Município de Oliveira do Hospital oferece fruta aos alunos

O Município de Oliveira do Hospital vai oferecer fruta, ao longo de todo o ano letivo, a todos os alunos do pré-escolar e do 1.º CEB do Agrupamento de Escolas de Oliveira do Hospital.

“Perto de 850 crianças são beneficiários da iniciativa promovida no âmbito do Regime de Fruta Escolar que a autarquia tem vindo a implementar nos últimos anos. Trata-se de um dos programas ancorados no projeto “Escola + Saudável” desenvolvido pela autarquia e que visa a promoção de hábitos de alimentação saudável”, refere o município em nota enviada à Rádio Boa Nova.

A distribuição de fruta aos alunos fez-se simbolicamente esta quarta-feira, Dia Mundial da Alimentação, junto dos alunos que frequentam o pré-escolar e o 1.º CEB na Bobadela com a presença do vice-presidente da autarquia, José Francisco Rolo e da vereadora da Educação, Graça Silva. A responsável pelo pelouro da Educação registou com agrado a satisfação dos mais novos com este projeto que lhes faculta o acesso a fruta variada ao longo de todo o ano letivo, incutindo-lhes hábitos de alimentação adequados.

Através do Regime de Fruta Escolar será distribuída uma peça de fruta a cada aluno, duas vezes por semana ao longo de todo o presente ano letivo 2019/2020 representando um investimento da autarquia de cerca de 8 mil euros, consciente da importância da inclusão da fruta na dieta alimentar dos alunos que frequentam os estabelecimentos de ensino do nosso concelho.

Refira-se que o Regime de Fruta Escolar visa a distribuição gratuita de frutas e produtos hortícolas nos estabelecimentos de ensino público do município, com o objetivo de promover a educação alimentar, a aquisição de hábitos de alimentação saudáveis, a adoção de uma dieta equilibrada entre as crianças, conseguindo assim alterar os seus hábitos alimentares e a redução da obesidade infantil.

A Câmara Municipal de Oliveira do Hospital volta a aderir a esta iniciativa, que tem implementado nos anos letivos anteriores, procurando “contribuir para uma educação alimentar e da saúde em contexto escolar, um veículo privilegiado para a promoção de hábitos alimentares saudáveis capacitando as crianças e as suas famílias para a adoção de competências que incrementem o consumo de fruta em substituição dos lanches de fraca qualidade alimentar”, lê-se em comunicado.




Oliveira do Hospital acolhe “A Viagem”

O Município de Oliveira do Hospital acolhe, no sábado, dia 19 de outubro, pelas 21h30, o espetáculo «A Viagem» de Filipa Francisco.  O espetáculo coloca também em palco o Rancho Folclórico Cultural Lagares da Beira.

A iniciativa vai ter lugar no salão nobre dos Bombeiros Voluntários de Oliveira do Hospital. Com Entrada livre.




Detido suspeito de abuso sexual de criança em Figueira de Castelo Rodrigo

A Polícia Judiciária (PJ) deteve um homem de 30 anos por ser o presumível autor de um crime de abuso sexual de uma menor de 13 anos, ocorrido em Figueira de Castelo Rodrigo.

Em comunicado enviado à Rádio Boa Nova, o Departamento de Investigação Criminal da PJ da Guarda adianta que “o homem é suspeito de um crime de abuso sexual de crianças, “por factos ocorridos desde agosto do corrente ano, sobre uma menor com apenas 13 anos”.

“O detido, agricultor, terá cometido os factos no contexto de uma relação sentimental que admitiu manter com a menor, não obstante o conhecimento da sua idade e, bem assim, da sua concomitante inexperiência”, lê-se na nota.

O homem foi presente às competentes autoridades judiciárias e ficou sujeito às medidas de coação de obrigatoriedade de apresentações semanais às respetivas autoridades policiais, de proibição de contactos com a vítima e também de aproximação a menos de 300 metros da residência e da escola frequentada pela menor.




António Veiga Simão assume presidência da CCDRC

O vice-presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC) António Veiga Simão assume transitoriamente a presidência após a nomeação de Ana Abrunhosa…

… como ministra da Coesão Territorial, disse esta quarta-feira uma fonte do organismo.

A fonte do gabinete da presidência da CCDRC adiantou à agência Lusa que António Veiga Simão, de 56 anos, licenciado em Geografia pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (UC), “vai desempenhar em regime de substituição” as funções até agora cumpridas por Ana Abrunhosa.

