Confirmada Covid-19 a utente de lar de Oliveira do Hospital internada em Coimbra

Uma mulher de 87 anos, utente do lar VitaMaravilha, localizado em S. Paio de Gramaços, no concelho de Oliveira do Hospital está infetada com o novo coronavírus, o COVID-19.

A informação foi confirmada, há instantes à Rádio Boa Nova, pelo presidente do Município, José Carlos Alexandrino, que adiantou que a mulher, natural de Lisboa, mas a residir no Lar de S. Paio de Gramaços, há já alguns anos,  se encontra internada no Hospital de Celas, na unidade  de ortopedia, em Coimbra, para uma intervenção cirúrgica ao cólo do fêmur, desde o dia 11 de março, contraiu o Covid-19.

À Rádio Boa Nova, José Carlos Alexandrino, lamenta a situação e mostra-se preocupado com o estado de saúde da senhora. Contudo, esclarece que idosa não terá tido contacto, nos últimos tempos, com outros utentes do lar, pelo que não haverá cadeia de transmissão com pessoas de Oliveira do Hospital.

Na fase mais crítica do contágio da Covid-19, o presidente do município de Oliveira do Hospital, enquanto presidente da CIM da Região de Coimbra já manifestou ao ministro da Administração Interna, Edurado Cabrita a sua indignação “por terem sido revogadas as diretivas da Autoridade de Saúde do âmbito local e regional”.

José Carlos Alexandrino reafirma que “não devem ser levantadas as quarentenas onde elas foram aplicadas” e defende que “os emigrantes que chegam devem todos cumpri-las, assim como os que cheguem das regiões afetadas coronavírus”.

“Só assim se vence esta guerra pela prevenção”, defende Alexandrino numa missiva que dirigiu ao governante, onde acrescenta que “um estado democrático sem autoridade é uma bandallheira”.

O autarca oliveirense e presidente da CIM da Região de Coimbra apela ao governante para que reverta a decisão.

Presidente do município fez ponto de situação em direto na rádio às 11:00h




Detetado caso positivo de Covid-19 no concelho de Gouveia

O Município de Gouveia confirmou o primeiro caso positivo de coronavírus (covid-19) no concelho através de um comunicado na sua página oficial do Facebook.

Luís Tadeu, presidente da autarquia adiantou, hoje, que se trata de uma senhora, utente de um lar e que se deslocou várias vezes ao hospital da Guarda, onde se encontra internada. Adiantou que o lar já se encontra de quarentena, mas aguarda que sejam feitos testes aos funcionários e restantes utentes daquela instituição. “

Na publicação no facebook, a autarquia adianta que “se encontram a ser tomadas todas as diligências necessárias ao isolamento deste caso, nos termos das recomendações da Direção Geral de Saúde (DGS).”

O Município de Gouveia apela à calma da população, no sentido de que “agora mais do que nunca, é necessário que continuem a adotar as medidas de isolamento social, que são a única forma eficaz de quebrar as linhas de contágio.”




Centro de Saúde adapta-se para dar resposta a possíveis casos de Covid-19

O Centro de Saúde de Oliveira do Hospital sofreu uma reorganização dos seus espaços e funcionamento, no âmbito do Estado de Emergência, de forma a estar preparado para dar resposta a possíveis casos de Covid-19 que possam surgir no concelho.

De acordo com informações disponibilizadas na página da internet da unidade de saúde, “foram definidos, nesta fase, procedimentos de receção e encaminhamento de utentes (entrada e saída) na unidade; foram reorganizados os espaços e definidos os locais para as consultas tipo (situação aguda, doença respiratória, crianças e grávidas); foram criadas salas de isolamento específicas para doentes com suspeita de infecção com Covid-19; na recepção de entrada e em todos os atendimentos dos Secretários Clínicos e Médicos (sede e extensões), foram colocados separadores em acrílico e foi colocada sinalética no piso para melhor orientação dos utentes”.

Os utentes que se desloquem ao Centro de Saúde serão atendidos na entrada do mesmo, no espaço exterior, e depois encaminhados para os respetivos espaços. A unidade encontra-se, agora, divida em duas partes. Na “linha verde”, lado esquerdo do Centro Saúde, realizam-se as consultas de intersubstituição, vacinação e cuidados de enfermagem. A “linha vermelha”, lado direito da unidade, destina-se exclusivamente a pessoas com sintomas  de doença respiratória e suspeita de infeção com Covid-19.

A consulta  de Preparação para o Parto tem sido feita por videoconferência em grupo. Também responsáveis do Centro de Saúde, Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, Fundação Aurélio Amaro Diniz e Saúde Pública têm reunido por videoconferência, debatendo medidas para prevenir o contágio de Covid-19 no concelho.

O Centro de Saúde salienta ainda que “estas e outras soluções de adaptação, só foram possíveis com a importante colaboração do Município de Oliveira do Hospital”, responsável pela colocação de um toldo na entrada da unidade, instalação de um “contentor” para instalação e desinfeção de pessoal e oferta de material de proteção como luvas e batas descartáveis.

A Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados de Oliveira do Hospital (UCSPOH) agradece ainda à SONAE por contribuir com a oferta de dez kit’s de Equipamento Protecção Individual, assim como ao restaurante “Casa dos Fragos” pela oferta de dezaseis viseiras. A Clínica INMED ofereceu ainda as fitas indicadoras/sinalética.

