EXPOH é “montra da vitalidade e dinâmica do concelho” até 30 de julho
22 Julho, 2017 1614 Views

EXPOH é “montra da vitalidade e dinâmica do concelho” até 30 de julho

Foi sob o cunho do que melhor se faz e existe no concelho de Oliveira do Hospital que, ao final da tarde de hoje, foi dado o arranque da EXPOH 2017, certame que decorre no Parque do Mandanelho até 30 de julho. Esquecidas não ficaram porém as acessibilidades, em particular o IC6, com o presidente da Câmara Municipal a apelar ao secretário de Estado das Autarquias Locais, Carlos Miguel, para que seja “interlocutor” na resolução destes “problemas fundamentais”.

inaug expoh2

A acontecer pela primeira vez no verão de 2010, no primeiro mandato de José Carlos Alexandrino, a EXPOH cumpre a partir de hoje uma nova edição. O objetivo, garantiu o autarca, é servir de montra da “vitalidade e dinâmica económica e social” do concelho. A fazer um balanço positivo do caminho percorrido à frente do executivo, notando que a grande conquista “foi atrair fundos comunitários” – decorrem obras em todo o concelho num investimento na ordem de “cinco milhões de Euros” –  José Carlos Alexandrino verificou que o futuro passa pelo desenvolvimento económico alicerçado no Turismo e captação de investimento. A incomodar o autarca continua porém o tema das acessibilidades, pelo que apelou ao secretário de Estado das Autarquias Locais para que seja interlocutor na resolução do problema.

Este ano, a organização da EXPOH decorre em parceria com a ADI. José Francisco Rolo, presidente daquela estrutura apreciou os cerca de 200 expositores  que são representativos da “riqueza e capacidade produtiva” do concelho, que apresenta uma “balança comercial favorável” e conta com um tecido empresarial gerador de emprego. Deu o exemplo da indústria de confeções, que permite que em Oliveira do Hospital se façam os “melhores fatos do mundo”. Sobre a própria EXPOH, Rolo notou que o objetivo é que  se consiga um evento “dinâmico e atrativo”. “Que seja um espaço com vida e de oportunidades de negócio”.

Em Oliveira do Hospital, o secretário de Estado das Autarquias Locais recuou em 40 anos para notar que as exigências ao poder local “evoluíram” e que o “desenvolvimento económico  da região é uma prioridade”. Carlos Miguel defendeu a articulação entre o poder local e o governo para “se chegar mais rapidamente e eficientemente às pessoas”. A felicitar a organização da EXPOH, o governante disse, em declarações à Rádio Boa Nova, que o IC6 não está esquecido entre os elemementos do governo.

Intervenções que marcaram o arrranque da EXPOH no Parque do Mandanelho. O certame decorre até 30 de julho.

Previous PJ deteve suspeito de pornografia de menores em Fornos de Algodres
Next Obrigado por estarem connosco. www.radioboanova.pt

Artigos Relacionados

Última Hora

Oliveira do Hospital comemora a Revolução dos Cravos

O Município de Oliveira do Hospital vai assinalar o 44.º aniversário do 25 de Abril de 1974 com uma sessão solene evocativa esta quarta-feira, a partir das 10h30 nos Paços

Sociedade

Utentes desesperam por consulta no SAP do Centro de Saúde de Oliveira Hospital

Dezenas de utentes, entre os quais crianças, desesperam por uma consulta no Serviço de Atendimento Permanente (SAP) do Centro de Saúde de Oliveira do Hospital.

Informação

Centro Hospitalar de Coimbra com nova técnica cirúrgica

O serviço de Ortopedia do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) iniciou um novo programa de artroplastias totais da anca através da utilização de uma técnica cirúrgica inovadora, desenvolvida

Última Hora

Incêndio alerta para lixeira dentro de casa

Um alerta para incêndio numa casa da Vila Ferreira, no Loreto, em Coimbra, revelou a existência de uma lixeira no interior da habitação.

Última Hora

Agrupamento de Escolas promove debate sobre Fátima que vai ser transmitido pela Rádio Boa Nova

O Agrupamento de Escolas de Oliveira do Hospital realiza, no dia 28 de abril, pelas 18h00, o debate «O sol bailou ao meio dia»?! Fátima, fé e História… 100 anos depois»,

Região

Eucaliptos passam a ser proibidos em áreas com outras espécies

O Governo aprovou hoje um regime transitório que define que não sejam plantados eucaliptos em áreas ardidas anteriormente ocupadas por outras espécies.