momentos altos do Carnaval na vila de Lagares da Beira.

Veja todas as fotos aqui>>>




Cortejo de Carnaval animou freguesia de Seixo da Beira

Na freguesia de Seixo da Beira cumpriu-se ontem mais um Cortejo de Carnaval organizado pelos jovens da associação PIDS…

… – Planeamento de Intervenção e Dinamização da Freguesia de Seixo da Beira.

A iniciativa, que primou pela diversidade dos temas e originalidade dos trajes, contou com a participação de cerca de 250 figurantes oriundos das sete localidades (grupos e coletividades), que constituem a freguesia de Seixo da Beira e 13 carros alegóricos, que  animaram as ruas da sede de freguesia.

Com o bom tempo a ajudar, o cortejo de Carnaval de Seixo da Beira resultou em mais um sucesso constituindo um motivo de satisfação para a freguesia, para todos os envolvidos e para os promotores do evento.

O executivo municipal de Oliveira do Hospital e Junta de Freguesia de Seixo da Beira também marcaram presença nas ruas de Seixo da Beira para partilhar  da animação que estava criada. Foram também muitos os visitantes que acorreram à freguesia para apreciar o mais jovem carnaval do concelho de Oliveira do Hospital.




Acidente entre veículo ligeiro e autocarro na Reta da Salinha

Um acidente entre um autocarro e um veículo ligeiro provocou, ontem à noite, danos materiais mas sem registo de feridos.

O acidente ocorreu cerca das 20h20 na Reta da Salinha, EN 17, no concelho de Oliveira do Hospital.

O autocarro seguia no sentido Oliveira do Hospital – Vendas de Galizes e o veículo ligeiro, que seguia no sentido contrário, ao cortar para a localidade de Galizes colocou-se em frente do autocarro. O pesado era oriundo e transportava passageiros de Miranda do Corvo.

Segundo apurou a Rádio Boa Nova no local, o condutor do veículo ligeiro acusou álcool no sangue.
A GNR tomou conta da ocorrência. Não foi acionado o apoio dos bombeiros.




AEOH: Cortejo de Carnaval foi “uma mostra de grande imaginação por parte de todos os participantes”

Realizou-se esta manhã o Cortejo de Carnaval do Agrupamento de Escolas de Oliveira do Hospital, que contou com a participação de 1500 figurantes, …

… que inundaram de cor e alegria o centro da cidade.

Sob o tema da “Sustentabilidade” foram vários os trajes apresentados pelas 25 escolas participantes e instituições do concelho. Artur Abreu da direção do Agrupamento de Escolas referiu, esta manhã à Rádio Boa, no arranque do desfile, estar diante de mais “uma mostra de grande imaginação por parte de todos os participantes”.

“Vai ser uma manhã que vai valorizar muito toda a comunidade educativa e o concelho de Oliveira do Hospital”, afirmou, destacando a diversidade dos trajes alusivos à “chuva, vento, eólicas, espantalhos”. Diante de tamanha realização e de uma cidade repleta de gente a aguardar pelo desfile, Artur Abreu confessou que a direção do Agrupamento de Escolas se sente “realizada”. “É o evento que mobiliza mais alunos e quanto mais não fosse por isso é uma marca que nos faz sentir que vale a pena”, partilhou.

A cumprirem o habitual trajeto, os participantes no Carnaval foram saudados pelas centenas de pessoas que acorreram ao centro da cidade, mas também pelo executivo municipal oliveirense.

À Rádio Boa Nova, José Carlos Alexandrino, presidente Câmara, referiu que “estas nossas crianças iluminam as nossas ruas” e que o desfile demonstra a “qualidade de um trabalho da comunidade educativa, desde os encarregados de educação e estruturas das escolas e IPSS”.

“É um dia diferente porque Oliveira do Hospital não tem uma tradição de Carnaval com exceção de Lagares da Beira, que tem um Carnaval já com história. Agora apareceu também o Seixo da Beira e Nogueira, este ano, interrompeu”, comentou ainda o autarca.


A apreciar a beleza do Cortejo de Carnaval, também Graça Silva, vereadora da Educação e Cultura, confessou à Rádio Boa Nova  que “é sem dúvida um grande regalo para a vista”.

“O Agrupamento de Escolas está de parabéns por manter esta tradição, associada ao público escolar”, referiu, verificando estas “são atividades que dão imenso trabalho”.

“Dou os parabéns a todos e agradeço ao público que está a assistir porque já se percebe que, ano após ano, há uma grande diversidade nos temas e na forma como elaboram os trajes. Sem dúvida que a cidade ganha outra cor, como também o público que está presente, gosta e apoia esta atividade”, frisou ainda a vereadora da Educação e Cultura.


A comandar o fecho do Cortejo de Carnaval, junto à EB1 da cidade, o diretor do Agrupamento de Escolas de Oliveira do Hospital, Carlos Carvalheira, fez um balanço positivo da iniciativa. “Está a correr muito bem”, afirmou, verificando que neste ano, o Cortejo contou com mais participantes e o tempo também ajudou à festa. “Está um dia bonito, está uma festa bonita”, comentou.

O diretor do Agrupamento de Escolas disse ainda à Rádio Boa Nova que o tema – a “sustentabilidade” – “é atual, com que todos nos devemos preocupar”. “E a escola enquanto entidade formadora deve ter este papel de alertar todos para o problema da poluição”, observou o responsável.

Esta é uma iniciativa a que o Agrupamento de Escolas pretende dar continuidade em próximos anos, “ porque os nossos alunos merecem todo o nosso empenho”. No final da presente edição, Carlos Carvalheira deixou “uma palavra de parabéns e agradecimento aos pais, professores e funcionários porque sem eles e sem o entusiasmo deles nada disto teria acontecido”. “Todos somos poucos para construir um mundo melhor”, concluiu.

Veja mais fotos aqui>>>




Faleceu João Ataíde, deputado do PS e ex-presidente da Figueira da Foz e CIM Região Coimbra

Aos 61 anos de idade, faleceu esta madrugada João Ataíde, ex-autarca da Câmara Municipal da Figueira da Foz, anterior presidente da CIM Região de Coimbra e ex-secretário de Estado Ambiente na última legislatura de António Costa. Atualmente era deputado à Assembleia da República. A notícia é avançada pela comunicação social da região.