De referir que, a partir da próxima segunda-feira, dia 30 de março, a UCSPOH atualiza os procedimentos, com as extensões de saúde no concelho (Alvôco das Várzeas, Avô, Aldeia das Dez, Nogueira do Cravo, Seixo, Lagares da Beira e Ervedal da Beira) a encerrarem. Devido ao Plano de Contingência, os utentes/ doentes devem dirigir-se, sempre, à sede do Centro de Saúde de Oliveira do Hospital.

Também a partir de segunda feira a extensão de Nogueira do Cravo só funcionará em exclusivo e com programação médica, em consultas de vigilância de Saúde Materna, Grávidas e Saúde Infantil. Todo os outros serviços terão de ser sempre tratados na sede, de preferência por via telefone ou e-mail.

Não é permitida a permanência de acompanhantes para dentro da unidade como medida de prevenção, com exceção de motivo extremamente necessário e justificado.

No que diz respeito a receitas médicas, as mesmas devem ser solicitadas nas Juntas de Freguesia, na Sede da UCSPOH, e-mail (ucsp.ohospital@arscentro.min-saude.pt)  ou via telefónica (238 600 250) e depois receberá a respetiva receita no seu telemóvel. Brevemente estarão disponíveis mais linhas e acessos telefónicos e outros meios alternativos de contactar o Centro de Saúde.

Ainda no dia de ontem, 26 de março, foi realizada a higienização de todo o interior da UCSP – Sede em Oliveira do Hospital, com a colaboração do município oliveirense

O objetivo e principio base é, que se desloque ao Centro de Saúde só mesmo em caso de necessidade.

Para quaisquer dúvidas contacte 238 600 250 ou através do endereço ucsp.ohospital@arscentro.min-saude.pt. Poderá falar com responsáveis ou com o seu médico via chamada telefónica ou, eventualmente, por vídeo chamada. Caso tenha sintomas de Covid-19 e não consiga contactar a Linha SNS 24, pode ligar para o Centro de Saúde, onde lhe darão as indicações necessárias.

 

 




Mangualde: Capotamento de trator agrícola provoca um morto

O capotamento de um trator agrícola na Estrada Nacional 16 (EN16), em Vila Chã de Tavares, Mangualde, provocou hoje a morte a uma pessoa.

Segundo fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Viseu, o capotamento  provocou a morte a um homem de 77 anos.

No local, estiveram cinco viaturas, auxiliados por 13 operacionais, entre Bombeiros Voluntários de Mangualde, GNR e a Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER).

Segundo o CDOS de Viseu, o alerta foi dado às 15:28.




AF Coimbra oferece Monitor Multiparâmetros ao CHUC

A Direção da Associação de Futebol de Coimbra vai oferecer um Monitor Multiparâmetros com pressão Invasiva, Modelo QUBE, ao Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC).

Segundo comunicado enviado à Rádio Boa Nova, o executivo liderado por Horácio Antunes contactou a administração do CHUC que aceitou a dádiva da Associação conimbricense, neste momento particularmente sensível para a região e para o país.

O Monitor Multiparâmetros efetua a leitura dos sinais vitais do paciente, indicando em tempo real à equipa médica, através de informações no monitor e de alarmes visuais e sonoros, o estado de saúde do paciente, sendo utilizado no acompanhamento de adultos, pediátrico e neonatal.

O equipamento a instalar brevemente no CHUC foi adquirido pela Direção da Associação de Futebol de Coimbra a uma empresa especializada em recursos e equipamentos hospitalares.




Covid-19: Criada nova linha de SMS para apoiar as vítimas de violência doméstica

Face à situação excecional de saúde pública mundial e à proliferação de casos registados de contágio de COVID-19, e ao decreto de estado de emergência em Portugal, o Governo adotou, entre outras, medidas necessárias de isolamento social.

Em comunicado enviado à Rádio Boa Nova, o Gabinete da Secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade refere que o confinamento de mulheres e crianças no espaço doméstico junto com agressores pode, no entanto, agudizar o risco de estas sofrerem diversas formas de violência e limitar a sua capacidade de pedir ajuda, pelo que se torna necessário disponibilizar às vítimas novas formas de comunicação e de pedido de apoio escrito, que complementem o atual serviço telefónico de informação às vítimas de violência doméstica.

Assim, em coordenação com o Governo, a Fundação Vodafone Portugal criou uma linha de apoio com o número 3060, que permite o envio de mensagens de texto rápidas (SMS) pelas vítimas que queiram pedir ajuda. Este mecanismo, disponível a partir de hoje, é gratuito e garante a confidencialidade, uma vez que não fica qualquer registo no detalhe mensal das faturas.

Do outro lado, a responder às SMS, está a equipa especializada da Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género (CIG), de forma permanente e em articulação com toda a Rede Nacional de Apoio às Vítimas de Violência Doméstica, à semelhança do que já acontece com a linha telefónica (800 202 148) e com o novo e-mail de emergência (violência.covid@cig.gov.pt).

As vítimas de violência doméstica não estão sozinhas. A violência doméstica é um crime público. Denunciar é uma responsabilidade coletiva. Mais informação disponível no seguinte link https://www.cig.gov.pt/2020/03/covid-19-seguranca-isolamento/




Arganil triplica número de PME Excelência e PME Líder

O concelho de Arganil triplicou o número de PME Excelência e PME Líder em relação ao ano passado e são agora nove as empresas do concelho que se encontram entre as melhores do país.

Este selo de qualidade, atribuído pelo IAPMEI e pelo Turismo de Portugal, é representativo dos altos índices de competitividade e da visão estratégica que o setor empresarial do concelho de Arganil manteve ao longo de 2019.

