Relatório sobre fogos de outubro é entregue hoje no Parlamento
20 Março, 2018 839 visualizações

Relatório sobre fogos de outubro é entregue hoje no Parlamento

image_pdfimage_print

O relatório de análise aos incêndios de outubro de 2017, produzido pela comissão técnica independente, que integra 12 peritos e que é liderada pelo professor universitário João Guerreiro, vai hoje ser entregue ao Parlamento.

A data de entrega do relatório foi comunicada pelo presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, em 2 de fevereiro, na conferência de líderes parlamentares, em Lisboa.

As centenas de fogos que deflagraram no dia 15 de outubro, o pior dia de fogos de 2017 segundo as autoridades, e que atingiram 27 concelhos da região Centro, provocaram 46 mortos e cerca de 70 feridos.

Estes incêndios destruíram total ou parcialmente cerca de 800 habitações permanentes, quase 500 empresas e extensas áreas de floresta nos distritos de Aveiro, Castelo Branco, Coimbra, Guarda, Leiria e Viseu.

Esta foi a segunda situação mais grave de incêndios com mortos em Portugal, depois de Pedrógão Grande, no distrito de Leiria.

A comissão técnica independente já tinha apresentado um relatório quanto aos incêndios rurais de junho de 2017 na região Centro, em particular o fogo que deflagrou no dia 17 em Pedrógão Grande e que se propagou depois a vários concelhos limítrofes.

O relatório final dos fogos de junho, que analisa incêndios em 11 concelhos dos distritos de Leiria, Coimbra e Castelo Branco ocorridos entre 17 e 24 de junho, refere que, apesar de o fogo de Pedrógão ter tido origem em descargas elétricas na rede de distribuição, um alerta precoce poderia ter evitado a maioria das 64 mortes registadas.

Embora a contabilização oficial indicar 64 vítimas mortais nos incêndios de junho, há registo de um total de 66 mortos, já que houve ainda registo de uma mulher que morreu atropelada ao fugir das chamas e uma outra que estava internada desde então, em Coimbra, e acabou também por morrer.

O relatório dos incêndios de junho refere também que “não foram mobilizados totalmente os meios disponíveis” no combate inicial e houve falhas no comando dos bombeiros. A GNR fica, por outro lado, ilibada de direcionar carros para a Estrada Nacional 236, onde morreram cerca de metade das vítimas.

O documento aponta falta de conhecimento técnico no sistema de defesa florestal e falta de preparação dos atuais sistemas de combate às chamas para as alterações climáticas, confirmando, por outro lado, falhas de comunicação do Sistema Integrado das Redes de Emergência e Segurança de Portugal (SIRESP).

Na sequência da divulgação do relatório, o primeiro-ministro, António Costa, afirmou que o Governo assumiria todas as responsabilidades políticas, se fosse caso disso.

Além das 112 mortes registadas nos incêndios de junho e de outubro, há registo de, pelo menos, mais cinco vítimas mortais nas regiões Norte e Centro nos fogos rurais ocorridos no último ano.

Os incêndios florestais de 2017 consumiram cerca de 500 mil hectares de floresta e destruíram mais de duas mil casas, empresas e explorações agrícolas.

Com: Lusa.pt

Anterior Juventude Popular apresentou novos órgãos na tomada de posse
Seguinte Laço azul e caminhada sensibilizam para a infância e o ambiente em Oliveira do Hospital (com vídeo)

Notícias Relacionadas

Informação

Cães continuam a dizimar rebanhos em Oliveira do Hospital

O primeiro alerta surgiu em novembro, mas grupos de cães continuam a atacar ovelhas no concelho de Oliveira do Hospital. De acordo com o vereador do PSD na Câmara Municipal,

Informação

Seia apaga as luzes pelo Planeta

O Município de Seia vai desligar as luzes de edifícios públicos no dia 19 de março de 2016, entre as 20h30 e as 21h30, em associação ao maior movimento global

Última Hora

Associação de Utentes e Sobreviventes recolhe assinaturas para melhoramento do IP3 durante a Páscoa

A Associação de Utentes e Sobreviventes do Itinerário Principal (IP) 3 já conseguiu 4.600 assinaturas para a petição pela melhoria e alargamento daquela via, mas vai aproveitar o maior fluxo

Informação

Pombal: Seis feridos em despiste na A1

Seis pessoas ficaram feridas, três delas em estado grave, na manhã desta terça-feira, na sequência do despiste de uma viatura ligeira de mercadorias que ocorreu ao quilómetro 144 da A1

Região

Despiste de autocarro no centro de Viseu provoca três feridos

O despiste de um autocarro na manhã de hoje provocou três feridos, “possivelmente um em estado mais grave”, e causou danos em três viaturas que se encontravam …

Informação

Viseu: Feira de S. Mateus arranca hoje e prolonga-se até 15 de setembro

O reforço da segurança e da comodidade marcam a 627.ª edição da Feira de S. Mateus, em Viseu, que arranca esta quinta-feira à noite, dia 8 de agosto, e prolonga-se

Região

PCP realiza Jornadas nas zonas afetadas pelos incêndios de 2017

O PCP vai realizar umas Jornadas de contactos nas zonas afetadas pelos grandes incêndios de Outubro de 2017. Delegações de dirigentes e deputados do PCP vão percorrer,…

Nacional

Fim-de-semana com nebulosidade e precipitação fraca

Apesar de a semana estar a terminar sem chuva, o fim-de-semana vai ficar marcado pela nebulosidade e precipitação fraca no litoral a norte do Cabo Carvoeiro.

Informação

Páscoa foi muito positiva para o Turismo no Centro de Portugal

Março voltou a ser um mês “extremamente positivo” para o Turismo no Centro de Portugal, à semelhança dos anteriores. Os números revelados pelo INE – Instituto Nacional de Estatística …

Sociedade

Rio de Mel: Viagem proporcionada a habitantes da “Aldeia dos Sonhos” foi inesquecível

Os habitantes de Rio de Mel, no concelho de Oliveira do Hospital, cumpriram este fim de semana o sonho de visitar as cidades do Porto e Viana do Castelo,…

Última Hora

Funcionária da Conservatória de Oliveira do Hospital confessou recebimento de montantes indevidos na primeira sessão de julgamento

  A ajudante da Conservatória de Oliveira do Hospital que, em 2015,foi demitida por suspeita de receber montantes indevidos de clientes confessou, esta manhã, a prática daquele crime.

Última Hora

Jovem de 21 anos morre colhido por comboio em Aveiro

Um jovem de 21 anos morreu, na madrugada desta terça-feira, colhido por um comboio, na zona sul da estação ferroviária de Aveiro.