O último ato público parlamentar foi, esta quinta-feira, no Parlamento, no voto da eutanásia.

Em comunicado enviado à Rádio Boa Nova, a CIM Região de Coimbra manifesta o seu voto de pesar pelo falecimento de João Ataíde. “É com profunda tristeza que a CIM Região de Coimbra assinala a sua morte, salientando a dimensão humana e profissional que sempre definiram o Dr. João Ataíde das Neves, transmitindo o mais sentido pesar à família e amigos.José Carlos Alexandrino, atual presidente da CIM Região de Coimbra, destaca “o enorme contributo que o Dr. João Ataíde das Neves deu a esta Região enquanto responsável da CIM Região de Coimbra e enquanto presidente do Município da Figueira da Foz. Todos sentiremos profundamente a sua ausência”, lê-se no comunicado.

Natural da Figueira da Foz, onde nasceu em 1958, João Ataíde das Neves era licenciando em Direito pela Universidade de Coimbra, pós-graduado em Direito do Sector Empresarial do Estado pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, e participou no Programa de Capacitação Avançada de Líderes, orientado pela Nova School of Business and Economics.

Juiz Desembargador do Tribunal da Relação de Coimbra, em licença sem vencimento desde que, em 2009, se candidatou (e foi eleito)  à presidência da Câmara Municipal da Figueira da Foz, como independente, pelas listas do PS. João Ataíde também desempenhou o cargo de presidente da Comunidade Intermunicipal (CIM) Região de Coimbra, agora ocupado por José Carlos Alexandrino, presidente do Município de Oliveira do Hospital.

Depois de ter sido representante do Ministério Público da Comarca de Idanha-a-Nova (distrito de Castelo Branco) e juiz auxiliar de Porto de Mós (Leiria), João Ataíde exerceu funções na Comarca de Celorico da Beira (Guarda) e no Tribunal Judicial de Aveiro.

Entre 1991 e 2002 exerceu as funções de juiz para o Círculo Judicial da Figueira da Foz, assumindo, depois, o cargo de Director Nacional Adjunto da Polícia Judiciária de Coimbra, sendo em 2004 nomeado Director Nacional Adjunto da mesma polícia no Porto.

Regressou, no ano seguinte à Figueira da Foz, onde foi nomeado juiz auxiliar para o Tribunal da Relação de Coimbra e, em 2007, juiz desembargador do Tribunal da Relação do Porto e, em 2008, no Tribunal da Relação de Coimbra, onde se manteve até concorrer à presidência da Câmara da Figueira da Foz.

Fonte: Figueira na Hora




Cortejo de Carnaval do AEOH realiza-se amanhã sob o tema da “sustentabilidade” (com vídeo)

É já manhã, dia 21, a partir das 10h30, que se realiza o cortejo de Carnaval do Agrupamento de Escolas de Oliveira do Hospital (AEOH)…

… que envolve 25 escolas do concelho e instituições e vai contar com a participação de 1500 figurantes.

Artur Abreu, da direção do AEOH convidado desta manhã do programa “Outras Conversas” da Rádio Boa Nova destacou o facto de a iniciativa envolver “toda a comunidade escolar”.

Aqui a comunidade são os alunos e os professores, mas também os pais. Sem os pais não era possível fazer. Portanto eu quase que diria que nestes 1500 figurantes, há quase outros 1500 pais e amigos que se envolvem. Os pais por um lado, penso que valorizam e reconhecem a mais valia pedagógica e didática do desfile e depois há o brio individual e coletivo por turma e de cada um de querer brilhar. É uma atividade que de facto mexe com toda a cidade e com o concelho. As ruas enchem-se e as pessoas vão-se deslocando conforme o desfile vai circulando. E o tempo, este ano, vai ajudar”.

A mobilizar as escolas de todo o concelho desde 2015, o Carnaval do AEOH surge, em cada ano, associado a um tema. Neste ano, o desafio lançado foi em torno da sustentabilidade. Este é um tema que, segundo Artur Abreu está na “ordem do dia”. “É um tema em que nós, como escola, não nos podemos demitir de ir lembrando os nossos alunos da questão da sustentabilidade do nosso planeta. Pode parecer um tema mais árido, em comparação com anos anteriores, mas todos os anos os grupos nos têm surpreendido da forma como conseguem pegar num tema e criar trajes belíssimos. Estamos convencidos de que este ano também será assim. A sustentabilidade, parecendo um tema mais difícil, tem muitos pontos de enfoque por onde pegar”, referiu o responsável.

 Notícia relacionada

Veja o vídeo para saber mais pormenores do cortejo de Carnaval do Agrupamento de Escolas de Oliveira do Hospital.




Tábua de Queijos e Sabores da Beira: “Queremos atingir os 30 mil visitantes”

É já nos próximos dias 6, 7 e 8 de março que realiza a 31ª edição do “Tábua de Queijos e Sabores da Beira”, no Pavilhão Multiusos de Tábua.

O objetivo da autarquia é “atingir e, se possível, superar os 30 mil visitantes” ao certame que promove os produtos locais como o queijo da Serra, os enchidos, o pão, o mel e o vinho do Dão.

Mário Loureiro, presidente do Município de Tábua, na conferência de imprensa de apresentação do evento, adiantou que o desejo da autarquia é superar o número de visitantes registado nas últimas edições.

O autarca começou por detalhar o programa da festa que se inicia na sexta-feira, dia 6 de março, com a “inauguração de um monumento de homenagem ao pastor”, em São Geraldo, na União de Freguesias de Covas e Vila Nova de Oliveirinha.

No dia 7, sábado, o responsável destacou o showcooking com o chef Luís Lavrador, “no âmbito da CIM Região de Coimbra, Região Europeia da Gastronomia 2021”.

A prova de vinhos também constitui um dos momentos altos do segundo dia. “O nosso vinho, aliado ao queijo, ao pão e aos enchidos trazem muita gente a Tábua”, defendeu.

