Cientista alerta para perigo de combustível acumulado nas zonas ardidas

Cientista alerta para perigo de combustível acumulado nas zonas ardidas

image_pdfimage_print

O diretor do Centro de Estudos sobre Incêndios Florestais, Xavier Viegas, alertou hoje, em Coimbra, para a necessidade de impedir a acumulação de combustível nas áreas ardidas, que favorecerá a ocorrência de novos grandes incêndios.

O responsável está “apreensivo” com o que está a acontecer em Portugal nas áreas queimadas pelos fogos de 2017, designadamente com “a acumulação de combustível”, que poderá provocar, “dentro de dois ou três anos”, situações idênticas ou “mesmo piores” do que as que ocorreram o ano passado.

Não basta a preocupação apenas com estratégias e meios de combate aos fogos e apagá-los, é necessário também tratar da prevenção, desde logo impedindo a acumulação de matéria combustível nas zonas ardidas, que beneficiam de condições particularmente favoráveis para a regeneração e acumulação de vegetação, sublinhou Domingos Xavier Viegas que falava numa conferência no Rómulo/Centro Ciência Viva da Universidade de Coimbra (UC).

O docente do Departamento de Engenharia Mecânica da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UC e membro do Observatório Técnico Independente para análise, acompanhamento e avaliação dos incêndios (criado este ano pela Assembleia da República) falava durante uma conferência intitulado ‘Ainda as lições dos incêndios florestais de 2017’, integrada no ciclo ‘Ciência às seis’, promovido pelo Centro Ciência Viva da UC.

“O ICNF [Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas] infelizmente não tem feito quase nada pela floresta”, nem mesmo por aquela que é pública, como demonstrou, por exemplo, o Pinhal de Leiria, quase totalmente destruído (cerca de 80%) pelo fogo em outubro de 2017, lamentou Xavier Viegas, sublinhando que “há muito” tempo é “crítico do ICNF” e que esta observação abrange diversos governos e não “um em particular”.

O investigador explicou que o eucalipto é uma espécie que favorece a propagação das chamas, sobretudo porque provoca muitas projeções, mas “o pinheiro também provoca projeções” e, “como se viu [no incêndio] no Pinhal de Leiria, a “distâncias de dois e três quilómetros”, destacando que diversas habitações e unidades empresariais foram atingidas pelo fogo em outubro de 2017 por projeções.

Mas, “com as condições meteorológicas” registadas em junho e outubro do ano passado, “qualquer coisa arde” — ninguém consegue travar chamas arrastadas por rajadas de vento com 140 e mais quilómetros –, defendeu Xavier Viegas, sem desvalorizar “fatores como a vegetação” ou a existência ou não de faixas de proteção das casas, por exemplo, em relação às quais, no entanto, 50 metros pode ser excessivo ou, pelo contrário, muito pouco, em função das circunstâncias de cada situação.

Sobre a orgânica da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) — o Governo prevê a criação de cinco comandos regionais e 23 sub-regionais de emergência e proteção civil, correspondentes às comunidades intermunicipais, em vez dos atuais comandos distritais de operações e socorro, no âmbito da nova lei –, Xavier Viegas disse discordar da nova divisão territorial, que “cria confusão” sem vantagens visíveis.

Com: Lusa

Previous Viseu: Cinco pessoas intoxicadas por cogumelos, uma está em estado grave
Next Associação de Estudantes da EPTOLIVA conta com novos Órgãos Sociais

Artigos Relacionados

Programas

“A Escola e o Meio” na Rádio Boa Nova

Este sábado, dia 18 de março, entre as 19h00 e as 20h00, é emitido o 23.º programa “A Escola e o Meio”, uma produção do Clube de Rádio do AEOH.

Informação

Acusado de abusar da mãe de 70 anos conhece hoje  sentença em Coimbra

O coletivo de juízes do Tribunal de Coimbra lê, hoje, a sentença ao homem de 53 anos que é acusado de abusar e de coagir a mãe, de 70 anos,

Desporto

Confira os resultados desportivos do fim-de-semana

A 24ª jornada da Série C do Campeonato Nacional ficou marcada por derrotas das duas equipas do concelho oliveirense.

Informação

UGT defende conclusão do IC6 e investimento no interior

O secretário-geral da UGT, Carlos Silva, defendeu hoje a conclusão do Itinerário Complementar (IC) 6, que deveria ligar Coimbra à Covilhã, considerando que é necessário investir em rodovias para valorizar

Informação

“Ontem foi o dia com maior número de incêndios” em Portugal este ano

A adjunta de operações da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), Patrícia Gaspar, fez esta manhã o rescaldo das operações que estão em curso…

Região

Arganil: PSD destaca apoio a Paulo Leitão que foi eleito presidente da Comissão Politica Distrital do PSD

O PSD de Arganil destaca o apoio a Paulo Leitão, que  foi eleito presidente da Comissão Política Distrital do Partido Social Democrata, no passado sábado, 9 de março.

Última Hora

Exposição “Incêndios 2017-perguntas e respostas” patente nos Paços do Município oliveirense

Encontra-se patente nos Paços do Município, a exposição coletiva de artes plásticas intitulada “Incêndios 2017 – perguntas e respostas”. A exposição é promovida pelo Grupo Why Fire (WiFi) com o

Informação

Carnaval com chuva devido a um anticiclone

A época de mais folia do país, o Carnaval, vai contar com chuva, devido a um anticiclone. Está prevista a ocorrência de precipitação e vento temporariamente forte durante a tarde

Última Hora

Município de Oliveira do Hospital lança aplicação de comunicação de ocorrências em espaço público

A Câmara Municipal de Oliveira do Hospital disponibiliza, agora, de um novo canal de comunicação, inserido no seu site institucional, que visa estreitar a proximidade com os cidadãos, ao estimular

Região

Dois bombeiros ficaram feridos no combate ao fogo em Trancoso

O combate ao incêndio de Trancoso, no distrito da Guarda, está a evoluir de forma favorável. Fonte do CDOS da Guarda adiantou que há dois bombeiros feridos,…

Última Hora

Incêndios: Termina hoje a Fase Delta

A fase Delta de combate a incêndios florestais termina hoje, pelo que os meios operacionais vão ser reduzidos a partir de terça-feira, sendo apenas reforçados em caso de necessidade.

Informação

Confraria alerta para potencial económico do medronho na região

 A Confraria do Medronho alertou para o potencial económico desta espécie autóctone, naquela que foi mais uma cerimónia de entronização de novos confrades que decorreu, este ano, no concelho de