Pedrógrão: Marcelo destaca “lentidão da justiça” três anos após o grande incêndio
17 Junho, 2020 309 visualizações

Pedrógrão: Marcelo destaca “lentidão da justiça” três anos após o grande incêndio

image_pdfimage_print

Há três anos, em Pedrógão Grande, numa tragédia nacional, morreram 66 pessoas. Marcelo Rebelo de Sousa marcou presença, esta quarta-feira, numa missa no concelho vizinho, em Figueiró dos Vinhos,… 

… e fez uma análise dos avanços e dos obstáculos à evolução desde então.

Nestes três anos, sublinhou o Presidente da República em declarações aos jornalistas, “houve uma reflexão profunda, houve um debate no Parlamento, houve mudança da legislação e medidas foram tomadas. O problema é o terreno, que é feito por pessoas de carne e osso, que não têm meios para poderem agir”. E estes condicionamentos económicos e sociais “dificultam a aplicação de medidas”.

Advogou o chefe de Estado que “deve haver uma sociedade civil mais forte e [essa] só haverá” se não existirem “nas regiões deprimidas populações que não podem cumprir essa missão”.

Como aspeto positivo na evolução, nestes três anos, Marcelo destacou “o papel da provedora de Justiça”, que levou a cabo a “reparação possível da dor dos familiares”, mediante atribuição de indemnizações. Igualmente importantes foram os passos dados na revisão da legislação que “cobre a matéria da floresta”.

Há, porém, aspetos que “motivam reparos”, nomeadamente a “lentidão da justiça”.

Questionado relativamente à preparação do país para enfrentar um eventual incêndio de dimensões semelhantes às de Pedrógão, Marcelo defendeu que esse é um “desafio constante”. Porém, “se não houver desenvolvimento, estruturas estáveis, população com dinamismo e que permita a criação de estruturas, esse desafio continua presente na nossa vida”.

Recorde-se que o violento incêndio florestal deflagrou ao início da tarde de 17 de junho de 2017 e provocou, pela além das vítimas mortais, centenas de feridos e a destruição de meio milhar de casas e 50 empresas.

Com efeito, o Departamento de Investigação e Ação Penal de Coimbra abriu um inquérito que investigou as responsabilidades do incêndio e o processo de reconstrução das casas ardidas.

A investigação resultou numa acusação contra 28 arguidos pela alegada prática de 20 crimes de burla, 20 crimes de prevaricação de titular de cargo político, 20 crimes de falsificação de documentos, um crime de falsidade informática e um crime de falsas declarações.

No ano passado, a Assembleia da República decidiu instituir a celebração anual do Dia Nacional em Memória das Vítimas dos Incêndios Florestais em 17 de junho.

lusa.pt

Anterior Viseu: GNR recuperou material furtado em residências
Seguinte Entrega de manuais escolares tem de ser feita a partir de 26 de junho

Notícias Relacionadas

Sociedade

Hoje assinala-se o Dia Europeu Sem Mortes na Estrada

Esta quinta-feira, dia 26 de setembro, comemora-se o ‘Dia Europeu Sem Mortes na Estrada’. O projeto foi lançado em 2016, é apoiado pelos 30 países …

Região

Ílhavo: GNR apreende 800 quilos de ostra por falta de documentos

A Unidade de Controlo Costeiro, através do Subdestacamento de Controlo Costeiro de Aveiro, apreendeu, no passado dia 9 de dezembro, 800 quilos de ostra Crassostrea gigas, na localidade da Gafanha da Encarnação, concelho de Ílhavo.

Região

Região Centro reforça capacidade de realização de testes à Covid-19

A Administração Regional de Saúde do Centro (ARSC) reforçou ontem a sua capacidade de realização de testes à covid-19 com a entrada em funcionamento do Laboratório de Análises Clínicas da

Sociedade

Prepare-se para o frio do fim de semana

As mínimas e máximas vão diminuir significativamente este fim de semana. As temperaturas típicas de verão têm os dias contados.

Informação

Mulher ferida com gravidade em atropelamento em Coimbra

Uma mulher ficou ontem gravemente ferida após ter sido atropelada em Coimbra. O acidente ocorreu ao final do dia, na Avenida da Cidade Aeminium, junto à Estação Coimbra -A.

Informação

Estamos em outubro e os termómetros vão chegar aos 37 graus

Três distritos do continente e o arquipélago da Madeira estão hoje e terça-feira sob ‘aviso amarelo’ devido à previsão de tempo quente, informou o Instituto Português do Mar e da

Sociedade

Mãe de Luís Baila faleceu aos 85 anos

Maria de Lurdes Baila, mãe do jornalista oliveirense, correspondente da RTP no Brasil, faleceu ontem, com 85 anos.

Informação

Hastas públicas de madeira ardida já renderam 15,5 milhões de euros

As hastas públicas da madeira ardida nos incêndios de outubro de 2017 já renderam 15,5 milhões de euros, revelou hoje, na Marinha Grande, o presidente do Instituto da Conservação da

Última Hora

Quatro distritos sob aviso amarelo devido à chuva, granizo e trovoada

Quatro distritos de Portugal continental estão hoje sob aviso amarelo devido à previsão de aguaceiros, granizo e trovoada, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Última Hora

Região: GNR detém homem com 1.252 doses de haxixe dentro do carro

A GNR de Montemor-o-Velho deteve um homem de 45 anos, no concelho de Soure, por suspeita de tráfico de estupefacientes e apreendeu no interior do veículo do suspeito 1.252 doses

Informação

Covid-19: Portugal regista 735 mortos e 20.863 infetados

O boletim epidemiológico desta segunda-feira revela que o novo coronavírus já matou 735 pessoas em Portugal e infetou 20.863. São mais 21 mortos –  uma variação de 2.94% – em 24 horas e 657 infetados, ou

Região

Aveiro: Casal detido por tráfico de estupefacientes. Tinham mais de 2 mil doses de cannabis

Um homem e uma mulher de 22 e 23 anos, respetivamente, foram detidos pela Guarda Nacional Republicana por serem suspeitos do crime de tráfico de estupefacientes, em Vagos, distrito de Aveiro.