Já no último dia do certame, destaque para a “eleição da Rainha das Vindimas”, integrada numa “iniciativa que decorrerá a nível nacional, promovida pela Associação de Municípios Portugueses do Vinho”.

Com as expetativas elevadas, Mário Loureiro referiu que “espera fazer este evento com um investimento inferior a 30 mil Euros, ou seja, menos de um euro por visitante”.

Por sua vez, Ricardo Cruz, vice-presidente da autarquia de Tábua, explicou pormenorizadamente como está organizado o evento no Multiusos. Segundo o responsável, o piso zero do pavilhão é dedicado às “artes e aos ofícios”, com a apresentação e venda de produtos endógenos da região e do concelho.

Para degustar de produtos ou de refeições estarão presentes “tasquinhas, numa colaboração com as Juntas de Freguesia e Associações Locais”. Também o pão estará nas montras numa área reservada à “promoção de padarias e pastelarias”. Ainda no mesmo piso encontra-se o palco onde decorrerão espetáculos ao longo dos dias da feira.

Como é habitual, a área exterior do pavilhão é também palco de inúmeras iniciativas. As “galerias” vão presentear os visitantes com produtos hortícolas e frutos secos.

O Grupo Gea volta a marcar presença no “Tábua de Queijos”, “numa valorização do mundo animal, com mostra de animais como ovelhas, cão da Serra e momentos de tosquia”. Na conhecida área do “Picadeiro” vão-se realizar as habituais “voltas a cavalo”.

O primeiro piso é dedicado a bebidas. Para além de uma zona de café e bar, encontram-se stands para provas de vinhos e licores.

De acordo com os autarcas, o certame contou com cerca de 40 inscrições de expositores, o que leva à autarquia a “começar a pensar em alargar o espaço”.




Lagares da Beira: Carnaval da Beira Serra “será muito bom e com muita alegria”

Nos dias 24, 25 e 26 de fevereiro cumpre-se a 43ª edição do Carnaval da Beira Serra, em Lagares da Beira, …

… no concelho de Oliveira do Hospital. O cortejo carnavalesco acontece na tarde de terça-feira, dia 25, e a organização assegura que “será muito bom e com muita alegria”.

Certo de que o tempo vai estar bom neste Carnaval, o presidente da direção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Lagares da Beira só pode prever que a 43ª edição do Carnaval da Beira Serra resulte num sucesso.

Convidado desta manhã do programa “Outras Conversas” da Rádio Boa Nova, Telmo Esteves, disse que o cortejo carnavalesco, que acontecerá na tarde de 25 de fevereiro, a partir das 14h30, será “muito bom e com muita alegria”.”

Desde que haja sol, há sempre a possibilidade de fazer um corso com muita alegria”, referiu o responsável a propósito de um trabalho que tem vindo a ser realizado desde há dois meses por grupos de pessoas e instituições. “É bom que as pessoas venham, para que Lagares da Beira também possa mostrar que tem capacidade para grandes eventos”.

Segundo o responsável, o Carnaval da Beira Serra “é o maior evento que Lagares faz e é dos maiores eventos que o concelho tem”, sendo uma demonstração da “força do voluntariado e do papel associativo”. Telmo Esteves destacou a tradição que o Carnaval tem em Lagares da Beira e que não se esgota nos últimos 43 anos em que o carnaval se tem realizado ininterruptamente. “A antiguidade deste Carnaval é ainda mais longínqua”, referiu o dirigente.

O programa do Carnaval da Beira Serra inicia no dia 24, pelas 22h, com o Baile do Chapéu. Porém, como referiu Telmo Esteves, o “dia forte é o dia 25” com o desfile com os carros alegóricos, com a entrada da fanfarra que irá buscar a rainha ao Agrupamento de Escolas, que depois fará o percurso para recolher todos os bairros participantes. “O percurso já e conhecido e é tradicional, todas as pessoas conhecem”, referiu. Telmo Esteves adiantou que “há trabalhos muito engraçados que partem da imaginação das pessoas envolvidas nos bairros ou instituições” e que contam com o acompanhamento do professor Brites, com experiência na elaboração de carros alegóricos.

Esta manhã, o responsável destacou os grupos participantes no Carnaval da Beira Serra: a Escola Básica Integrada de Lagares da Beira(com a rainha) e  alunos de Oliveira do Hospital,  o Bairro da Avenida, a Obra Eugénia Garcia Monteiro de Brito, a Associação Cultural e Recreativa de Lagares da Beira através do Rancho, a Associação de Jovens, o Pedro da Quinta da Pica com as Produções Carnavalescas, o Grupo da Vila do Mato, o Grupo de Aldeia Formosa e ainda um grupo de jovens que fará a construção de um carro bar. No conjunto participarão nove grupos, com cerca de 400 figurantes, com uma dezena de carros alegóricos que prometem animar as ruas da vila de Lagares da Beira.

Às portas da 43ª edição do Carnaval da Beira Serra, Telmo Esteves defendeu que o Carnaval deve ser feito com alguma sustentabilidade, pelo que a subida a um patamar superior só deverá acontecer quando houver condições. Atualmente o orçamento ronda os 12.500 Euros, à semelhança de anos anteriores, sendo “fundamentais” os apoios do Município de Oliveira do Hospital, da Junta de Freguesia de Lagares da Beira e de empresas patrocinadoras. Telmo Esteves entende, contudo, que o Carnaval de Lagares “precisa de ser reinventado no sentido de crescer”, defendendo a constituição de uma comissão organizadora externa aos bombeiros (como existiu no passado, como referiu o dirigente). “Precisávamos de uma maior envolvência de pessoas na organização”, afirmou Telmo Esteves, assegurando que o apoio dos bombeiros “será inequívoco”.

Falar de Carnaval da Beira Serra é falar também do Enterro do Entrudo e Leitura das Tradicionais Deixas, momentos que acontecem na noite de quarta-feira, dia 26, a partir das 22h00, pelas ruas da vila de Lagares da Beira.