Às empresas Construções Castanheira & Joaquim e N. F. Pegado – Empresa de Sinalização e Publicidade, que renovam o estatuto de PME Excelência, juntam-se como PME Líder as empresas Sulpastéis; Casa do Apicultor; Paula Inês Moreira Dinis, Lda.; Solargus – Via Solar; Distriarganil – Supermercados; Madeljor e Ramal Pombeiro Construções, distinguida como PME Excelência em 2018.

Segundo comunicado enviado à Rádio Boa Nova, depois de três empresas se terem destacado em 2018, o concelho de Arganil viu o número de distinções aumentar significativamente, fruto da notável capacidade que o tecido empresarial do concelho tem para se reinventar e enfrentar os desafios.

“É uma honra para a autarquia ver reconhecido o valor e o desempenho das empresas do concelho de Arganil, especialmente nesta altura menos positiva que atravessamos, causada pela pandemia da Covid-19 ”, sublinha Luís Paulo Costa, presidente da Câmara, felicitando e deixando uma mensagem de força e de confiança não só às nove empresas distinguidas, como a todos os empresários do concelho.

“Seja em que contexto for, sejam quais forem as adversidades que tenhamos de enfrentar, é importante que nunca nos falte o ânimo, a energia e a capacidade para olhar para o que de bom se fez e para o de melhor ainda se fará neste território a que chamamos nosso, pelas mãos dos nossos munícipes e dos nossos empresários”, frisa o líder do executivo.

Estas empresas são responsáveis por dezenas de postos de trabalho, que contribuem diariamente para o desenvolvimento e riqueza do território, merecendo total respeito e gratidão por parte do Município de Arganil, que vê em medidas como a isenção do pagamento da derrama o caminho certo para a valorização e crescimento do concelho.




Bispo da Guarda apela a padres que transmitam missas pela internet ou altifalante

O bispo da Guarda solicitou hoje aos padres que celebrem as missas em privado e as transmitam ao povo através da internet …

… ou por altifalante, por o culto nas igrejas estar proibido devido à pandemia da covid-19.

“Aos sacerdotes não só é autorizado, mas é também solicitado, que celebrem em privado pelo seu povo, que poderá acompanhá-los, de suas casas, através dos meios e redes sociais de comunicação, que pode ser a internet, pode ser o toque dos sinos, pode ser a difusão por altifalante, aliás, processo também utilizado pelas autoridades públicas de segurança, em algumas aldeias, para fazer recomendações, o que está certo, ou outras”, refere o bispo Manuel Felício numa nota hoje enviada à agência Lusa.

Segundo o prelado diocesano, por “celebrar em privado” entende-se “que o sacerdote celebre em sua casa ou na igreja, neste caso com porta fechada, o que não impede que seja acompanhado presencialmente por quem necessita que o ajude, respeitando sempre as regras de distanciamento social conhecidas”.

O responsável salienta que o que se passou na quarta-feira, com a transmissão de Fátima presidida pelo cardeal António Marto ou outras celebrações difundidas pelas redes de comunicação, “pode ser referência”.

Manuel Felício esclarece ainda que “estão proibidas todas as celebrações e outras manifestações da Fé e da piedade popular, em público”, exceto funerais.

“A exceção para os funerais é a de que se façam com reduzido número de pessoas, que a celebração seja breve e se realize em espaço aberto, no caso o cemitério”, lê-se.

As determinações do bispo da Guarda, “longe de infringirem as regras do estado de emergência” em que o país se encontra, “mais contribuem para a sua rigorosa aplicação”, é assinalado.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou cerca de 540 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram perto de 25 mil.

Em Portugal, registaram-se 76 mortes, mais 16 do que na véspera (+26,7%), e 4.268 infeções confirmadas, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, que identificou 724 novos casos em relação a quinta-feira (+20,4%).

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril.




Oliveira do Hospital: Realização de funerais restrita à presença de dez familiares

O Município de Oliveira do Hospital determina que nos funerais que decorram no cemitério municipal, durante o período de estado de emergência, apenas poderá estar presente um número máximo de dez pessoas, excluindo o pessoal operacional do município e das agências funerárias. Têm prioridade os familiares em primeiro grau.

Esta medida, já em vigor, resulta de um despacho do Presidente do Município de Oliveira do Hospital, José Carlos Alexandrino, nos termos do disposto no nº 2 do artigo 17.o do Decreto-Lei nº 2-A/2020, de 20 de março, e produz efeitos durante o estado de emergência, podendo ser prorrogada.

O Município de Oliveira do Hospital agradece a compreensão de todos e sublinha que esta é mais uma medida que visa proteger as pessoas, contribuindo para diminuir a probabilidade de contágio da COVID-19.

Na realização de funerais, e por razões de saúde pública, devem ainda ser observadas as seguintes regras: o caixão deve manter-se fechado durante o funeral; é recomendável que as pessoas dos grupos mais vulneráveis (crianças, idosos, grávidas e pessoas com imunossupressão ou com doença crónica) não participem nos funerais; deve ser garantida uma distância de pelo menos dois metros entre cada pessoa; é fundamental a adoção de medidas de higiene das mãos e de etiqueta respiratória, em todas as circunstâncias e os familiares devem cumprir integralmente as instruções recebidas pelas Autoridades de Saúde.




