Ana Abrunhosa entende que “se critério da população continuar”, o Interior está “condenado”
27 Novembro, 2019 1085 visualizações

Ana Abrunhosa entende que “se critério da população continuar”, o Interior está “condenado”

image_pdfimage_print

A ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, disse hoje que o país precisa de alterar os critérios de criação…

… de serviços públicos para inverter a perda de população nos territórios do interior.

Na Guarda, na sessão comemorativa do Dia da Cidade, Ana Abrunhosa afirmou que “enquanto no país não mudarmos os critérios que presidem à criação dos serviços, e que presidem ao que quer que seja, os territórios do Interior vão sair sempre a perder”.

Segundo a ministra, a “primeira coisa” a fazer no país é “alterar os tradicionais critérios que levam à criação de tribunais, que levam à ampliação de centros de saúde, escolas, porque não há desenvolvimento do Interior enquanto forem estes os critérios a presidir às decisões políticas”.

“É a primeira grande mudança que temos que fazer, sob pena de termos um país abandonado, mas depois o preço que pagamos por esse abandono é bem mais elevado. Lembremo-nos dos incêndios, apenas”, concluiu a governante no seu discurso.

No final da sessão, em declarações aos jornalistas, Ana Abrunhosa referiu que para a criação de serviços o critério considerado é, “em geral”, o critério da população.

“Se continuar a ser esse critério da população a presidir à escolha do local dos serviços, estes territórios [do Interior] estão sempre condenados e, portanto, vão estar sempre a perder população, nunca vamos conseguir contrariar este círculo vicioso”, justificou.

Daí que, na sua opinião, “os critérios têm que mudar”, até porque os territórios do Interior “dão muito ao país”. “Dão a boa água, dão o bom ar, dão os bons alimentos e, portanto, o país tem uma dívida com estes territórios”, rematou.

Na sua intervenção, Ana Abrunhosa referiu ainda que o Governo tem um Ministério para a Coesão Territorial “para garantir que o Interior está próximo, que o Interior tem uma voz, que o Interior será ouvido”.

Disse ainda que o Interior “é muito diverso” e afirmou que não acredita que “seja só com medidas transversais”, como a redução das portagens nas autoestradas e dos impostos para as famílias e para as empresas, que seja alterada a realidade atual dos territórios mais desfavorecidos.

“Elas [as medidas] são importantes, não estou com isto a dizer que não as defendo, mas acredito que é olhando para cada território ‘per si’, tendo em conta as suas especificidades. Também não acredito que é com 100 projetos ou 100 anúncios que conseguimos alterar a realidade. É um passo de cada vez”, declarou.

E, a rematar, a titular da pasta da Coesão Territorial afirmou: “Mas uma coisa eu acredito: é que a transformação, a revitalização destes territórios, tem que ter como âncora estas cidades [como a Guarda]. E, depois, também não podemos esquecer os territórios rurais, para os quais temos que ter projetos concretos”.

Anterior «Racismo e a Não discriminação» esteve em debate na Cerâmica Arganilense
Seguinte Cabeça Aldeia Natal é ainda mais genuína e ecológica

Notícias Relacionadas

Última Hora

Alandra apresenta “A noite é nossa” na Rádio Boa Nova

Alandra apresenta hoje no programa “Peça que Passa”, de Zé Conde, o seu primeiro disco intitulado “A noite é nossa”.

Educação

GNR realiza operação “Regresso às Aulas 2019”

A partir de hoje, dia 10, e até ao dia 20 de setembro, a Guarda Nacional Republicana (GNR), em todo o território nacional, realiza um conjunto de ações de sensibilização

Região

IPG premiado em concurso nacional de empreendedorismo

O Politécnico da Guarda foi distinguido no Concurso Nacional Poliempreende 2019 com o projeto “Hydroponic Evolution Farm”.

Última Hora

Greve motoristas: Trabalhadores vão deixar de cumprir requisição civil e serviços mínimos

O porta-voz do Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP), Pardal Henriques, anunciou, na manhã desta quarta-feira,…

Região

COVID-19: Hospitais de Coimbra já confecionaram 450 botas e 700 cogulas

O Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), face à dificuldade de obter alguns dos componentes dos equipamentos de proteção individual, já confecionou 450 botas e 700 cogulas nas suas

Destaque

Incêndio em Andorinha combatido por 250 bombeiros e sete meios aéreos está em fase de resolução

Um incêndio florestal, na localidade de Andorinha, na freguesia de Travanca de Lagos, no concelho de Oliveira do Hospital, que teve início pelas 14h05 desta quinta feira está já em

Destaque

“Em vez de seis meses parecem seis dias. Foi tudo demasiado rápido e com desafios permanentes…”

Passaram seis meses após o grande incêndio, mas para o presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, José Carlos Alexandrino parece que passaram “seis dias”.

Informação

ASAE apreende 78 carcaças de animais por abate clandestino

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica executou nos últimos dias um conjunto de operações de fiscalização no âmbito do combate ao abate clandestino, tendo em conta o risco para

Última Hora

BLC3 destacada como projeto de investimento pela União Europeia

A BLC3- Campus de Tecnologia e inovação, foi destacada entre os sete mais importantes exemplos de projetos de investimento em Portugal pela União Europeia, no âmbito do InvestEU.

Última Hora

Aqua Village Health Resort & Spa vence 10 prémios internacionais

Portugal tem o melhor Resort de Águas Termais do Mundo. O prémio pertence ao Aqua Village Health Resort & Spa, …

Destaque

Eptoliva comemora 25 anos

O ensino profissional está de parabéns no concelho de Oliveira do Hospital e na região. A Eptoliva comemora hoje, dia 11 de novembro, 25 anos desde a sua fundação.

Informação

Covid-19: Município de Oliveira do Hospital ativa Plano de Contingência

O Presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, José Carlos Alexandrino, aprovou na passada sexta-feira, dia 6 de março, o Plano de Contingência – COVID-19.