O encerramento do Carnaval só acontece, porém, no próximo domingo, dia 1 de março com um almoço, porco no espeto, nas instalações da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Lagares da Beira, com todas as pessoas  envolvidas na preparação e realização do Carnaval.

Esta manhã, no programa, “Outras Conversas”, Telmo Esteves lamentou o falecimento do bombeiro do Quadro de Honra e Crachá de Ouro, Agostinhos Campos Marques, que se encontra em câmara ardente no quartel de bombeiros de Lagares da Beira . O funeral realiza-se amanhã, dia 20, pelas 16h00.




Coimbra: GNR registou 589 infrações e 85 acidentes na última semana

Na semana de 11 a 17 de fevereiro, o Comando Territorial de Coimbra da GNR registou 589 infrações e procedeu a 22 detenções em flagrante delito no âmbito…

… de um conjunto de  operações, que visaram a prevenção  e o  combate à criminalidade violenta, bem como a fiscalização rodoviária. A GNR registou 85 acidentes nas estradas do distrito.

Em comunicado enviado à Rádio Boa Nova, a GNR destaca entre as 589 infrações detetadas, 44 por falta de inspeção periódica obrigatória, 24 relacionadas com tacógrafos, 11 por excesso de velocidade, 32 por uso indevido do telemóvel no exercício da condução, 17 por falta ou incorreta utilização do cinto de segurança e/ou sistema de retenção para crianças,  15 por condução com taxa de álcool no sangue superior ao permitido por lei e igual número por falta de seguro de responsabilidade civil.

Dos 85 acidentes registados, a GNR adianta que resultaram dois feridos graves e 27 feridos leves.

Na mesma semana de operação, de 11 a 17 de fevereiro, as autoridades procederam a 22 detenções em flagrante delito, destacando 11 por condução sob o efeito do álcool, cinco por furto, duas por condução sem habilitação legal e uma por tráfico de estupefacientes.

Foram apreendidas oito doses de cocaína, três doses de canábis, duas doses de heroína, uma dose de haxixe, dois gramas de liamba e um veículo.

No âmbito da fiscalização geral, a GNR emitiu 35 autos de contraordenação: 23 na área da legislação da proteção da natureza e do ambiente e 12 no âmbito da legislação policial.

Na última semana, as autoridades realizaram ações de sensibilização de âmbito florestal, “Internet Segura”, Operação Pirotecnia, “Violência não é opção”, “Violência no namoro”, “Guarda por um Dia”, “Idosos em Segurança” e “Violência no meio escolar”.




Crianças plantaram árvores oferecidas pela Worten e ERP Portugal ao Município de Oliveira do Hospital

Decorreu, esta manhã, mais uma ação de reflorestação no concelho de Oliveira do Hospital. Cerca de 60 crianças plantaram árvores oferecidas pela Worten e ERP Portugal, na freguesia de Aldeia das Dez.

Teresa Dias, vereadora do Ambiente e das Florestas do Município de Oliveira do Hospital, referiu, em declarações à Rádio Boa Nova, que este tipo de ações já tinham importância antes dos incêndios de 2017, “mas depois dos incêndios ainda têm uma importância mais significativa”.

“É uma aula de educação ambiental que acontece porque, para além de se plantarem árvores, cresce a consciencialização ambiental nestes alunos”, defendeu.

A vereadora adiantou que 2019 foram plantadas árvores em 40 hectares. Das 12 mil árvores, entre medronheiros e carvalhos, oferecidas pela Worten e ERP Portugal, quatro turmas do Agrupamento de Escolas de Oliveira do Hospital plantaram uma parte da oferta, sendo que, até março, vão decorrer mais ações de reflorestação.

 

À Rádio Boa Nova, Mário Costa, Diretor de Expansão e Ambiente da Worten, explicou que a empresa do grupo SONAE “tem um compromisso muito grande com o ambiente”. “É um dos vectores da empresa, em termos de sustentabilidade, podermos estar mais próximos das comunidades locais”, referiu, adiantando que a oferta é resultado de uma campanha realizada no final do ano passado que “visava recolher toneladas de resíduos que clientes já não precisavam”.

 

Do lado da ERP Portugal, Rosa Monforte, Diretora Geral da Entidade Gestora de Resíduos, afirmou que, como parceiros da Worten há muitos anos” foi fácil aceitar o desafio. “Nós gerimos os resíduos que a Worten nos entrega”, explicou, evidenciando que o objetivo é dar continuidade a este tipo de iniciativas. “O que não falta é terreno e área para reflorestar”, concluiu.




AEOH implementa instrumento de certificação do ensino profissional (com vídeo)

Cristina Borges, sub-diretora do Agrupamento de Escolas de Oliveira do Hospital esteve, esta manhã, no programa “Outras Conversas” da Rádio Boa Nova. A responsável abordou a implementação…

… do Quadro de Referência Europeu de Garantia da Qualidade para a Educação e Formação Profissionais (Quadro EQAVET), que visa a melhoria contínua do Ensino e Formação Profissional ministrados no AEOH.

Veja o vídeo>>>




Cerca de 250 figurantes e 13 carros alegóricos dão vida ao Carnaval de Seixo da Beira (com vídeo)

A Associação PIDS- Plano de Intervenção e Dinamização da Freguesia de Seixo da Beira promove no próximo fim de semana, 22 e 23 de fevereiro, …

…o Carnaval da freguesia que promete ser “mais um grande evento”.

A acontecer pelo quinto ano consecutivo, o Carnaval da freguesia de Seixo da Beira começa a afirmar-se no concelho de Oliveira do Hospital e na região. Este é o objetivo da Associação PIDS, promotora do evento, que tem conseguido mobilizar gente de cada uma das sete localidades da freguesia em torno do Carnaval. Assim referiu, esta manhã, Júlio Mendes, da direção do PIDS, convidado desta manhã do programa “Outras Conversas” da Rádio Boa Nova, mostrando-se confiante de que o Carnaval que está a ser preparado resultará em mais “uma grande organização, um grande evento”.

