“Os Verdes” voltam a questionar o Governo sobre poluição no Rio Cobral
13 Fevereiro, 2020 399 visualizações

“Os Verdes” voltam a questionar o Governo sobre poluição no Rio Cobral

image_pdfimage_print

A deputada Mariana Silva, do Grupo Parlamentar Os Verdes, entregou na Assembleia da República uma pergunta, …

… em que questiona o Governo, através do Ministério do Ambiente e da Ação Climática (MACC), sobre problemas ambientais que afetam o rio Cobral, afluente do rio Mondego, que atravessa os municípios de Seia e de Oliveira do Hospital, em particular as descargas e efluentes sem o devido tratamento.

Na missiva que dirige ao governo, Mariana Silva lembra que “ já em 2004, em visita a várias freguesias percorridas por este curso de água Torroselo, Várzea (Seia) e Meruge (Oliveira do Hospital), os autarcas locais realçaram que a poluição das águas do Rio Cobral representava graves impactos na qualidade de vida das pessoas e no próprio ecossistema, apontando como causas possíveis para esta poluição descargas de efluentes, sem o devido tratamento, por algumas queijarias localizadas no concelho de Seia”.

Refere a deputada que “embora tendo sido construída uma Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR), em São Romão, concelho de Seia, com o objetivo de proceder ao tratamento dos efluentes domésticos e industriais, o problema continuou, sobretudo em épocas de maior caudal, levando Os Verdes a questionar o Governo através da pergunta n.º 1367/XII/2ª, de 6 de março de 2013, sobre este atentado ambiental que se presume tenha origem numa unidade de lacticínios”.

Na ocasião, lembra Mariana Silva, “na resposta o Ministério da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território referiu que o rio era sucessivamente fiscalizado e que entre 2006 e 2009 foram feitas 15 inspeções a queijarias, tendo sido lavrados autos de notícia em virtude de descargas sem título, em locais não autorizados ou fruto do não cumprimento de melhorias nos equipamentos de tratamento de águas residuais”.

“O governo adiantava ainda que, em 2011 a APA – ARH Centro tinha realizado um workshop com diversas entidades envolvidas nesta problemática, onde foi concluído que as autarquias de Seia e de Oliveira do Hospital e industrias dos lacticínios iriam apresentar um estudo com eventual solução conjunta, que poderia passar pela construção de uma ETAR industrial ou outro sistema de recolha e valorização deste tipo de efluentes, mas sem qualquer desenvolvimento dois anos depois”, verifica.

“Em 2013, em reunião do Partido Ecologista Os Verdes com a autarquia de Meruge, foi igualmente afirmado que a resolução do problema passaria pela construção de uma ETAR especifica, para proceder ao tratamento dos efluentes industriais provenientes das queijarias”, afirma a deputada.

Porém, Mariana Silva, constata que “na semana passada, a Junta de Freguesia de Meruge voltou a denunciar a poluição no rio Cobral, devido a descargas de efluentes, alegadamente com origem nas queijarias localizadas a montante, no concelho de Seia, e que ocorrem há cerca de 15 dias. Tal como no passado, este atentado ambiental coincide com o mesmo período das ocorrências, ou seja, numa altura de grande precipitação quando o rio leva mais caudal”.

“Segundo o autarca da Freguesia, a água do rio encontrava-se leitosa, mal cheirosa e com espuma à superfície, tendo este crime ambiental sido reportado novamente ao Serviço de Proteção da Natureza e Ambiente (SEPNA) da GNR”, refere.

Para a deputada, “o que está em causa não são as queijarias, atividade importante nesta região, mas o destino dos efluentes, alegadamente sem tratamento, que são lançados ao Rio Cobral, reduzindo, a jusante, a qualidade de vida das pessoas e a biodiversidade existente neste curso de água”.