Subiu para 76 o número de mortes por Covid-19 em Portugal. Há 4 268 infetados

O número de casos de Covid-19 em Portugal subiu de 3544 para 4268  casos, esta sexta-feira. Há 76 vítimas mortais, mais 16 que ontem.

De acordo com o boletim da situação epidemiológica no país divulgado esta sexta-feira pela Direção-Geral da Saúde, o número de infetados com o novo coronavírus aumentou para 4268, dos quais 354 estão internados, 71 em cuidados intensivos, e 43 já estão recuperados.

A aguardar resultado laboratorial estão ainda 3995 casos suspeitos e 19.816 estão sob vigilância das autoridades de saúde. Desde o início da pandemia em Portugal, houve mais de 25 mil suspeitas.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, já infetou mais 505 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram cerca de 23.000.




Morreram 769 pessoas em Espanha nas últimas 24 horas. Há 9357 recuperados

Mais 769 pessoas morreram com Covid-19, nas últimas 24 horas, em Espanha, num total de 4858 vítimas mortais, desde o início da crise.

Há mais de 64 mil infetados e 9357 pessoas já recuperaram, revelou, esta manhã, o Ministério da Saúde.




Relógios adiantam uma hora na madrugada de domingo

Os relógios vão adiantar 60 minutos na madrugada de domingo, em Portugal Continental, e nos arquipélagos da Madeira e dos Açores, para a hora de Verão, segundo o Observatório Astronómico de Lisboa.

Em Portugal Continental e na Região Autónoma da Madeira, os relógios deverão ser adiantados uma hora quando for 1h00, passando a ser 2h00.

Na Região Autónoma dos Açores, a mudança será feita às 00h00, passando para a 1h00.A hora legal voltará depois a mudar a 25 de outubro, para o regime de inverno.

O atual regime de mudança da hora é regulado por uma diretiva (lei comunitária) de 2000, que prevê que todos os anos os relógios sejam, respetivamente, adiantados e atrasados uma hora no último domingo de março e no último domingo de outubro, marcando o início e o fim da hora de verão.




 54 pessoas detidas  por incumprimento do Estado de Emergência

Dando cumprimento às determinações do Decreto que regulamenta o Estado de Emergência, a Guarda Nacional Republicana e a Polícia de Segurança Pública detiveram, …

… desde ‪as 00h00 do dia 22 de março, até às 18h00 de ontem,  54 pessoas por crime de desobediência, designadamente por violação da obrigação de confinamento obrigatório e por outras situações de desobediência ou resistência.

Em comunicado enviado à Rádio Boa Nova, o ministério da Administração Interna, adianta que no mesmo período, foram encerrados 1031 estabelecimentos por incumprimento das normas estabelecidas.

O Ministério da Administração Interna reitera o apelo a todos os cidadãos para o escrupuloso cumprimento das medidas impostas pelo Estado de Emergência, contribuindo assim para conter a propagação da pandemia.




UA realiza testes de rastreio à covid-19

A Universidade de Aveiro (UA) vai realizar testes de rastreio à covid-19 em amostras biológicas recolhidas nos hospitais da região de Aveiro. Com capacidade para realizar até 200 rastreios…

… por dia ao material biológico recolhido nos estabelecimentos de saúde e enviado para a Academia, a UA quer ajudar a região e o país na luta contra a pandemia.

Em comunicado enviado à Rádio Boa Nova, a UA refere que “os primeiros rastreios vão começar dia 30 de março no Instituto de Biomedicina (iBiMED), uma das unidades de investigação da UA”. “Estão reunidas na UA as condições ideais para ajudar a região na monitorização da covid-19”, garante Artur Silva, Vice-reitor da UA para a área da Investigação. Condições essas, sublinha o responsável, que garantem a segurança não só dos profissionais que estarão envolvidos no rastreio como também da comunidade académica em geral.

Nos últimos seis anos, a UA criou um conjunto de novos laboratórios de Medicina Molecular, incluindo laboratórios para o estudo de vírus respiratórios, tendo recentemente obtido um importante projeto da União Europeia no valor de 900 mil euros, na área da virologia, em parceria com as Universidade de Leiden e de Munique.

Os novos laboratórios do Departamento de Ciências Médicas (DCM), criados no âmbito do plano de desenvolvimento do iBiMED, assegura Artur Silva, Vice-reitor da UA para a área da Investigação, “reúnem as condições recomendadas pela Organização Mundial de Saúde para a realização de testes de rastreio do SARS-CoV-2”.

Os testes serão realizados em quatro laboratórios com nível de biossegurança elevado (BSL2), com pressão negativa, ar filtrado com filtros HEPA, câmaras de fluxo laminar de nível de segurança BSL2 e sistemas de esterilização por UV. “Estes laboratórios têm ainda um sistema de esterilização térmica de material biológico que garante a destruição dos consumíveis, reagentes e amostras biológicas usadas no laboratório”, refere o responsável.

Os investigadores do iBiMED que utilizam estes laboratórios, lembra Artur Silva, são sujeitos a um exame de biossegurança e a treino específico, havendo, por esta razão, “recursos humanos treinados para a realização de investigação em ambientes de elevada biossegurança”.

Uma vez que o vírus SARS-CoV-2 pode ser inativado quimicamente no momento da recolha das amostras biológicas nos hospitais da região, que os equipamentos de processamento automático de amostras clínicas existentes nos laboratórios reduzem ao máximo a exposição dos investigadores ao SARS-CoV-2, que foi possível criar um circuito fechado para a circulação dos investigadores e de amostras clínicas e que existem kits de proteção dos investigadores, a biossegurança está garantida pela UA.