Na Rádio Boa Nova, o jovem fundador da associação PIDS referiu que à semelhança dos outros anos, este ano, o Carnaval não tem tema associado, tendo ficado decidido em Reunião preparatória que “cada grupo deveria ser original e apresentar-se como quiser, até porque os recursos são poucos”. “O que queremos é que as pessoas vão como entenderem e se divirtam”, explicou.

Ano após ano, o Carnaval de Seixo da Beira tem vindo a crescer e, segundo Júlio Mendes “o grande fator de crescimento deste evento foi conseguir envolver as localidades de toda a freguesia”.

Este ano, o desfile vai contar com a participação de 13 grupos, entre os quais o Centro Paroquial e o Agrupamento de Escolas. Para além das associações e coletividades que participam, Júlio Mendes destaca a formação de outros grupos para participarem no Carnaval. Tal facto é demonstrativo de que se trata do Carnaval da freguesia de Seixo da Beira e não apenas da localidade de Seixo da Beira.

O desfile de Carnaval acontece na tarde de domingo, com início, às 14h30, no Campo da Bela Vista e segue para o Parque de Nª Srª da Estrela, com a novidade de neste ano terminar no centro da localidade, junto ao Cruzeiro. “Esse troço de rua vai ficar cortado e o final do desfile vai ser ali, onde moram mais pessoas idosas, que em anos anteriores não era fácil acompanharem o desfile”, referiu Júlio Mendes. Outro fator para a alteração ao trajeto, é para que o desfile termine junto aos dois cafés que ali estão situados e assim se proporcione algum negócio ao comércio local.

Esta manhã, na Rádio Boa Nova, Júlio Mendes, convidou os ouvintes para que no domingo se desloquem até à freguesia de Seixo da Beira, para assistir ao desfile de Carnaval que vai contar com cerca de 250 figurantes e 13 carros alegóricos, sendo esta uma forma de “valorizar o nosso trabalho e de todas as coletividades”. “Visitem-nos”, desafiou o jovem.

Do Carnaval de Seixo da Beira faz ainda parte a realização de um baile, no dia 22 de fevereiro, pelas 22h00, na Associação Cultural e Recreativa da Sobreda, havendo prémios para o grupo como maior número de elementos mascarados.

A iniciativa conta com o apoio da Junta de Freguesia de Seixo da Beira, Município de Oliveira do Hospital, Instituto Português do Desporto e Juventude, entre outros parceiros.

foto: Carnaval Seixo da Beira 2019




40 anos: Arcial quer construir pólo II e criar valência de lar (com vídeo)

A ARCIAL – Associação para a Recuperação de Cidadãos Inadaptados de Oliveira do Hospital iniciou hoje, dia 14 de fevereiro,…

… as comemorações do 40º aniversário que se vão prolongar até ao mês de outubro.

Em dia de festa para a instituição, ficou evidente a vontade da atual direção presidida por Artur Abreu de fazer crescer a instituição com a construção do Pólo II e a criação da valência de lar.

Presente esta tarde no arranque das comemorações, o presidente do Município de Oliveira do Hospital, José Carlos Alexandrino, deu conta da disponibilidade da autarquia para apoiar a direção nos objetivos a que se propõe.




Eutanásia: Pároco de Oliveira do Hospital defende recolha de assinaturas para que se realize referendo

O Pároco de Oliveira do Hospital, António Loureiro, considerou hoje que é importante que os cristãos se manifestem e ajam na “recolha de assinaturas”…

… tendo em vista a realização de um referendo, para que sejam os portugueses a decidirem se querem a legalização da Eutanásia.

Esta manhã, no programa “Palavras de Esperança” da Rádio Boa Nova, o também arcipreste do Nordeste da Diocese de Coimbra explicou que a Eutanásia tem a ver com por fim à vida. “Fala-se em morte assistida, ou em suicídio  assistido. A igreja sempre teve uma posição negativa relativamente a tudo aquilo que é dominar a vida ou controlar a vida do outro ou a própria”, afirmou. Verificou que, pelo contrário, “a sociedade civil que não tem fé, que não acredita na vida eterna, entende que a pessoa pode viver o tempo que entende e pode matar- se no tempo que entende”.

Numa altura que no Parlamento se está discutir a Eutanásia, António Loureiro, informa que “está a surgir um movimento que a Conferência Episcopal portuguesa decidiu apoiar que pretende que a decisão moral sobre a vida seja decidida em refendendo”. “Era bom também que os cristão manifestassem a sua opinião e agir também através da recolha de assinaturas, para que o Parlamento decida que aprovar uma legislação dependa não da vontade de uns quantos políticos , mas que seja o povo português a decidir se quer ou não quer a Eutanásia”.




“Os Verdes” voltam a questionar o Governo sobre poluição no Rio Cobral

A deputada Mariana Silva, do Grupo Parlamentar Os Verdes, entregou na Assembleia da República uma pergunta, …

… em que questiona o Governo, através do Ministério do Ambiente e da Ação Climática (MACC), sobre problemas ambientais que afetam o rio Cobral, afluente do rio Mondego, que atravessa os municípios de Seia e de Oliveira do Hospital, em particular as descargas e efluentes sem o devido tratamento.

Na missiva que dirige ao governo, Mariana Silva lembra que “ já em 2004, em visita a várias freguesias percorridas por este curso de água Torroselo, Várzea (Seia) e Meruge (Oliveira do Hospital), os autarcas locais realçaram que a poluição das águas do Rio Cobral representava graves impactos na qualidade de vida das pessoas e no próprio ecossistema, apontando como causas possíveis para esta poluição descargas de efluentes, sem o devido tratamento, por algumas queijarias localizadas no concelho de Seia”.

Refere a deputada que “embora tendo sido construída uma Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR), em São Romão, concelho de Seia, com o objetivo de proceder ao tratamento dos efluentes domésticos e industriais, o problema continuou, sobretudo em épocas de maior caudal, levando Os Verdes a questionar o Governo através da pergunta n.º 1367/XII/2ª, de 6 de março de 2013, sobre este atentado ambiental que se presume tenha origem numa unidade de lacticínios”.