A nova ministra controlou nos dois últimos anos os dossiers das zonas afetadas pelos fogos. Veiga Simão deverá manter estes dossiers até escolha definitiva do futuro presidente e sua equipa




Góis conclui Programa de Apoio à Reconstrução de Habitações Não Permanentes

O Município de Góis anunciou que “está concluído o processo burocrático respeitante ao Programa de Apoio à Reconstrução de Habitações Não Permanentes, afetadas pelos incêndios de 2017, que …

… consiste na concessão de apoio no domínio da reconstrução (total ou parcial) e conservação das habitações não permanentes, danificadas ou destruídas por esses incêndios”

“O Município de Góis e os beneficiários que se candidataram às medidas de apoio celebraram o contrato de atribuição de apoios financeiros. Nesse sentido, estão reunidas as condições para dar início à fase de obras de reconstrução total ou parcial de habitações atingidas, tendo estas como prazo de execução máximo dois anos, ou de obras de conservação, com o prazo de seis meses”, refere a autarquia em comunicado enviado à Rádio Boa Nova.

Para celebração do ato, nos Paços do Concelho de Góis, estiveram presentes  Maria de Lurdes Castanheira, Presidente da Câmara Municipal, e os beneficiários das medidas de apoio. A cerimónia contou ainda com a presença de Miguel Ângelo Almeida, Presidente da Direção Executiva do FAM – Fundo de Apoio Municipal, que destacou o facto de Góis ser o primeiro dos 11 concelhos a concluir este processo.




PSP deteve homem que conduzia sem carta e mulher que conduzia com 2,62 g/l

A PSP deteve um homem e uma mulher, em situações distintas, por infrações rodoviárias, na cidade de Coimbra

Em comunicado, a PSP dá conta da detençao no dia 15 de outubro, pelas 11h00, de um homem de 32 anos “por ter sido intercetado a conduzir um automóvel sem habilitação legal para o efeito”. O caso ocorreu na Rua José Bonifácio de Andrade e Silva.

No mesmo dia, pelas 17h15, a PSP deteve uma mulher, de 32 anos, por condução sob o efeito de álcool.

Esta foi “interveniente num acidente de viação que provocou ferimentos ligeiros no condutor do outro carro” e, ao ser sujeita ao teste de alcoolemia, “acusou uma Taxa de Álcool no Sangue (TAS) de 2,62 g/l”, é explicado na mesma nota.

Ambos os carros sofreram danos neste incidente que se deu na Avenida da Guarda Inglesa.




Votos da emigração: PS e PSD ficam com dois deputados cada

Onze dias após as eleições legislativas foram contabilizados os votos dos emigrantes portugueses espalhados pelo mundo, tendo sido o resultado divulgado no site da Secretaria-Geral …

… do Ministério de Administração Interna – Administração Eleitoral.

Os tradicionais partidos foram os vencedores dos círculos da Europa e de fora da Europa: PS e PSD elegeram dois deputados cada um dos quatro que faltava atribuir.

Assim, o PS passa de 106 a 108 mandatos, enquanto o PSD chega aos 79 com as atribuições de hoje. No caso socialista, quem irá assumir o lugar do eleito Augusto Santos Silva será Paulo Porto Gonçalves (PS), uma vez que o primeiro faz parte da composição do Governo. O segundo mandato foi atribuído a Paulo Pisco.

Já no que diz respeito ao PSD, os eleitos foram José Cesário e Carlos Alberto Gonçalves

Destaque ainda para a expressiva contagem de votos nulos: foram mais de 33 mil, totalizando 22,33% dos votos, enquanto a taxa de abstenção se cifrou em 51,43%.

Os votos dos consulados acabaram de ser contabilizados, na manhã desta quinta-feira, no Pavilhão do Casal Ventoso, em Lisboa, onde está montada a Assembleia de Recolha e Contagem dos Votos com 100 mesas: 70 para o círculo da Europa e 30 para o círculo fora da Europa.

De referir que o número de eleitores registados no estrangeiro ascende a 1.466.754, e a esmagadora maioria – 1.464.514 – optou pela votação pela via postal.

com:lusa.pt




Distrito: 64 acidentes e 730 infrações na última semana

Na semana de 8 a 14 de outubro, o Comando Territorial de Coimbra da GNR registou a ocorrência de 64 acidentes e 730 infrações …

… nas estradas do distrito, no âmbito de um conjunto de operações que  visaram a prevenção e o combate à criminalidade violenta, fiscalização rodoviária, entre outras.

Em comunicado enviado à Rádio Boa Nova, a GNR refere que dos  64 acidentes, resultaram 18 feridos leves. Acrescenta que das 730 infrações detetadas, se destacam 38 relacionadas com tacógrafos, 36 por falta de inspeção periódica obrigatória, 33 por excesso de velocidade e 27 por uso indevido de telemóvel no exercício da condução.

