Médicos alertam que viseiras não substituem máscaras
5 Maio, 2020 722 visualizações

Médicos alertam que viseiras não substituem máscaras

image_pdfimage_print

A Ordem dos Médicos e o Conselho de Escolas Médicas Portuguesas alertam para os riscos que a utilização de viseiras, em vez de máscaras, representa em termos de saúde pública…

… e pedem que o governo altere a legislação.

Num comunicado conjunto, consideram que a legislação publicada a 1 de maio, que equipara as máscaras às viseiras, pode comprometer os resultados obtidos até agora no combate à pandemia da covid-19 pois a viseira “é um bom elemento de proteção a nível ocular, confere alguma proteção das vias áreas a quem a usa, mas não confere proteção às outras pessoas”.

“Não existem estudos sólidos sobre o impacto da utilização da viseira, como alternativa à máscara, na redução do risco de contágio pelo novo coronavírus em termos de infeção através das vias aéreas”, insistem.

A posição das escolas médicas e da Ordem dos Médicos está em linha com a da diretora-geral da Saúde, que na segunda-feira alertou que as viseiras de proteção facial não dispensam a utilização de máscara, considerando que, apesar da sua utilidade, devem sempre ser complementadas por um “método de barreira que permita tapar a boca e o nariz”.

“[A viseira] protege muito bem os olhos, protege muito bem o nariz, mas já não protege tão bem, porque é aberta em baixo, [as] gotículas expelidas através do espirro, da tosse, ou mesmo da fala”, explicou Graça Freitas.

A OM e o Conselho de Escolas Médicas Portuguesas recordam que quem utiliza uma máscara, “para além de se proteger, a pessoa está a proteger o outro, e vice-versa” e insistem que “a utilização de viseira não deve dispensar o uso em simultâneo de outros equipamentos de proteção individual adequados, como a máscara”.

O decreto-lei n.º 20/2020, publicado no dia 1 de maio em Diário da República, definiu a obrigatoriedade do uso de máscaras ou viseiras para o acesso ou permanência nos espaços e estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços, nos serviços e edifícios de atendimento ao público e nos estabelecimentos de ensino e creches, além dos transportes públicos.

A OM e o Conselho de Escolas Médicas recomendam que o artigo referente às máscaras e viseiras seja alterado e que passe a considerar obrigatório o uso de máscaras, reservando as viseiras para proteção adicional ou, em circunstâncias excecionais, quando for impossível o uso de máscaras.

“Numa altura em que vários estabelecimentos estão a contactar os seus clientes partilhando a informação tecnicamente incorreta, o Conselho de Escolas Médicas Portuguesas e a Ordem dos Médicos pedem que Governo reveja o diploma com caráter de urgência para não comprometer o regresso progressivo das várias atividades”, acrescentam.

Os últimos dados oficiais indicam que Portugal regista 1.063 mortos relacionadas com a covid-19 e 25.524 casos de infeção.

Anterior Município de Arganil apoia alunos do concelho no ensino à distância com aquisição de tablets
Seguinte COVID-19: GNR descontaminou cerca de 2400 ambulâncias e 70 instalações

Notícias Relacionadas

Última Hora

José Manuel Silva apresentou candidatura à Câmara Municipal de Coimbra

O ex-bastonário dos médicos José Manuel Silva é candidato à Câmara Municipal de Coimbra e disse que o que distingue o seu projeto é a independência, a liberdade de pensamento

Destaque

Foi inaugurado, em Ervedal da Beira, o monumento de homenagem à queijeira

  Esta tarde foi inaugurado, em Ervedal da Beira, o monumento de homenagem à queijeira. Amândio Torres, Secretário de Estado das Florestas esteve presente, assim como as queijeiras do concelho

Informação

Governo só apoiou um décimo das segundas habitações atingidas pelas chamas em 2017

No total, os grandes incêndios de 2017 destruíram mais de mil casas, a maioria na região Centro, mas a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro só recebeu candidaturas

Informação

Alvôco de Várzeas e Avô renovam “Bandeira Azul”. Praias fluviais terão “plano de contingência” (com áudio)

As praias fluviais de Alvôco de Várzeas e de Avô, no concelho de Oliveira do Hospital, vão voltar a hastear, este ano, a “Bandeira Azul”. O galardão, que é renovado

Última Hora

PS de Arganil cancelou apresentação de candidatura em “sinal de respeito” pelas vítimas de Pedrogão Grande

O PS de Arganil decidiu ontem cancelar a apresentação da candidatura de Rui Silva àquela Câmara Municipal que estava agendada para aquele dia “em sinal de respeito, solidariedade e apoio

Última Hora

ADSC do Vale do Cobral presta serviço social há 15 anos na freguesia de Meruge

A Associação de Desenvolvimento Social e Cultural do Vale do Cobral, responsável pela prestação de serviço social na freguesia de Meruge, foi criada …

Informação

“Não faltam verbas” para reconstruir casas destruídas pelos incêndios de 2017

A Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC) informou, no passado sábado, que mais de metade das casas destruídas pelo incêndio de outubro de 2017 estão concluídas e

Última Hora

Misericórdia de Galizes promove 3º Encontro do Desporto Adaptado

 Sexta-feira, dia 6 de abril, a Misericórdia de Galizes vai realizar o 3º Encontro do Desporto Adaptado, no Pavilhão Municipal de Oliveira do Hospital, a partir das 10 horas, inserido

Destaque

Associação quer apoiar vítimas do Maior Incêndio de Sempre em Portugal

Chama-se Associação de Vítimas do Maior Incêndio de Sempre em Portugal e foi oficialmente apresentada, na tarde do último sábado, naquela que foi um das áreas mais afetadas pelo fogo

Informação

“Dou Mais Tempo à Vida” promove “Mercado Noturno” em Oliveira do Hospital

A Rádio Boa Nova recebeu hoje as responsáveis pelo projeto “Dou Mais Tempo à Vida” que decorre até 30 de junho em Oliveira do Hospital.

Informação

Há oito distritos sob aviso vermelho devido à depressão “Helena”

Vários distritos da costa ocidental de Portugal continental estão hoje sob aviso vermelho, o mais grave, devido à previsão de agitação marítima, o que levou já ao encerramento de oito

Última Hora

Presépio avaliado em mais de 10 mil euros exposto em Viseu

Um presépio avaliado em mais de 10 mil euros foi, ontem, instalado em pleno coração da cidade de Viseu, podendo as três esculturas com mais de 400 quilogramas ser visitadas