Na ocasião, lembra Mariana Silva, “na resposta o Ministério da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território referiu que o rio era sucessivamente fiscalizado e que entre 2006 e 2009 foram feitas 15 inspeções a queijarias, tendo sido lavrados autos de notícia em virtude de descargas sem título, em locais não autorizados ou fruto do não cumprimento de melhorias nos equipamentos de tratamento de águas residuais”.

“O governo adiantava ainda que, em 2011 a APA – ARH Centro tinha realizado um workshop com diversas entidades envolvidas nesta problemática, onde foi concluído que as autarquias de Seia e de Oliveira do Hospital e industrias dos lacticínios iriam apresentar um estudo com eventual solução conjunta, que poderia passar pela construção de uma ETAR industrial ou outro sistema de recolha e valorização deste tipo de efluentes, mas sem qualquer desenvolvimento dois anos depois”, verifica.

“Em 2013, em reunião do Partido Ecologista Os Verdes com a autarquia de Meruge, foi igualmente afirmado que a resolução do problema passaria pela construção de uma ETAR especifica, para proceder ao tratamento dos efluentes industriais provenientes das queijarias”, afirma a deputada.

Porém, Mariana Silva, constata que “na semana passada, a Junta de Freguesia de Meruge voltou a denunciar a poluição no rio Cobral, devido a descargas de efluentes, alegadamente com origem nas queijarias localizadas a montante, no concelho de Seia, e que ocorrem há cerca de 15 dias. Tal como no passado, este atentado ambiental coincide com o mesmo período das ocorrências, ou seja, numa altura de grande precipitação quando o rio leva mais caudal”.

“Segundo o autarca da Freguesia, a água do rio encontrava-se leitosa, mal cheirosa e com espuma à superfície, tendo este crime ambiental sido reportado novamente ao Serviço de Proteção da Natureza e Ambiente (SEPNA) da GNR”, refere.

Para a deputada, “o que está em causa não são as queijarias, atividade importante nesta região, mas o destino dos efluentes, alegadamente sem tratamento, que são lançados ao Rio Cobral, reduzindo, a jusante, a qualidade de vida das pessoas e a biodiversidade existente neste curso de água”.

Por isso, pergunta ao Ministério do Ambiente e da Ação Climática se “já identificou os responsáveis pelas sucessivas descargas de efluentes que ao longo dos anos têm fustigado o rio Cobral.” Entre outras questões, a deputada quer saber se está prevista a construção de alguma ETAR industrial, especificamente para proceder ao tratamento dos efluentes das queijarias localizadas no concelho de Seia e que ações o MAAC tem desenvolvido para evitar a poluição do Rio Cobral.




Seniores da Residência Sant’Ana vieram à Boa Nova comemorar o Dia Mundial da Rádio

No âmbito do dia Mundial da Rádio , que hoje se comemora, a Rádio Boa Nova recebeu esta manhã um grupo de idosos da…

… residência Sénior Sant’Ana, de Oliveira do Hospital.

Laura Nunes, gerontóloga na instituição, explicou no programa “Outras Conversas” que a visita dos utentes à Rádio Boa Nova “é bastante importante para eles”, bem como para toda a equipa. A técnica destacou a importância que a rádio tem no dia a dia dos idosos ao nível da animação, mas também da informação.

“A rádio tem um papel fundamental, especialmente para ouvirem as notícias e se manterem informados sobre o mundo, porque por vezes nestes contextos perde-se um bocadinho da participação social e activa e especialmente do que acontece no mundo”.

Palmiro Costa, com 90 anos, utente da instituição, natural de Andorinha, destacou esta manhã a importância da Rádio na sua vida. “Eu gosto muito da Rádio. Foi uma boa invenção. O que mais gosto de ouvir são as informações, os relatos de futebol. A rádio acompanham por todo o lado. A Rádio Boa Nova é uma rádio sem igual que se ouve em Portugal. A Rádio Boa Nova é como a Residência Sant’Ana quando alguma coisa está mal, até a barraca abana”, afirmou gracejando.

Fernanda Tavares, com 76 anos, de Andorinha, recordou esta manhã o tempo da Rádio a pilhas, em que a rádio era uma “felicidade”. “Era a única coisa que tínhamos para ouvir umas noticiazitas, as radionovelas e os futebóis”, contou, lembrando que “quando era adolescente era doidinha com o António Calvário, a Madalena Iglésias e a Simone de Oliveira”. “Eram os mitos da minha vida. Depois vieram vários cantores. Faziam-se vários programas, um deles era os discos pedidos, que quando nós gostávamos de alguém ligávamos para a rádio para pedir um disco para oferecer à pessoa que mais gostávamos”, contou.

Do grupo de seniores que hoje visitou a Rádio Boa Nova fez ainda parte o senhor Fragoso, Maria Helena Rufino, Ana da Conceição, Ernesto Cordeiro, António Gonçalves e Ernesto Teixeira, que partilharam o gosto pela Rádio, mas também canções, poemas, adivinhas, anedotas e outras curiosidades.

Veja o vídeo>>>




Hoje comemora-se o Dia Mundial da Rádio

Hoje, dia 13 de fevereiro, comemora-se o Dia Mundial da Rádio!

“Proclamado em 2011 pelos Estados Membros da UNESCO e adotado pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 2012 como Dia Internacional, o dia 13 de fevereiro tornou-se o Dia Mundial da Rádio”.

Segundo a UNESCO, “a rádio é um meio poderoso para celebrar a humanidade em toda a sua diversidade e constitui uma plataforma para o discurso democrático. A nível global, a rádio continua a ser o meio mais amplamente consumido. A capacidade única de alcançar o público mais amplo significa que a rádio pode moldar a experiência de diversidade de uma sociedade, permanecer como uma arena para todas as vozes falarem, serem representadas e ouvidas. As estações de rádio devem atender a diversas comunidades, oferecendo uma ampla variedade de programas, pontos de vista e conteúdo, e refletir a diversidade de audiências em suas organizações e operações”.




Sinistralidade: 23 detenções, 779 infrações e 53 acidentes no distrito de Coimbra

O Comando Territorial de Coimbra procedeu, de 4 a 10 de fevereiro, a várias operações, no distrito de Coimbra, como a prevenção e o combate à criminalidade violenta e a fiscalização rodoviária.