Por isso, pergunta ao Ministério do Ambiente e da Ação Climática se “já identificou os responsáveis pelas sucessivas descargas de efluentes que ao longo dos anos têm fustigado o rio Cobral.” Entre outras questões, a deputada quer saber se está prevista a construção de alguma ETAR industrial, especificamente para proceder ao tratamento dos efluentes das queijarias localizadas no concelho de Seia e que ações o MAAC tem desenvolvido para evitar a poluição do Rio Cobral.

Anterior ARCIAL comemora 40º aniversário
Seguinte Oliveira do Hospital recebe IX Encontro(s) Cidadania e Responsabilidade Sócio-Ambiental

Notícias Relacionadas

Última Hora

Fernando Tavares Pereira renuncia ao lugar de vereador na  autarquia de Tábua

Fernando Tavares Pereira, vereador do PSD, na Câmara Municipal de Tábua, renunciou ao cargo. A informação foi avançada esta manhã pelo presidente da autarquia,…

Região

Especialistas em pragas e doenças alertam para novos “riscos” em áreas ardidas

Dirigentes e técnicos do Centro Pinus – Associação para a Valorização da Floresta de Pinho, INIAV – Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária e da FNAPF – Federação Nacional

Última Hora

Seis corporações de bombeiros combateram fogo em Lourosa

Um incêndio que teve início numa queimada na localidade de Lourosa, no concelho de Oliveira do Hospital mobilizou ao final da manhã desta sexta feira,…

Informação

Orçamento Participativo Jovem: votação nas propostas até 14 de novembro

Encontra-se a decorrer, até ao próximo dia 14 de novembro, o período de votação nas propostas apresentadas ao Orçamento Participativo Jovem, uma iniciativa da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital

Região

Arganil defende debate sobre ordenamento florestal

A Câmara de Arganil considera que várias das conclusões do relatório da comissão técnica independente sobre os incêndios de outubro de 2017 vão ao encontro da posição do município, que

Desporto

“Tivemos boa adesão e atividade em pleno ao longo do ano”

O centro desportivo RD Sports assinalou no dia 19 de março o primeiro aniversário. O espaço localizado na Catraia de S. Paio, às portas da cidade de Oliveira do Hospital,…

Informação

Casas evacuadas e pessoas feridas em incêndio industrial em Ovar

O incêndio numa fábrica em Ovar, que deflagrou esta quinta-feira de manhã, foi dado como extinto. Duas pessoas ficaram feridas e quatro foram retiradas de casa.

Última Hora

Oliveira do Hospital acolhe sessão de esclarecimento sobre Programa de Apoio à Ação Cultural

O Município de Oliveira do Hospital acolhe, amanhã, dia 22 de fevereiro, uma sessão informativa do Programa de Apoio à Ação Cultural da Direção Regional de Cultura do Centro (DRCC).

Informação

Conselho Local de Ação Social analisa novo modelo de atribuição de acordos para as respostas sociais

Decorreu na quarta-feira, 15 de março, no salão nobre dos Paços do Município de Oliveira do Hospital, uma reunião extraordinária do Conselho Local de Ação Social (CLAS)…

Informação

Região:Seis feridos em acidentes na A1 por causa de condutor em contramão

Seis pessoas, entre as quais duas crianças, ficaram feridas em acidentes de viação no domingo na autoestrada A1, perto de Condeixa, no distrito de Coimbra, causados por um condutor em

Informação

Agitação marítima e vento forte colocam distritos sob aviso amarelo

Oito distritos de Portugal continental estão hoje sob aviso amarelo devido à previsão de vento forte com rajadas que podem atingir os 100 quilómetros por hora, segundo o Instituto Português

Cultura

Presidente da República vai condecorar Aristides de Sousa Mendes com Grã-Cruz da Ordem da Liberdade

Marcelo Rebelo de Sousa anunciou em Nova Iorque que vai condecorar a título póstumo o cônsul português Aristides de Sousa Mendes com a Grã-Cruz da Ordem da Liberdade.