BLC3 desenvolve tecnologia que “inativa num minuto 99,9% do coronavírus no ar”
30 Julho, 2020 965 visualizações

BLC3 desenvolve tecnologia que “inativa num minuto 99,9% do coronavírus no ar”

image_pdfimage_print

O projeto liderado pela BLC3 e em parceria com a Universidade do Minho e as Faculdades de Farmácia da Universidade de Lisboa e de Coimbra, desenvolveram uma nova tecnologia e conhecimento no combate à Covid 19.

Em comunicado enviado à Rádio Boa Nova, a BLC3 liderado pelo jovem investigador João Nunes, adianta que “em um minuto, de 16.982 partículas de vírus SARS-CoV-2, numa amostra apenas cinco partículas não foram inativadas (“mortas”, em termos de senso comum), o que deu um resultado de 99,97% e ao fim de cinco e 15 minutos obteve-se uma inatividade total, 100%, e sem qualquer variação no comportamento do vírus”.

Segundo informação partilhada pelo Campus de Tecnologia e inovação, com sede em Lagares da Beira, no concelho de Oliveira do Hospital, o procedimento “foi efetuado em 27 amostras diferentes, sendo resultados todos validados cientificamente”.

“Para este trabalho, foi também importante o contributo de médicos do Centro de Saúde de Oliveira do Hospital. Tecnologia baseada na natureza, onde ao estudarmos o comportamento dos vírus, de forma geral, um dos seus pontos mais fracos e que não conseguiu evoluir ao longo de milhares de anos, foi na resistência à radiação solar”, refere o comunicado.

A tecnologia AT MicroProtect desenvolvida é “baseada em um conceito novo de “física inversa”, que integra um sistema de emissão de comprimentos de ondas, de forma controlada e orientada, muito mais eficiente que a radiação solar, novo princípio da mecânica de fluidos aplicado ao escoamento e propagação do vírus em termos aéreos, com o desenvolvimento de algoritmo matemático e físico sobre o comportamento do vírus”.

A BLC3 lembra que “o vírus SARs-COV-2 está na origem da pandemia Covid-19 e uma das formas mais perigosas e menos controláveis de se transmitir entre as pessoas é pela via do ar. Assim, é prioridade de aplicação da tecnologia à proteção dos profissionais do setor da saúde, meios de transportes aéreos e terrestres, interiores de edifícios ocupados por um elevado número de pessoas, como aeroportos e centros comerciais. Também é possível aplicar à hotelaria e restauração e outros locais onde exista o problema de qualidade do ar interior”.

Foi ainda desenvolvido “um sistema e câmara de proteção entre profissionais de saúde e utentes e um modelo de criação de zonas de antecâmara nos hospitais para a realização mais seguro do processo de tiragem. Por último, o projeto está já avançar na aplicação da tecnologia a outros vírus e bactérias multirresistentes”, informa a BLC3

O projeto AT MicroProtect na BLC3, teve início a 14 de março,logo no início da Pandemia Covid-19. “Apesar de só ter sido, recentemente, anunciado pela organização Mundial de Saúde os problemas e perigos da transmissão pela via aérea, este princípio já estava na preocupação e início de trabalhos do consórcio. “Em três semanas foi desenvolvido o conhecimento e tecnologia, tendo sido depois necessário algum tempo para poder ter acesso e chegar a Portugal estirpes do vírus SARS-COV-2 isoladas e certificadas para que se pudesse validar, cientificamente, todo o conhecimento e tecnologia desenvolvida”, explica o comunicado

Para o efeito, o consórcio conseguiu o o apoio de um laboratório Americano no acesso ao vírus isolado, laboratório esse que também fornece amostras de vírus para o desenvolvimento de vacinas a nível mundial. “O consórcio teve acesso a uma estirpe isolada de Hong Kong (início da pandemia) e outra dos USA (fase final da pandemia). Por último, e em cooperação com uma universidade Italiana, tivemos acesso a uma estirpe isolada de Itália (fase intermédia da pandemia)”.

João Nunes, coordenador do projeto, refere que: “o vírus por si só não tem inteligência e nós, seres Humanos, temos inteligência e conhecimento. Essa é a melhor arma que podemos usar contra o vírus e as pandemias. Não se pode esperar só por uma resposta de vacinas e medicamentos perante uma situação de vírus aéreos, que também será importante. Quer para esta pandemia como para outras: temos de aprender a estar preparados de outra forma para novas pandemias que surjam no futuro e ganhar capacidade rápida de agir contra esta, porque ainda não é certo quando teremos vacina. Este é um importante exemplo de trabalho no setor da saúde em formato multidisciplinar, onde se juntou o conhecimento da Engenharia Mecânica, Física, Microbiologia e Virologia. Trabalhámos todos pela primeira vez em conjunto, tendo sido uma experiência extraordinária e quase sempre à distância e em formato virtual”.

“Hoje temos um conhecimento científico de base muito aprofundado sobre o comportamento deste vírus. Isto permitirá o desenvolvimento de mais tecnologia e conhecimento e expandir aplicação a outros vírus e bactérias alvo de interesse para a segurança e saúde pública: está como uma das próximas prioridades e também realizar demonstração tecnológica à escala real”, acrescenta João Nunes.