Homem de 71 anos encontrado morto dentro de um poço em Castelo Branco

O corpo de um homem de 71 anos foi, ontem, retirado do interior de um poço na localidade de Partida, Castelo Branco, disse à agência Lusa fonte da Proteção Civil.

Segundo fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Castelo Branco, foi dado o alerta, por populares, às 17h39, de que se encontrava um homem no interior de um poço, no lugar de Partida, em São Vicente da Beira.

“Para o local foram mobilizados os bombeiros de Castelo Branco, com três viaturas e sete operacionais, a Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) do Hospital Amato Lusitano (HAL) e uma patrulha da GNR”, explicou o CDOS.

Após a retirada do homem, feita pelos bombeiros de Castelo Branco, a equipa médica da VMER de Castelo Branco declarou o óbito no local.




Município de Oliveira do Hospital prorroga prazo de pagamento de faturas da água

O Município de Oliveira do Hospital vai prorrogar o prazo de pagamento das faturas da água até ao fim do surto epidemiológico que está a afetar o país, criando também condições para que possam posteriormente ser pagas em prestações.

Suspensos estão também o corte e selagem de contadores de água e  execuções fiscais originadas por atrasos de pagamento.

O Município de Oliveira do Hospital suspendeu os pagamentos presenciais, mas esta medida não invalida, porém, que os munícipes que queiram ter os pagamentos em dia o façam, utilizando para isso o pagamento por multibanco, payshop, transferência bancária ou débito direto.

São abrangidas por esta prorrogação as faturas de fornecimento de água, saneamento e resíduos sólidos, emitidas a partir de Fevereiro.

O Município também decidiu – e por igual período – suspender o pagamento de rendas de fogos de habitação municipal e outros espaços municipais.

Com estas medidas, que serão alvo de permanente avaliação, o Município de Oliveira do Hospital pretende essencialmente aliviar os efeitos económicos da pandemia nas famílias e  atividades económicas.

Como medida de prevenção destinada a proteger os cidadãos  da COVID-19, o Município de Oliveira do Hospital tem vindo também a intensificar a desinfeção de espaços e equipamentos públicos, onde se regista maior afluência de pessoas, como unidades de saúde, supermercados, farmácias, bancos, etc.




Oliveira do Hospital: Deram negativo os três testes realizados à COVID-19 (com vídeo)

Os três primeiros testes realizados a pessoas suspeitas de infeção por COVID- 19 no concelho de Oliveira do Hospital tiveram resultado negativo.

Em direto na Rádio Boa Nova, via Skype, o presidente do Município de Oliveira do Hospital sossegou a população, informando que, “neste momento, não há casos positivos no concelho”.

Na fase crítica da pandemia de COVID-19 no país, José Carlos Alexandrino confirmou esta manhã o falecimento, esta quarta, de uma “senhora de 83 anos” natural de Meruge, a quem foi diagnosticado o novo coronavírus, que “vivia “há já algum tempo em Coimbra com uma filha e o genro”. “Temos informação de que a senhora ultimamente não teve contactos no concelho. A senhora faleceu em Coimbra e frequentava uma IPSS”, referiu o autarca oliveirense, que apresentou as “condolências à família”.

Esta manhã, o autarca referiu, contudo que “não vale a pena entrarmos em pânico”. “Até ao momento, não temos nenhum caso positivo”. “Ainda ontem, um caso com que estávamos preocupados em Aldeia das Dez, deu negativo. No dia de ontem tivemos três testes. Um de Vila Franca da Beira que tinha um quadro sintomático com grande apneia e dois casos de Aldeia das Dez que deram negativo”, informou José Carlos Alexandrino a propósito dos primeiros testes de despiste ao novo coronavírus realizados a pessoas do concelho.

Para que o concelho de Oliveira do Hospital venha a registar “o impacto mínimo”, José Carlos Alexandrino, apela a que todos tenham “uma atitude responsável”.

Atualmente, no concelho encontram-se 18 pessoas em vigilância ativa, acompanhados pela delegada de saúde e médicos assistentes. “Tenham confiança!”, referiu o autarca. “Temos 61 pessoas de quarentena, das quais 39 regressaram do estrangeiro e 22 de outras zonas do país”, informou José Carlos Alexandrino, valorizando o “trabalho fantástico dos bombeiros voluntários, centro saúde, médicos, enfermeiros e da proteção civil”. “Eu próprio tenho falado com os que apresentam quadro clínico com febre, tosse e corpo dorido. Até agora os testes são negativos, não quer dizer que amanhã não possamos….. Estamos a fazer todos os esforços”, referiu ainda.

Para evitar o contágio, José Carlos Alexandrino, vai avançar com um despacho com vista ao fecho dos “cafés que pensam que têm a lei do lado deles”. “Quero alertar os cafés que devem fechar, não devem promover os ajuntamentos. Farei hoje um despacho, já que tenho competência dos horários do pequeno comércio, de abertura às 09h00 e fecho às 09h01. Não me importa quem goste e quem não goste. Na prática terão que estar fechados”, referiu.

“Continuamos a ver muita gente, nalgumas aldeias nas ruas como se o vírus não possa lá chegar. É uma atitude absolutamente irresponsável. Temos todos que combater estes comportamentos de risco”, disse também José Carlos Alexandrino, que já pediu à GNR para passar nessas aldeias, onde vai também avançar com mensagens sonoras. “As pessoas que têm trabalhos agrícolas não correm nenhum risco, não há problema nenhum. Podem ir, desde que no caminho não contactem ninguém. Estão ao ar livre”, esclareceu, informando que podem também sair para ir à farmácia e comprar bens essenciais.