Em comunicado enviado à Rádio Boa Nova, a Guarda Nacional Republicana (GNR) informa que das 23 detenções em flagrante delito, 12 foram por condução sob efeito do álcool e seis por condução sem habilitação legal.

No que respeita a apreensões, foram apreendidas duas doses de haxixe, uma dose de cocaína, cinco armas de fogo, oito munições, 20 peças de bijuteria, dois intercomunicadores, um aerossol, quatro veículos, três tacos de snooker e duas gazuas.

Na fiscalização do trânsito foram detetadas 779 infrações, das quais 72 relacionadas com tacógrafos, 46 por falta de inspeção periódica obrigatória, 48 por excesso de velocidade, 27 por uso do telemóvel no exercício da condução, 23 por falta ou incorreta utilização do cinto de segurança, 22 relacionadas com iluminação e sinalização e 15 por falta de seguro de responsabilidade civil.

Nesta semana há a registar 53 acidentes, de onde resultaram 19 feridos leves.

No que respeita à fiscalização geral, foram emitidos 32 autos de contraordenação, destacando-se 12 no âmbito da legislação policial e 20 no âmbito da legislação da proteção da natureza e do ambiente.

Ainda nesta semana de operações foram realizadas ações de sensibilização no âmbito florestal, prevenção do consumo de drogas, “Internet Segura”, prevenção rodoviária, “Idosos em Segurança”, no âmbito de comportamentos cívicos e âmbito escolar.




Eptoliva organiza evento nacional da Matemática

A EPTOLIVA – Escola Profissional de Oliveira do Hospital, Tábua e Arganil organiza, no presente ano letivo de 2019/2020, …

… a XXII edição dos Jogos da Matemática, um evento nacional destinado às escolas profissionais de ensino secundário de Portugal continental e das Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira.

O evento, que conta já com a participação de 23 escolas nacionais, um número recorde relativamente às edições anteriores, decorrerá em três fases, duas realizadas ao nível de cada escola participante, tendo por objetivo o apuramento de uma equipa, que representará a sua escola na terceira fase, a final nacional, que terá lugar, no dia 20 de maio, nas instalações da sede da EPTOLIVA, em Oliveira do Hospital.

Os Jogos da Matemática que se revestem na forma de um concurso inter-equipas de resolução de problemas de Matemática, dirigido a alunos que frequentam cursos de nível IV nas escolas profissionais, visam essencialmente incentivar e desenvolver o gosto pela Matemática, fazendo recurso ao engenho e imaginação dos alunos.

Satisfeito com a escolha, mas sobretudo com o reconhecimento da capacidade da EPTOLIVA na organização deste desafio nacional, Daniel Costa, presidente desta escola profissional, destaca “a importância da Matemática enquanto disciplina escolar nas áreas de formação das Ciências, Engenharia, Saúde e Ciências Sociais, as quais representam mais de 50% das preferências dos alunos das escolas profissionais”. “Privilegiar o desenvolvimento deste tipo de desafios é valorizar o ensino profissional, é preparar e incentivar o acesso ao ensino superior, reconhecendo a educação científica enquanto ferramenta para a resolução de problemas com repercussões futuras muito positivas na formação global de qualquer indivíduo”, considera o responsável.




Infantário da FAAD realizou simulacro para testar Plano de Emergência

O Infantário da Fundação Aurélio Amaro Diniz (FAAD), em Oliveira do Hospital, realizou esta manhã um exercício de simulacro para testar o Plano de Emergência do espaço mais recente do edifício.

Estiveram envolvidas 100 crianças, que em menos de três minutos saíram, de forma calma para o exterior do edifício. Ana Rita Herdade, técnica superior de segurança e higiene no trabalho, disse à Rádio Boa Nova que o simulacro foi realizado “com sucesso”, percebendo-se porém que “há ainda algumas arestas para limar”

O simulacro foi feito com “o intuito de testar o plano de emergência do edifício e como correria a evacuação das salas”, afirmou a responsável, informando que estiveram envolvidas “cerca de 100 crianças com idades entre os 2 e os 5 anos, de cinco salas”. “Foi dado um alerta, seguida de ordem de evacuação e cortada a estrada. As crianças foram evacuadas de forma calma e organizada. Foi depois feito o levantamento de todas as crianças, regressando depois às salas”, explicou.

Concluído o exercício, que foi observado pelo Comandante dos Bombeiros Voluntários de Oliveira do Hospital, a responsável em Segurança e Higiene no Trabalho, constatou que “há ainda algumas arestas para limar”, mas de um modo geral, o simulacro “foi realizado com sucesso e com calma, que é o que se pede nestas alturas”.

Explicou que a presença do comandante dos Bombeiros foi no sentido de “observar se todas as normas estavam a ser cumpridas e quais os comportamentos que deveríamos ter se tivéssemos que chamar esses meios externos”.

“Viemos testar o Plano de Emergência em caso de acidente ou de incêndio para todos os auxiliares e crianças saberem intervir em caso de emergência. Foi uma evacuação que decorreu extremamente bem. Em menos de três minutos evacuaram todo o edifício”, referiu Emídio Camacho, comandante dos Bombeiros Voluntários de Oliveira do Hospital à Rádio Boa Nova. Segundo o responsável, no exercício “foi detetado que existem medidas de auto proteção que tem que ser postas em prática por todos os colaboradores”. Por isso, destaca a importância do treino que “faz evidência e marca-se pela diferença”.

O exercício hoje realizado no infantário da FAAD, deve servir de exemplo a outras instituições e empresas, onde também são exigidos planos de emergência, para que as pessoas conheçam as medidas de auto proteção porque “todas elas trabalham debaixo do risco”. “Temos feito em algumas empresas do concelho, principalmente na confeção, mas estende-se em todas as áreas do concelho”, referiu Emídio Camacho, verificando que “é importante fazer estes treinos, porque em situação real torna-se mais fácil para todos”. “Todas as empresas têm o seu efeito de risco e é importante saber como agir e é isso que temos feito em algumas empresas exercícios simulados”.


