Góis acolhe cinco refugiados sírios oriundos de Alepo

Góis acolhe cinco refugiados sírios oriundos de Alepo

image_pdfimage_print

O município de Góis acolheu hoje cinco refugiados sírios de etnia curda e “está empenhado” na sua integração.Lurdes Castanheira, presidente da Câmara de Góis disse à agência Lusa que se trata de uma família oriunda da cidade de Alepo, um casal e três filhos menores, que ficam alojados numa habitação que pertence à Câmara Municipal de Góis.

“É tudo novo, para nós também. Faremos o melhor para que se sintam em família” neste concelho do interior do distrito de Coimbra, afirmou Maria de Lurdes Castanheira, frisando que existem “diferenças culturais enormes” entre os portugueses e os povos daquela região do Médio Oriente.

Estes cidadãos de Alepo são amigos de um refugiado da mesma cidade do norte da Síria, que se fixou com a família nos últimos anos em Miranda do Corvo, onde foram apoiados pela Fundação ADFP, a que preside o médico social-democrata Jaime Ramos.

Do grupo agora instalado em Góis, os três filhos menores têm entre cinco e 15 anos.

O homem, de 33 anos, teve as profissões de taxista e jardineiro, enquanto a mulher é doméstica e tem 35 anos.

Encontravam-se há cerca de dois anos num campo de refugiados, na Turquia, de onde partiram na quarta-feira num voo para Lisboa, tendo viajado depois numa viatura da autarquia para Góis, onde chegaram depois das 21h00.

Na capital, foram cumpridas diversas formalidades legais por parte do Alto Comissariado para as Migrações (ACM) e do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

A sua nova habitação, um T3, “foi toda preparada há três meses” para o efeito, disse a autarca do PS.

Na manhã de hoje, após uma receção pela presidente, nos Paços do Concelho, os novos residentes de Góis foram fazer compras no comércio local, com apoio do compatriota radicado em Miranda do Corvo, que tem ajudado também na tradução.

Técnicos da Câmara acompanharam igualmente os cinco sírios numa visita à vila, a fim de lhes dar a conhecer os Bombeiros, escolas, farmácia, Centro de Saúde, Finanças, banco, Correios e Segurança Social, entre outros serviços.

Nesta família, nenhum dos seus membros fala português ou inglês. Eles dominam sobretudo o árabe e o curdo, mas o pai e o filho mais velho falam também turco.

“Estamos na expectativa, é um desafio para nós”, declarou Lurdes Castanheira, presidente de um município montanhoso com pouco mais de 4.000 habitantes e que, tal como outros concelhos vizinhos, não parou de perder população desde meados do século XX.

A autarquia, “nesta fase, deverá dar o exemplo e criar uma oportunidade” para a integração desta família, fazendo mesmo esforços para assegurar o primeiro emprego aos seus elementos em idade ativa, com envolvimento de outras entidades locais, defendeu.

 

Há dois anos, quando a cidade de Alepo era flagelada pelos conflitos militares da guerra civil na Síria, a Câmara de Góis disponibilizou-se para acolher refugiados do país, tendo feito a sua inscrição com esse objetivo na Plataforma de Apoio a Refugiados (PAR).

Previous 'Guitarra Chillout' ecoa 45 anos de Liberdade na Pampilhosa da Serra
Next Fique a par do calendário desportivo

Artigos Relacionados

Região

ADIBER com apoios para as explorações agrícolas até 17 de fevereiro

Decorre até ao dia 17 de fevereiro o período de candidaturas para o apoio à diversificação da atividade na exploração agrícola, no âmbito da implementação da Estratégia Local…

Última Hora

Arganil altera Projeto de Requalificação do Espaço Público

O Município de Arganil vai apresentar a alteração ao Projeto de Requalificação do Espaço Urbano Público da Vila, nomeadamente a reabilitação do centro histórico, dia 11 de abril, no Salão

Última Hora

Mulher atingida a tiro por ex-marido em Nelas

Um homem de 39 anos tentou, esta quarta-feira feira de manhã, cerca das 10.30 horas, matar a ex-mulher, da mesma idade, na zona industrial de Nelas.

Informação

PJ deteve oito suspeitos de tráfico de estupefacientes em Seia e outras localidades de Coimbra e Viseu

Cinco homens e três mulheres foram detidos através do Departamento de Investigação Criminal da Guarda da Polícia Judiciária, …

Sociedade

Mais de 800 condutores detidos pela GNR na ‘Operação Carnaval 2019’

Mais de 800 condutores foram detidos por excesso de álcool durante a “Operação Carnaval 2019” da GNR, 238 dos quais apresentavam uma taxa igual ou superior a 1,2 g/l,…

Última Hora

Incêndio destruiu casa desabitada em Gavinhos de Baixo

Um incêndio ocorrido ontem à noite, cerca das 22h00, destruiu uma casa desabitada em Gavinhos de Baixo, no concelho de Oliveira do Hospital.

Informação

Meio Mundo é ponto de venda do livro “Dia 15” editado pela Rádio Boa Nova

O livro “Dia 15”, lançado e editado pela Rádio Boa Nova, está disponível para compra, pelo valor de 10 Euros, na papelaria e livraria Meio Mundo, na cidade de Oliveira

Informação

Três meses depois do fogo, ainda falta repor 5 por cento da rede de comunicação

Passados três meses dos incêndios de outubro, a Altice assume ainda não ter conseguido repor, na totalidade, as comunicações nas zonas afetadas.

Última Hora

Turismo Centro de Portugal quer atrair produções de cinema à região

O Turismo Centro de Portugal apresenta no dia 16 de outubro, pelas 12h00 no Seminário Maior de Coimbra, o “Centro Portugal Film Commission”,…

Informação

Nogueirense disputa 1ª Eliminatória da Taça de Portugal com o Mortágua

A Associação Desportiva Nogueirense defronta o Mortágua na primeira eliminatória da Taça de Portugal, que se joga no dia 4 de setembro. O sorteio realizou-se ontem.

Última Hora

Município de Oliveira do Hospital assinala o Dia Internacional dos Museus

O Município de Oliveira do Hospital associa-se às comemorações do Dia Internacional dos Museus/ Noite nos Museus que se comemora, anualmente, a 18 de maio.

Última Hora

CCPOH em 3º lugar no campeonato distrital de sub-21 da ATM Coimbra

Oito anos passados sobre a última participação nos campeonatos distritais dos escalões jovens da Associação de Ténis de Mesa de Coimbra (ATMC), o Clube de Caça e Pesca de Oliveira