Aos emigrantes, José Carlos Alexandrino apelou para que se resguardem, não se devendo expor, nem viajar. Caso optem por regressar ao concelho, o autarca garante que “são todos bem vindos, desde que cumpram as regras.” “O que queremos é que cumpram a quarentena e não vão visitar as suas famílias. Durante as viagens podem também apanhar o vírus”, avisou.

Questionado sobre a situação dos camionistas, José Carlos Alexandrino disse estar “apreensivo” porque “alguns têm sintomas de tosse e febre”.  Adiantou que, por recomendação do Gabinete de Crise, a maioria (sem sintomas) fica três ou quatro dias e tem acatado as recomendações. “Sairá um despacho que clarificará a situação dos motoristas” referiu o autarca à Rádio Boa Nova, notando porém que “não podemos parar o país, se não morremos à fome”. “Estamos a seguir muito atentamente todos os motoristas que chegam a Oliveira do Hospital. Muitos dizem que não contactam com as pessoas, apenas carregam as cargas e trazem as guias. Temos alguns motoristas no concelho com sintomas ligeiros, a esses temos dito para ficarem os 14 dias”, afirmou.

Na Rádio Boa Nova, José Carlos Alexandrino, que é também presidente da Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra garantiu estar em contacto com o governo, tendo em vista a realização de testes rápidos de despiste do novo Covid-19 de forma mais célere.

“A todos os oliveirenses apelo para que fiquem em casa. Em casa o vírus não vai entrar, nem vos vai matar”, concluiu o autarca, que assegurou que o município está também atento à situação dos lares, em particular dos utentes que se desloquem para hemodiálise e que terão que ficar em quarentena.

“Esta guerra é de todos nós, mas acredito que a vamos vencer. Eu gostaria que Oliveira do Hospital fosse um grande exemplo, em que quando chegássemos ao final fossemos dos concelhos com menos infetados. Isso para mim seria fantástico e para todos nós”.




Câmara de Penacova quer reduzir ou isentar pagamento de água durante período de Estado de Emergência

Humberto Oliveira, presidente do Município de Penacova, tornou hoje público que na próxima reunião da Câmara Municipal apresentará um conjunto de medidas de apoio social às famílias penacovenses.

Entre essas medidas consta a possibilidade de reduzir ou isentar, durante o período de Emergência Nacional, o pagamento das faturas de água, saneamento e resíduos sólidos urbanos.

De lembrar que o Município de Penacova se encontra em processo de saída da APIN – Empresa Intermunicipal do Pinhal Interior Norte E.I.M. e que, nesse âmbito, será proposto à empresa – logo que se confirme a decisão a tomar em Assembleia Municipal de amanhã, dia 27 de março – que não seja emitida qualquer faturação desde janeiro aos consumidores do concelho de Penacova.

Nessa situação, a responsabilidade de faturação caberá ao Município de Penacova, havendo condições, neste período de Emergência Nacional, para uma proposta de isenção ou redução do pagamento dos três serviços: abastecimento de água para consumo humano, tratamento de águas residuais e recolha de resíduos sólidos urbanos.”




Nelas: Cerca de 25 pessoas de quarentena, incluindo presidentes de Junta e da Câmara

Cerca de 25 pessoas de Nelas, incluindo os presidentes de Junta e da Câmara, encontram-se em quarentena devido ao risco de propagação do novo coronavírus.

A informação foi avançada hoje à agência Lusa pelo presidente da Câmara, Borges da Silva, que justificou a medida com o facto de o teste realizado ao seu chefe de gabinete, Luís Pinheiro, ter sido positivo.

Segundo Borges da Silva, no concelho de Nelas há cinco pessoas infetadas, todas na freguesia de Canas de Senhorim. Aos três casos que já estavam identificados, de um homem e de uma mulher residentes em Vale de Madeiros que se deslocaram a França entre os dias 04 e 14 e de um homem que esteve em Ovar, juntam-se o de uma filha daquele casal e o de Luís Pinheiro.

Contactado pela Lusa, Luís Pinheiro, que é também presidente da Junta de Freguesia de Canas de Senhorim, explicou que chegou a Madrid no dia 05 e regressou a Portugal no dia 09, sem qualquer sintoma.

Regressado a Portugal, Luís Pinheiro retomou o seu trabalho e nunca teve sintomas de estar com a covid-19.

Segundo Luís Pinheiro, as suas análises ao sangue e o exame ao tórax não acusaram nada, mas, na terça-feira, foi surpreendido por um telefonema a informar que o teste ao novo coronavírus tinha dado positivo, até contra-análise, e pediram-lhe para ficar isolado.

Desde o regresso de Madrid, Luís Pinheiro reuniu com os presidentes de Junta, no final da semana passada, e com Borges da Silva e os coordenadores dos vários setores da Câmara, na segunda-feira de manhã (o teste foi feito à tarde).

Borges da Silva contou à Lusa que “houve uma reunião com os presidentes de Junta para lhes dar conta do acionamento do plano de emergência municipal e do conjunto de medidas que estavam a ser tomadas” e que Luís Pinheiro “estava a preparar a resposta que a Câmara tinha que dar, de retaguarda social, aos casos de diagnóstico positivo”.

