Provedora apela aos feridos para entregarem pedidos de indemnização

Provedora apela aos feridos para entregarem pedidos de indemnização

image_pdfimage_print

A Provedora de Justiça, Maria Lúcia Amaral, apelou hoje às pessoas que ficaram gravemente feridas nos incêndios florestais do ano passado para entregarem os requerimentos para poderem ser indemnizadas.

O apelo de Maria Lúcia Amaral surge no seguimento da publicação em Diário da República do relatório do Conselho para a Indemnização das Vítimas de Incêndios que fixa o universo e os critérios para o pagamento das indemnizações aos feridos graves dos incêndios florestais ocorridos entre 17 e 24 de junho e 15 e 16 de outubro de 2017.

Em comunicado, a Provedora de Justiça apela aos interessados “para que façam chegar os seus pedidos”, lembrando que os requerimentos devem ser apresentados até 30 de maio.

Na sequência dos critérios fixados pelo Conselho, “será sempre necessário que o requerente se submeta a exame pericial, para avaliação do dano corporal, o qual será realizado, com caráter de urgência, pelo Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses”, explica Maria Lúcia Amaral.

Analisado o requerimento, e recebido o relatório da perícia e a restante documentação, a Provedora de Justiça proporá o montante da indemnização a pagar em cada caso concreto de forma expedita.

Os requerimentos podem ser entregues diretamente à Provedora de Justiça, na junta de freguesia ou câmara municipal do lugar de residência, ou em consulado português para quem resida no estrangeiro.

Foram definidas “cinco situações em que alguém afetado pelo incêndio pode ser considerado ferido grave”, tendo o conselho explicado que estão abrangidos ferimentos físicos e corporais”, mas também danos de natureza psíquica.

Três destas cinco situações referem-se a feridos graves com internamento hospitalar: com dano permanente que se revista de relevância funcional ou estética, por um período não inferior a 30 dias ou com verificação de perigo de vida (estado de coma ou necessidade de ventilação assistida), ou com lesão que provoque dor em grau considerável.

As restantes situações são “danos psiquiátricos permanentes com repercussão considerável na autonomia pessoal, social ou profissional da vítima” e a “perda ou diminuição permanentes da utilização de qualquer dos sentidos ou funções”.

Relativamente aos valores que podem ser atribuídos, Sousa Ribeiro deu o exemplo do caso do dano da dor, que tem grau máximo de sete, o valor máximo fixou-se 10 mil euros e no dano estético em 15 mil euros.

 

A Provedora de Justiça recebeu 287 requerimentos referentes a 112 vítimas mortais dos incêndios florestais.

Fonte: Lusa

Previous Paulo Rogério defende o "Renascer das Cinzas" na Feira do Queijo de Oliveira do Hospital
Next 11 detenções, 846 infrações e 73 acidentes no distrito de Coimbra

Artigos Relacionados

Informação

Resultados desportivos de fim-de-semana

O Futebol Clube de Oliveira do Hospital (FCOH) empatou, ontem, por uma bola frente ao Eirense. O empate, que marcou a décima sétima jornada do Campeonato da Divisão de Honra

Última Hora

Sampaense Basket consegue a sua primeira vitória

Sampaense Basket consegue a sua primeira vitória  na casa do Eléctrico FC em Ponte de Soure por 75-79. Uma vitória suada e arrancada só no terceiro e quarto períodos. Com

Região

Coimbra: Despiste de moto fez um morto

Um homem com idade entre os 40 e os 45 anos perdeu, ontem a vida, na sequência de um despiste de motociclo. 

Última Hora

Região: Homem detido por violência doméstica com armas de fogo apreendidas

O Comando Territorial da Guarda, através do Núcleo Investigação de Apoio a Vítimas Específicas, deteve na passada segunda-feira, na Covilhã, um homem por suspeita de violência doméstica.

Última Hora

Eptorádio: Quarta temporada arrancou no dia em que a EPTOLIVA comemora 28º aniversário (com vídeo)

O Programa de rádio da Eptoliva iniciou hoje a 4ª temporada, em direto, na Rádio Boa Nova.  Cátia Viegas, professora…

Região

Folk in Arganil realiza-se a 14 de julho

A Praça Simões Dias, em Arganil, proporciona no dia 14 de julho de 2019, uma noite animada por folclore internacional.

Última Hora

Homem morre atropelado por comboio em Montemor-o-Velho

Um homem morreu, esta tarde, atropelado por um comboio junto ao apeadeiro de Formoselha, em Montemor-o-Velho, distrito de Coimbra.

Última Hora

Introdução de “raças exóticas” põe em risco Queijo Serra da Estrela, alerta a Confraria

O Grande Conselheiro da Confraria do Queijo Serra da Estrela, Pedro Couceiro, foi hoje o convidado no noticiário das 12h00 da Rádio Boa Nova.

Última Hora

Câmara avança com inquérito para avaliar qualidade das refeições escolares

A vereadora da Educação do Município de Oliveira do Hospital, Graça Silva, informou na última reunião da Assembleia Municipal, que “vai passar um inquérito”…

Última Hora

Região: Prisão preventiva para traficantes de estupefacientes 

A Polícia Judiciária, através da Diretoria do Centro, deteve um homem e uma mulher, com 23 e 58 anos de idade, fortemente indiciados…

Última Hora

Luta contra o plástico marca Dia Mundial do Ambiente

O apelo para a mudança de comportamentos está hoje no centro das iniciativas de associações, empresas, autarquias e Governo, no Dia Mundial do Ambiente, …

Última Hora

Despiste de viatura perto de Viseu provoca um morto

Um homem de 56 anos morreu ontem à noite na sequência do despiste da viatura que conduzia na zona de Viseu.