No caso concreto do infantário da FAAD, Emídio Camacho não identifica grande risco, já que se trata de “estruturas modernas, não se trabalha com gás, o aquecimento é a pellets”. Numa primeira visão não haverá risco para as crianças, mas às vezes existem situações que gente menos espera e elas acontecem. É por isso que realizamos este simulacro”, referiu.




Dono da “Quinta do Cruzeiro”, em Seixo da Beira, queixa-se na Câmara Municipal

António Manuel Simões, proprietário da Quinta do Cruzeiro, conhecida pela produção do genuíno Queijo Serra da Estrela, foi esta manhã “com alguma tristeza”…

… à reunião pública do executivo municipal de Oliveira do Hospital lamentar a postura da Câmara Municipal para com conhecida “casa” que foi afetada pelos incêndios e mais tarde pelo ataque de cães ao seu rebanho.

“É com alguma tristeza que até me sento aqui. A Quinta do Cruzeiro foi uma casa que deu muito ao concelho, recebia muitos visitantes. De um momento para o outro, derivado aos incêndios e depois das batidas dos cães, as coisas começaram-se a desmoronar”, afirmou esta manhã, António Manuel Simões.

O dono da Quinta do Cruzeiro, que esta manhã entregou uma carta ao presidente do Município de Oliveira do Hospital, lamentou a atuação dos serviços camarários, nomeadamente “da parte sanitária” que, como referiu, “foram zero”. António Manuel Simões referia-se aos ataques de que terão sido alvo as suas ovelhas por parte de matilhas, sem que nada tivesse sido feito. “Não sei por que motivo a câmara tratou assim a Quinta do Cruzeiro se era uma casa que tanto dava ao concelho. Não percebo”, lamentou.

Em resposta, o presidente do Município referiu que o executivo tem uma “conceção de apoiar todos, mas não temos capacidade de resolver os problemas todos, achando que o senhor tem sido vítima de um conjunto de circunstâncias”. José Carlos Alexandrino mostrou-se preocupado e disse, que da sua parte e do executivo, tem havido uma “grande disponibilidade em ajudar”. “Acredite que a Câmara não poderia ressarcir todos os prejuízos”, continuou o autarca, que esta manhã informou o dono da Quinta do Cruzeiro, de que aguarda por uma reunião “com ministra da Agricultura par reunirmos com o IFADAP para resolvermos um caso anterior ao incêndio”. “A mim como presidente do município, como seu amigo e amigo da sua esposa, custa-me ver a vossa situação”, considerou.


Em reunião do executivo, o autarca oliveirense assegurou que o Município continuará a ajudar “com algumas verbas”, lamentando que tenha ficado para trás o apoio prometido pela Cruz Vermelha. “É verdade que a Cruz Vermelha tinha prometido uma verba para situações onde o enquadramento legal era mais difícil, mas a vice presidente teve um problema de saúde e saiu. E também se complicou a posição da Cruz Vermelha no incêndio de Pedrogão num programa (de televisão) em que uns, que passam a vida a denunciar e dizem-se amigos das vítimas dos incêndios, mas fazem tudo depois para prejudicar. E prejudicou, porque eram à volta de 25mil euros, onde estava incluída a sua propriedade. O presidente da Cruz Vermelha disse então que não dava mais dinheiro”, contou José Carlos Alexandrino. Pese embora o recuo da Cruz Vermelha, o autarca garantiu que o Município está disponível para ajudar. “Temos obrigação de ajudar os nossos munícipes quando atravessam dificuldades”, referiu.

Visivelmente agastado com o atual momento da Quinta do Cruzeiro, António Manuel Simões disse em jeito de lamento: “o senhor sabe que já ninguém quer (a vida de pastor) e a gente andar-se a chatear nesta vida por uma coisa que já ninguém quer, leva o rol de maluco”.

A propósito, o presidente da Câmara Municipal considerou ainda que os serviços municipais não estavam à data capacitados para responder à situação por que passou António Manuel Simões, concretamente o ataque dos cães às ovelhas.  E do mesmo modo, também sublinhou os condicionalismos decorrentes da lei. José Carlos Alexandrino referiu que o Município chegou a adquirir uma arma para o adormecimento dos cães, mas que só o veterinário municipal a sabe manusear. Adiantou que a autarquia se está a capacitar nesse sentido, tendo já contratado um jovem especializado. O autarca adiantou está a ser pensado um programa de esterilização dos animais, sobretudo dos gatos. Até à concretização do canil intermunicipal que ficará localizado em Arganil, José Carlos Alexandrino adiantou que estão a ser realizadas pequenas obras para acolher animais vadios.




Homem ficou em “estado grave” após queda em obra de reconstrução da empresa J. Guerra

Um homem de 46 anos ficou, esta manhã ferido com gravidade após ter caído de uma estrutura, ao que se julga de suporte do telhado,…

… da obra de reconstrução da empresa J.Guerra, na Zona Industrial de Oliveira do Hospital.

De acordo com Emídio Camacho, comandante dos Bombeiros Voluntários de Oliveira do Hospital, o alerta foi dado cercas das 11h30, e à chegada dos bombeiros ao local, depararam-se com uma vítima em “estado grave”. Para o local, segundo o comandante, foi mobilizada a ambulância INEM e três elementos, que seguiu com a vítima ao encontro da VMER de Coimbra. Também acorreu ao local uma ambulância de Suporte Imediato de Vida (SIV). A GNR também esteve no local do acidente.

Segundo apurou a Rádio Boa Nova no local da obra, na Zona Industrial de Oliveira do Hospital, a vítima, um homem de 46 anos, é trabalhador de uma empresa subcontratada.

Refira-se que a empresa J. Guerra foi a maior empresa do concelho de Oliveira do Hospital destruída pelo grande incêndio de 15 de outubro de 2017. A unidade empresarial que completa, este ano, 50 anos de atividade está em fase de reconstrução. Até aqui, a conhecida fábrica de sirgarias e passamanarias tem estado a laborar em instalações mais pequenas, na parte de trás da empresa mãe, que adquiriu pouco tempo depois do incêndio.