Segundo o autarca, no que respeita aos coordenadores, na segunda-feira houve três reuniões do plano de contingência “com vista a definir as medidas que estavam pedidas relativamente a cada um dos setores da Câmara”, mas “com as mesmas pessoas”.

As cerca de 25 pessoas que participaram nas reuniões em que esteve Luís Pinheiro encontram-se em quarentena, incluindo ele próprio, os sete presidentes de Junta, os coordenadores e os adjuntos, acrescentou.

Borges da Silva sublinhou que, “nos últimos 15 dias, a Câmara tem estado praticamente a trabalhar em teletrabalho e, portanto, no edifício multiúsos não estava praticamente ninguém e no edifício da Câmara estavam seis a oito pessoas”.

Apesar disso, e “para dar confiança aos restantes trabalhadores e aos munícipes”, hoje será feita “uma desinfeção profunda da Câmara e do pavilhão multiúsos”, acrescentou.




Arganil avança com desinfeção de espaços públicos quando as autoridades de saúde o determinarem

A desinfeção de espaços públicos está entre as medidas de combate à propagação da Covid-19 e defesa da saúde pública previstas pela Câmara Municipal de Arganil, mas apenas quando as indicações das autoridades de saúde forem nesse sentido.

A posição da Direção-Geral da Saúde, de acordo com informação divulgada nesta quarta-feira, é a de que “não existe evidência, neste momento, para a recomendação da utilização dos produtos biocidas para a desinfeção de espaços públicos exteriores, nomeadamente ruas”.

Em comunicado enviado à Rádio Boa Nova, a autarquia adianta que, eEm estreita articulação e permanente contacto com a Direção Regional da Saúde e a Proteção Civil, Luís Paulo Costa, presidente do Município, assegura que as ações de desinfeção serão prontamente acionadas quando se justificar, defendendo a importância de considerar informações devidamente validadas pelas entidades competentes.

“Os serviços municipais estão preparados para avançar com esta solução onde e quando for necessário, mas, atendendo à situação atual vivida no concelho, as autoridades de saúde consideram ser ainda prematuro”, esclareceu Luís Paulo Costa, acrescentando que “uma ação de desinfeção não previne o que surge amanhã ou no dia seguinte”.

Nesta fase, é importante que as pessoas não fiquem com uma falsa sensação de segurança e continuem a ter os cuidados redobrados de higiene como forma de prevenção do contágio: lavagem e desinfeção frequente das mãos, evitar contactos sociais desnecessários, manter pelo menos um metro de distância em relação a outras pessoas quando e sempre que tiver de sair de casa.

As medidas adotadas pelo Município de Arganil para evitar a propagação do vírus estão em linha com as orientações da autoridade regional de saúde, a Direção-Geral da Saúde e com o Plano de Contingência da autarquia, em vigor desde o dia 6 de março.

Recorde-se que Arganil regista um caso de convid-19 até ao momento. Trata-se de uma profissional de saúde que reside no concelho mas que trabalha no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra. Em isolamento desde que os primeiros sintomas se manifestaram, a munícipe está a ser acompanhada pelas autoridades de saúde e a sua situação clínica é favorável.




Lar Sant’Ana em “isolamento social” como medida de prevenção de Covid-19

 O Lar Sant’Ana, em Oliveira do Hospital, está em “isolamento social” como medida de prevenção face ao Covid-19.

Em comunicado enviado à Rádio Boa Nova, a administração do lar refere que “os seniores merecem toda a dedicação” e, por esse motivo, lançaram a todos os colaboradores da Sant’Ana – Residência Sénior um desafio: “isolamento social para prevenir a infeção pelo Novo Coronavírus, SARS-CoV-2”.

“Temos todo o orgulho em afirmar que esse desafio foi aceite por todos aqueles cuja vida o permitiu. Assim, desde o dia 17 de março que a Sant’Ana – Residência Sénior está em isolamento, sendo os contactos com o exterior limitados ao indispensável, nomeadamente abastecimento de géneros alimentares”, refere, adiantando que “os colaboradores encontram-se hospedados no Hotel Solar do Rebolo, que dista a cerca de 100 metros, é propriedade da mesma empresa e está encerrado ao público, servindo exclusivamente para este propósito”.

“Tal apenas é possível com um grande esforço, empenho e dedicação dos colaboradores que prescindem, desde aquela data, de irem para suas casas e estar com as suas famílias. Por este motivo, queremos deixar aqui expresso o nosso profundo agradecimento a todos os nossos colaboradores e respetivas famílias por este esforço assinalável pois, sem eles, aquilo que estamos a fazer seria impossível”, concluiu a administração da unidade.




Covid-19: Subiu para 60 o número de mortes em Portugal. Há 3.544 infetados

A pandemia da Covid-19 matou em Portugal 60 pessoas até esta quinta-feira, dia 26 de março. De acordo com os dados da Direção-Geral da Saúde (DGS) há ainda 3.544 pessoas infetadas com o novo coronavírus.

O número de óbitos subiu de 43 para 60 em relação ao último balanço da DGS, feito esta quarta-feira, ou seja, são mais 17 mortos em 24 horas.

No que diz respeito ao número de infetados, estes aumentaram para 3544, mais 549 em relação a ontem.

O número de casos de recuperação bem sucedidos também aumentou para 43.

A autoridade de saúde revelou que, nesta altura, aguarda-se pelo resultado laboratorial de 2145 testes. O total de casos suspeitos é de 22.257 desde o dia 1 de janeiro.

