Pedrógão: Sobe para dez o número de arguidos em caso de apoios a casas destruídas pelo incêndio

Pedrógão: Sobe para dez o número de arguidos em caso de apoios a casas destruídas pelo incêndio

O número de arguidos envolvidos no inquérito sobre a reconstrução de casas em Pedrógão Grande subiu de quatro para dez, todos eles requerentes de apoio.

Segundo a Procuradoria-Geral da República (PGR), depois de ter sido anunciado em setembro que havia quatro arguidos, o número sobe agora para dez, todos eles “requerentes de apoios”, no âmbito do inquérito que investiga “irregularidades relacionadas com a reconstrução e reabilitação dos imóveis afetados pelos incêndios de Pedrógão Grande”.

De acordo com a nota publicada pelo Departamento de Instrução e Ação Penal (DIAP) de Coimbra em setembro, em investigação “estão factos suscetíveis de integrarem os crimes de corrupção, participação económica em negócio, burla qualificada e falsificação de documento”.

Em causa estão denúncias feitas por duas reportagens, uma da Visão e outra da TVI, que aludiam a situações eventualmente ilegais na atribuição de fundos para a reconstrução de habitações afetadas pelo incêndio de 2017, que deflagrou em Pedrógão Grande.

As duas reportagens referiam que casas que não eram de primeira habitação foram contempladas com obras em detrimento de outras mais urgentes e também que casas que não arderam foram reconstruídas com fundos solidários.

A presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro, Ana Abrunhosa, disse não ter dúvidas sobre os procedimentos formais, mas, ainda assim, enviou para ao Ministério Público 21 processos para análise.

O presidente da Câmara de Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, Valdemar Alves, também negou estas acusações, mas enviou igualmente para análise um conjunto de processos.

O Conselho de Gestão do Fundo Revita revelou, em outubro que, das 259 casas de primeira habitação selecionadas para reconstrução devido aos incêndios de junho de 2017, sete processos vão ser alvo de “reavaliação por parte dos municípios”.

O presidente da Câmara de Pedrógão Grande anunciou ter pedido a saída do Conselho de Gestão do Fundo Revita, estrutura criada pelo Governo na sequência do incêndio de junho de 2017 naquele concelho.

Além da sua saída, Valdemar Alves optou por substituir Bruno Gomes, antigo vereador e técnico do município que coordenava o gabinete responsável pelos processos de reconstrução de casas destruídas pelo fogo e que tinha assento na comissão técnica do Revita.

Recorde-se que o incêndio que deflagrou em 17 de junho de 2017, no concelho de Pedrógão Grande, e que alastrou depois a concelhos vizinhos, provocou 66 mortos e 253 feridos, sete deles com gravidade, tendo destruído cerca de 500 casas, 261 das quais eram habitações permanentes, e 50 empresas.

Previous Greve das cantinas fecha escolas de Lagares, Ponte das Três Entradas e sede do Agrupamento em Oliveira do Hospital
Next Município de Penacova em Cerimónia Comemorativa do Centenário do Armistício em França

Artigos Relacionados

Destaque

Altice quer abrir “Call Center” em Oliveira do Hospital

A multinacional francesa Altice tem em curso, através da empresa Randstad, a fase de recrutamento, com vista à instalação de uma unidade “Call Center” em Oliveira do Hospital.

Nacional

País: Mais de 520 mil utentes vão passar a ter médico de família em agosto

Cerca de 525 mil portugueses até aqui sem médico de família vão passar a ter um clínico atribuído tendo em conta os 276 novos médicos…

Última Hora

“Em Pedrógão via-se muita coisa verde…aqui não se vê nada verde em milhares de hectares”, referem especialistas em fogo

O grupo de especialistas em fogo que, na terça-feira, se deslocou a Oliveira do Hospital e outros locais da região fortemente afetados …

Última Hora

Morreu a mulher que foi violada e vítima de agressão no Bairro João Rodrigues Lagos em Oliveira do Hospital

A mulher que, a 7 de maio de 2016, foi violada e vítima de agressão quase até à morte por um vizinho, no Bairro João Rodrigues, morreu ontem. As cerimónias

Informação

GNR realizou mais de 2 300 transportes de órgãos humanos desde 2010

A Guarda Nacional Republicana (GNR) realizou 2 303 transportes de órgãos humanos desde 2010 até à data, registando-se um aumento de registos no ano passado relativamente a 2017.

Nacional

Outono chegou atrasado e com chuva

Esta quinta-feira parece ter chegado o outono, com uma notória descida da temperatura e o regresso, já anunciado, da chuva.

Cultura

Comédia revisteira na Casa da Cultura César Oliveira no feriado municipal

No âmbito das comemorações do Feriado Municipal de Oliveira do Hospital, no dia 7 de outubro, a Casa da Cultura César Oliveira recebe a comédia revisteira…

Informação

Assembleia Municipal arranca com voto de pesar pelo falecimento de Alexandre de Brito Gouveia

Decorre desde cerca das 14h30 desta sexta feira a sessão ordinária da Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital. O arranque dos trabalhos ficou marcado …

Desporto

Sampaense apresentou-se para a nova época no regresso à LPB

O Sampaense Basket apresentou-se oficialmente este domingo, em jogo amigável frente ao Illiabum (70-86). Uma partida onde o resultado era o que menos interessava e o objectivo era consolidar a

Nacional

ICNF cria aplicação para autorização de queimas e queimadas seguras

O Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) anunciou hoje a criação de uma aplicação informática para autorização de queimas e queimadas seguras,…

Destaque

Hoje assinala-se o Dia Internacional do Bombeiro

Hoje, no dia em que se assinala o Dia Internacional do Bombeiro, as corporações dos Bombeiros Voluntários do concelho de Oliveira do Hospital atravessam um momento “estável”, …

Informação

ADIBER aposta em site mais apelativo e funcional

A ADIBER – Associação de Desenvolvimento Integrado da Beira Serra tem disponível um novo site na internet, no endereço www.adiber.pt, o qual se apresenta com uma imagem mais moderna, apelativa e