Incêndios de outubro: Mais de metade das causas foram intencionais ou negligentes

Incêndios de outubro: Mais de metade das causas foram intencionais ou negligentes

image_pdfimage_print

Segundo o relatório da Comissão Técnica Independente entregue ontem no parlamento, “em termos de grandes grupos de causas (…) 40% tiveram origem em reacendimentos, 40% em causas intencionais e 20% em negligentes”.

Os elementos da comissão técnica admitem que as causas intencionais “são as que apresentam maior dificuldade na compreensão e na antecipação, por não ser conhecido o seu móbil, exceto posteriormente, se capturado e obtida confissão dos autores”.

Quanto às causas negligentes, “são já bastante mais previsíveis e podem permitir a atuação por antecipação”, refere o relatório.

“A renovação da pastagem é uma causa frequente no nosso país”, indica o documento, acrescentando que ela pode ser “antecipada através do uso do fogo em momentos adequados e previstos na regulamentação”.

Nas causas negligentes os técnicos incluem a ignição com origem nas linhas elétricas, afirmando que, neste caso particular, em que terá sido provocada por queda de uma árvore sobre uma linha de média tensão, “pode resultar do não cumprimento do regulamento de segurança das linhas elétricas pela entidade gestora, a EDP”.

“Trata-se, neste caso, de situações devidamente regulamentadas e cujo cumprimento pode só por si evitar situações deste tipo e todas as suas consequências”, acrescenta o relatório.

Os reacendimentos são outra das causas “bastante importantes” nestas ocorrências, referem os técnicos, sublinhando que são situações em que “o desempenho no combate tem que ser nitidamente melhorado, nomeadamente através da implementação de ações de rescaldo e de vigilância adequadas”.

“A utilização adequada de máquinas de rasto para a consolidação de rescaldos, por operadores devidamente formados e acompanhados, com verificação dos perímetros com maior risco de deflagração e expansão, nomeadamente através da utilização de câmaras de infravermelhos, e a vigilância armada nesses locais, deverão ser medidas a implementar em todas as situações com potencial de deflagração de grandes incêndios”, acrescenta.

O relatório da Comissão Técnica Independente relativo aos fogos de outubro envolveu oito distritos das regiões Centro e Norte.

O documento conclui que falhou a capacidade de “previsão e programação” para “minimizar a extensão” do fogo na região Centro, perante as previsões meteorológicas de temperaturas elevadas e vento.

O relatório acrescenta que a Autoridade Nacional de Proteção Civil pediu um reforço de meios para combater estes incêndios devido às condições meteorológicas mas não obteve “plena autorização a nível superior” e a atuação do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) foi “limitada” por falhas na rede de comunicações.

Os peritos consideram que tem de haver das autoridades “flexibilidade para ter meios de previsão e combate em qualquer época do ano” e defendem a criação de uma unidade de missão para reorganizar os bombeiros.

Fonte: Lusa

Previous Rádio Boa Nova comemorou 32 anos de “resiliência e adaptação” (Com vídeo)
Next Relatório aponta falhas e "dramático abandono" das populações

Artigos Relacionados

Destaque

“Solidariedade, agradecimento e renascimento ” marcam Festa do Queijo de Oliveira do Hospital

A pretender renovar o epíteto já conseguido em anteriores edições de “maior Feira do Queijo de Portugal”, a Festa do Queijo de Oliveira do Hospital realiza-se neste fim de semana,…

Região

Guarda: Homem detido pelo crime de pornografia de menores agravado

A Polícia Judiciária (PJ), através do Departamento de Investigação Criminal da Guarda, identificou e deteve um homem com 28 anos de idade, fortemente indiciado pela prática reiterada, ao longo de

Destaque

Colisão envolveu três viaturas em Oliveira do Hospital

Cerca das 14h00 desta terça-feira ocorreu uma colisão, que envolveu três viaturas ligeiras, no centro da cidade de Oliveira do Hospital, junto à rotunda do empresário, …

Região

11 detenções, 681 infrações e 65 acidentes no distrito de Coimbra

O Comando Territorial de Coimbra procedeu, de 26 de junho a 2 de julho, a várias operações, no distrito de Coimbra, como a prevenção e o combate à criminalidade violenta

Informação

Presidente da República vai  passar fim de ano em Oliveira do Hospital e em Vouzela

A presidência da República confirmou, hoje, a presença de Marcelo Rebelo de Sousa, em Oliveira do Hospital, no fim de ano. Marcelo Rebelo de Sousa vai ainda marcar presença…

Última Hora

Cerca de 200 crianças vão recriar “Terço Humano” em Oliveira do Hospital

A Catequese de Oliveira do Hospital realiza, na próxima sexta-feira, 25 de maio, pelas 21h30, o “Terço Humano”. A iniciativa, que vai contar com o envolvimento de cerca de 200

Sociedade

A Indústria Madeireira foi também esta tarde homenageada em Ervedal da Beira

A Indústria Madeireira foi esta tarde homenageada em Ervedal da Beira com a inauguração de um monumento simbólico numa rotunda da localidade. Na cerimónia, o presidente da Junta de Freguesia,

Informação

Carta de condução com novas regras a partir de Janeiro 2017

A partir de Janeiro, os condutores não vão ter de alterar a carta de condução quando mudam de morada, já que passa a ser considerada a que está registada no

Desporto

FCOH – Já é conhecida a nova equipa técnica para o futebol sénior

O FCOH, que este ano vai disputar o Distrital de Honra da AFC, deu a conhecer através do seu facebook oficial, que está praticamente constituída a nova equipa técnica do

Informação

“Não faltam verbas” para reconstruir casas destruídas pelos incêndios de 2017

A Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC) informou, no passado sábado, que mais de metade das casas destruídas pelo incêndio de outubro de 2017 estão concluídas e

Região

Vindimas facilitam integração de novos alunos na Agrária de Coimbra

A vindima é uma das atividades de integração dos novos alunos da Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Coimbra (ESAC-IPC).

Última Hora

Fibra Óptica chega a Oliveira do Hospital, mas está longe de servir todo o concelho

A Meo está a proceder à instalação de uma rede de fibra ótica no concelho de Oliveira do Hospital, ficando limitada numa primeira fase à cidade e freguesias limítrofes, num