O responsável pela BLC3 alerta, contudo, que “estão a ser usadas tecnologias de UV de forma incorreta, sem resultado e que podem colocar em causa a saúde pública. Primeiro, é preciso conhecer muito bem o comportamento do vírus e das tecnologias que se usam”.

Segundo o comunicado enviado à Rádio Boa Nova, a exploração dos resultados comerciais será usada para criar condições e um laboratório de trabalho conjunto ibérico (podendo e sendo objetivo alargar ainda a outros países europeus) para que se criem melhores condições de trabalho de investigação e com maior capacidade e velocidade de trabalho. Para este tipo de investigação e capacidade de resposta urgente é preciso ter modelos de gestão de investigação diferentes, com ciclos de 2 turnos a 3 turnos (24 horas) de equipas a trabalhar, que têm de estar já previamente treinadas e concebidas para esse efeito, pois não se pode esperar que um investigador esteja continuamente a trabalhar 12 a 16 horas/dia e que depois tenha capacidade para desenvolver novo conhecimento.”

 

Esta manhã no programa “outras Conversas” da Rádio Boa Nova, João Nunes referiu que a tecnologia começou a ser preparada no dia 14 de março orientada para proteção dos profissionais de saúde, evoluindo para a população em geral.

João Nunes adiantou que o contágio do Covid-19 também acontece pelo ar, referindo por isso que a contaminação pode ocorrer a nível ocular. Na Rádio Boa Nova, o presidente do Conselho de Administração da BLC3 adiantou que a primeira implementação na nova tecnologia acontecerá no Centro de Saúde de Oliveira do Hospital , havendo já solicitações de vários sectores da actividade económica interessados em implementar a tecnologia.

A tecnologia está agora em fase de certificação. João Nunes espera que até Setembro seja dado aval para implementação da tecnologia, tendo já a BLC3  avançado com um candidatura tendo em vista o necessário financiamento.

Anterior Filarmónica de Arganil assinalou 167 anos com apresentação de cinco novos executantes
Seguinte Fogo na Covilhã volta a estar dominado

Notícias Relacionadas

Destaque

Câmara Municipal de Oliveira do Hospital opõe-se à prospeção e pesquisa de minerais

O Município de Oliveira do Hospital já manifestou a sua oposição,junto da Direção Geral de Energia e Geologia, ao pedido de atribuição de direitos de prospeção …

Destaque

Assembleia Municipal aprova “voto de reconhecimento” aos oliveirenses pelo esforço na recuperação após incêndio

A Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital acaba de aprovar, por unanimidade, um “voto de reconhecimento ao executivo Municipal de Oliveira do Hospital (MOH),…

Informação

PS conseguiu melhor resultado de sempre nas autárquicas. O PSD o pior.

Ontem, o PS alcançou o melhor resultado de sempre em eleições autárquicas. Já o PSD ficou-se pelo pior resultado de sempre, sem que Pedro Passos Coelho …

Politica

João Duarte eleito presidente da Concelhia do CDS-PP de Oliveira do Hospital (notícia atualizada com áudio)

No passado dia 1 de agosto decorreu a eleição dos novos órgãos concelhios do CDSPartido Popular, com João Ricardo Duarte a ser eleito presidente da estrutura partidária de Oliveira do

Informação

Mulher encontrada morta dentro de um poço em Nelas

Uma mulher de 61 anos foi, ontem, encontrada morta dentro de um poço, na localidade de Vilar Seco, em Nelas, distrito de Viseu.

Informação

Fátima acolhe 1ª. peregrinação internacional desde o início da pandemia

O Santuário de Fátima acolhe hoje e sábado a peregrinação internacional aniversária de junho, presidida pelo bispo auxiliar de Lisboa, Américo Aguiar, a primeira com a presença de peregrinos… …

Região

Interior Centro esteve hoje acima do limite de concentração de ozono

A zona Centro Interior do país excedeu hoje o limiar de concentração de ozono entre as 6h00 e as 7h00, informou a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro

Destaque

“Missão Sorriso” premiou projeto SER da UCC Pinheiro dos Abraços

A Unidade de Cuidados na Comunidade (UCC) Pinheiro dos Abraços viu, hoje, o seu mérito reconhecido pela Missão Sorriso-Continente, que atribuiu um prémio de mais de 25 mil Euros ao projeto

Última Hora

Último maio foi o mais quente já registado no planeta

O mês de maio foi o mais quente registado em relação ao mesmo período nos anos anteriores no planeta, segundo o serviço europeu de mudanças climáticas Copernicus, que registou temperaturas

Última Hora

Temperatura sobe no fim de semana

O fim de semana vai ser marcado pelo bom tempo, com temperaturas acima dos 30 graus em algumas regiões do país e sem precipitação.

Destaque

CADIP presta apoio ao desenvolvimento infantil e parental em Oliveira do Hospital (com vídeo)

A cidade de Oliveira do Hospital conta, desde há sete meses, com um espaço de apoio à criança e às relações familiares, mas também aos adultos e seniores. Trata-se do

Última Hora

Hospital da FAAD retoma consultas e exames na próxima semana

Terminado o Estado de Emergência, em vigor até sábado, dia 2 de maio, o hospital da Fundação Aurélio Amaro Diniz, no concelho de Oliveira do Hospital, vai retomar as consultas