Pedrógão Grande: Livro sobre o concelho é dedicado às vítimas do incêndio
23 Julho, 2018 1333 Views

Pedrógão Grande: Livro sobre o concelho é dedicado às vítimas do incêndio

image_pdfimage_print

Um livro de divulgação dos valores culturais e naturais de Pedrógão Grande, que os autores dedicam às vítimas do incêndio de 17 de junho de 2017, é apresentado nesta vila do distrito de Leiria amanhã, 24 de julho.

Segundo Aires Barata Henriques, que produziu ‘Pedrógão Grande e o Cabril, de encantos mil’ em coautoria com Nuno Soares, trata-se de um contributo para as pessoas conhecerem melhor o concelho “naquilo que ele tem de melhor, a sua história, a água das albufeiras do Cabril e Bouçã e a natureza”.

Editada pela Câmara Municipal, presidida por Valdemar Alves, a obra é também uma homenagem “a todos quantos lutam pela defesa da floresta e amam a natureza”, bem como “aos que apostam no renascimento do Vale do Zêzere”, devastado pelos fogos e por décadas de êxodo das populações rurais.

Através deste livro, numa edição de 500 exemplares, “melhor se revela a beleza e imponência de todo o Vale do Zêzere, a oriente da Serra da Lousã, por onde um dia – que antecedeu o nascimento de Portugal – deambularam heróis reais e se suscitaram as mais fantásticas lendas”.

Na opinião de Aires Barata Henriques, este trabalho monográfico deve servir, designadamente, para apoiar a candidatura de Pedrógão à Rede de Castelos e Muralhas do Mondego, enquanto “linha de defesa sul do Condado Portucalense”, da qual o concelho passou a fazer parte em 1135.

Com 370 páginas, o livro pode ainda reforçar o “trabalho da Agência para o Desenvolvimento da Serra da Lousã e dos sete concelhos que a integram”, e o “enquadramento da Rota da Princesa Peralta que, partindo de Conímbriga (Condeixa), acaba em Pedrógão e no Cabril”, entre outras propostas.

“Este trabalho é fruto que nasce da semente que é a História, que devemos aproveitar para nos conhecermos melhor enquanto pedroguenses e, assim, penetrarmos nas nossas raízes e no nosso passado, pois tornamo-nos melhores quando sabemos donde viemos”, afirma o autarca Valdemar Alves, num texto inserido na publicação.

Os autores pretenderam recolher e investigar “tudo o que consideravam importante para o concelho”, no norte do distrito de Leiria, onde há um ano deflagrou o incêndio florestal em que morreram 66 pessoas e mais de 200 ficaram feridas.

O livro é apresentado pelo historiador Saul António Gomes, professor da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, no salão nobre dos Paços do Concelho de Pedrógão Grande, na terça-feira, feriado municipal, às 17h00.

Fonte: Lusa

Previous Calema trouxeram "boa energia e esperança" a Oliveira do Hospital (com vídeo)
Next Alexandrino promete presença de artista internacional na próxima EXPOH

Artigos Relacionados

Última Hora

Município sensibilizou lojistas sobre eficiência energética e gestão de resíduos (com vídeo)

Hoje, 5 de junho, assinala-se o Dia Mundial do Ambiente. Em Oliveira do Hospital, a data fica marcada com a realização de uma ação…

Última Hora

Guarda: colisão na A25 provoca dois mortos

Duas pessoas morreram hoje na sequência de uma colisão na autoestrada A25 (Aveiro – Vilar Formoso), próximo da Guarda.

Última Hora

ANCOSE procede à terceira fase de entrega de borregas aos criadores afectados pelos incêndios

A ANCOSE- Associação Nacional de Criadores de Ovinos Serra da Estrela, vai proceder amanhã, 2 de fevereiro, pelas 14h30, na sede de Associação, à terceira fase de entrega de Borregas

Informação

Oliveira do Hospital promoveu Feira do Queijo Serra da Estrela em Viseu

O Município de Oliveira do Hospital realizou ao final da tarde de sábado, uma ação promocional da Feira do Queijo Serra da Estrela, no Palácio do Gelo, em Viseu.

Última Hora

Oliveira do Hospital renova galardão de “Autarquia Mais Familiarmente Responsável”

O Município de Oliveira do Hospital foi mais uma vez distinguido como “Autarquia Mais Familiarmente Responsável 2016”  – um galardão atribuído pelo Observatório das…

Destaque

Seis meses após o grande incêndio: Alexandrino considera que “há aqui um tempo de esperança”

Há seis meses, o grande incêndio de 15 de outubro tirou-lhe o “sonho de poder transformar Oliveira do Hospital”, mas o presidente do Município não se deixa desarmar pela tragédia,

Informação

Autarca de Oliveira do Hospital reivindicou IC6 e arranjo das EN 17 e 230 a António Costa

O presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, com o congénere de Seia, reivindicou ontem ao primeiro ministro António Costa…

Informação

Município hasteou Bandeiras “Cidades de Excelência”, ECOXXI e Familiarmente Responsável. Avô galardoada “Vila de Excelência”

A cidade de Oliveira do Hospital e a vila de Avô foram galardoadas, na passada sexta-feira, com a Bandeira “Cidades e Vilas de Excelência – Nível III”, “uma distinção altamente

Educação

Diretor do Agrupamento de Escolas tranquiliza os pais sobre os livros escolares. Aulas iniciam a 16 de setembro (com vídeo)

Carlos Carvalheira, diretor do Agrupamento de Escolas de Oliveira do Hospital, esteve hoje em entrevista na Rádio Boa Nova, onde apresentou…

Informação

Associação de Vítimas confiante no “diálogo” com o governo para alteração de medidas discriminatórias

O presidente da Associação de Vítimas do Maior Incêndio de Sempre em Portugal (AVMISP) disse que saiu “parcialmente satisfeito” da reunião com o Primeiro Ministro, hoje realizada.

Destaque

José Carlos Alexandrino foi eleito presidente da CIM da Região de Coimbra

A Comunidade Intermunicipal (CIM) Região de Coimbra elegeu, hoje, por unanimidade o presidente da Câmara de Oliveira do Hospital, José Carlos Alexandrino, como presidente do Conselho Intermunicipal. O autarca oliveirense,

Região

Sexta vítima mortal encontrada a 200 metros do local da explosão

Foi encontrada, esta quarta-feira de manhã, uma sexta vítima mortal da explosão que destruiu uma fábrica de pirotecnia, em Lamego. Corpo estava a 200 metros do local.