Os dados da DGS mostram ainda que dos 3544 infetados, 191 estão internados. 61 encontram-se na Unidade de Cuidados Intensivos. A grande maioria está a recuperar em casa




Espanha regista mais 655 mortos nas últimas 24 horas

A Espanha ultrapassou as 4 mil mortes por Covid-19, depois de ter registado mais 655 mortes nas últimas 24 horas.

São, concretamente, 4.089 as vítimas mortais desta doença, e o número de infetados atingiu hoje os 56.188, dos quais 32 mil estão hospitalizados. O número de doentes recuperados é de 7 mil.

O estado de emergência no país mantém-se até dia 12 de abril.

Na totalidade do país há 3.679 pessoas em unidades de cuidados intensivos, 16,2% mais do que no dia anterior




Covid-19: Fase de mitigação entrou hoje em vigor em Portugal

A fase de mitigação da pandemia da Covid-19 entrou hoje em vigor em Portugal, por determinação da Direção-Geral da Saúde (DGS), envolvendo todo o sistema de saúde, público e privado.

A preparação dos hospitais e centros de saúde para a covid-19 está definida numa norma que estabelece o modelo de abordagem da pessoa com suspeita de infeção ou com infeção, durante a despistagem, o encaminhamento e o tratamento dos casos.

A fase de mitigação é a terceira e a mais grave fase de resposta à doença covid-19 e é ativada quando há transmissão local, em ambiente fechado, e/ou transmissão comunitária.

A resposta é focada na atenuação dos efeitos da doença e na diminuição da sua propagação, minimizando nomeadamente a mortalidade associada.

Nesta fase, os doentes ligeiros ficam em casa, os moderados vão aos centros de saúde, os graves, mas não críticos, são encaminhados para os hospitais e os críticos são internados.

Centros de saúde e hospitais terão de dispor de áreas dedicadas à doença covid-19.

Nos hospitais com serviços de pediatria, “poderá ser adequado a reorganização dos serviços” para “dedicar unidades hospitalares exclusivamente ao tratamento de doentes com covid-19 em idade pediátrica, após ser esgotada a capacidade de resposta dos hospitais de referência identificados para o tratamento dos doentes covid-19 em idade pediátrica”.

De acordo com a norma da DGS para a fase de mitigação, fazem testes de despistagem à covid-19 as pessoas com suspeita de infeção, isto é, que apresentam sintomas como febre, tosse persistente ou tosse crónica agravada e dificuldade respiratória.

Contudo, em caso de não ser possível testar toda a gente com suspeita de covid-19, a DGS definiu uma cadeia prioritária: primeiro, são os doentes com critérios de internamento hospitalar; segundo, os recém-nascidos e as grávidas; terceiro, os profissionais de saúde com sintomas.

Seguem-se os doentes com comorbidades (como asmáticos, insuficientes cardíacos, diabéticos, doentes hepáticos ou renais crónicos, pessoas com doença pulmonar obstrutiva crónica e doentes com cancro) ou pessoas com imunidade mais frágil; e as pessoas em situação de maior vulnerabilidade, como residentes em lares ou que estão em unidades de convalescença.

Por último, são testadas as pessoas em contacto próximo com estes doentes.

A pandemia do novo coronavírus matou já pelo menos 20.599 pessoas em todo o mundo desde seu aparecimento em dezembro na China.

Mais de 447 mil casos de infeção foram oficialmente diagnosticados em 182 países e territórios desde o início da epidemia.

Entre esses casos, pelo menos 104.300 são hoje considerados curados pelas autoridades de saúde.

Em Portugal há atualmente 43 mortes, mais 10 do que na terça-feira (+30,3%), e 2.995 infeções confirmadas, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, que regista 633 novos casos em relação à véspera.

Dos infetados, 276 estão internados, 61 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 22 doentes que já recuperaram.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril.

Além disso, o Governo declarou no dia 17 o estado de calamidade pública para o concelho de Ovar.




Idosa de Meruge que residia em Coimbra morre vítima de Covid-19 no Centro Hospitalar de Coimbra

Uma mulher de 83 anos, natural de Meruge, mas que se encontrava  a residir em Coimbra com familiares faleceu ontem, no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, vítima de COVID-19.

A notícia é avançada pelo jornal Folha do Centro na sua edição online.

De acordo coma publicação, a vítima encontrava-se atualmente a residir na casa de uma filha, em Coimbra, depois de lhe ter sido diagnosticada uma doença do foro oncológico.

Fernanda Paulino era utente de uma IPSS de Coimbra, que frequentava na valência de Centro de Dia, e terá sido aí que nas últimas semanas terá sentido os primeiros sintomas, nomeadamente vómitos e febre.

Familiares contaram ao Folha do Centro que a mulher ainda terá ido para o Centro de Dia, nos dias seguintes à primeira indisposição, tendo recorrido às urgências do CHUC assim que os sintomas se agravaram. Adianta o jornal, que à mulher foi diagnosticada “uma infeção pulmonar, mas recebeu alta hospitalar”. “Apenas dois dias depois do primeiro episódio de ida urgências e de um almoço em família, a mulher denunciava novos sintomas, levando os familiares a acionar o INEM. Foi aí que foi testada positiva para o novo coronavírus”, adianta a notícia.

A mulher encontrava-se internada há cerca de 15 dias na UCI dos Hospitais da Universidade de Coimbra, onde mantinha contacto telefónico com os filhos e os netos. A filha e o genro, com quem vivia, também estão em isolamento, com sintomas de Covid 19.