Na mesma semana de operações, as autoridades procederam a 15 detenções em flagrante delito, destacando-se nove por condução sob o efeito do álcool, três por condução sem habilitação e duas por furto de metais não preciosos.

Foram apreendidos  quatro veículos,  uma arma,  cinco munições, 59 pares de sapatilhas e 36 fatos de treino.

No âmbito da   Fiscalização Geral, a GNR emitiu 24 autos de contraordenação: 19 no âmbito da legislação da proteção da natureza e do ambiente e  cinco no âmbito da legislação policial.

Foram ainda realizadas ações de sensibilização nas áreas de:  “Censos Sénior 2019”, rodoviário,  prevenção do Bullying e “Crescer em Segurança”.




Região: Polícia Judiciária deteve autor de crime de violação

A Polícia Judiciária, através da Diretoria do Centro, em cumprimento de mandado de detenção emitido pelo Ministério Público no DIAP de Viseu, …

… deteve um homem pela presumível autoria de um crime de violação, ocorrido no passado mês de agosto, na zona de Tondela, de que foi vítima uma mulher, com 64 anos de idade.

Em comunicado enviado à Rádio Boa Nova, a PJ refere que “o detido aproveitou-se da relação de proximidade familiar com a vítima para cometer o crime”

O detido, com 46 anos de idade, foi presente a primeiro interrogatório judicial, tendo-lhe sido aplicada a medida de coação de prisão preventiva.

 




Coimbra quer Ministério da Coesão Territorial a tutelar autarquias

A Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra disse, hoje, esperar que o recém-criado Ministério da Coesão Territorial tutele áreas como as autarquias, …

… comunidades intermunicipais, comissões de coordenação e fundos comunitários para o desenvolvimento regional, e o desenvolvimento rural.

Numa nota de imprensa enviada à agência Lusa, a Região de Coimbra, representada pelo seu presidente, José Carlos Alexandrino, congratula-se com a criação do novo ministério e com a “nomeação da presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC), Ana Abrunhosa, para o cargo de ministra da Coesão Territorial”.

Em nome da CIM Região de Coimbra, parabenizo a nova ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, e desejo boa sorte na sua nova missão. Com o seu currículo extenso e trajetória brilhante, Ana Abrunhosa conduzirá esta pasta com competência. Que a ministra conte sempre com a Região de Coimbra para colaborar neste novo desafio”, afirma o presidente da CIM Região de Coimbra, citado naquele comunicado de imprensa.

José Carlos Alexandrino aplaude também o Governo “por ter reconhecido a importância de se criar um Ministério da Coesão Territorial”.

“A CIM Região de Coimbra tem-se debatido por ver a coesão territorial no topo das prioridades governamentais e, por isso, espero que questões como um programa dedicado à baixa densidade territorial sejam debatidas no próximo Governo”, sintetiza.

A nova ministra Ana Abrunhosa foi, como presidente da CCDRC, um dos rostos no processo de reconstrução das casas destruídas nos incêndios de 2017.




Ana Abrunhosa defendeu Coesão Territorial no Dia do Município de Oliveira do Hospital. Primeiro Ministro quer que seja Ministra da Coesão Territorial

Ana Maria Pereira Abrunhosa até agora presidente da Comissão de Coordenação de Desenvolvimento Regional do Centro viu ontem o seu nome ser proposto pelo ministro António Costa para Ministra da Coesão Territorial, uma nova pasta na orgânica do XXII Governo Constitucional.

A proposta de nomeação de Ana Abrunhosa consta do portal da Presidência da República, após António Costa ter ontem entregado ao chefe de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa, a lista de nomes do XXII Governo Constitucional.

Ana Maria Pereira Abrunhosa, doutorada em Economia pela Universidade de Coimbra, foi até agora presidente da Comissão de Coordenação do Desenvolvimento Regional do Centro.

Ana Abrunhosa este ontem em Midões a participar na inauguração da reabilitação do Jardim de Infância da localidade e no dia 7 de outubro participou nas comemorações do Dia do Município de Oliveira do Hospital. Curiosamente, no seu discurso em Oliveira do Hospital, Ana Abrunhosa, falou exatamente de Coesão Territorial que no caso de Oliveira do Hospital corresponde a matérias como o IC6, a ESTGOH, o apoio às empresas e às instituições e à saúde. Apelou mesmo à ministra da Saúde, Marta Temido, que presidiu à sessão comemorativa para que interceda pelo território porque “o mais fácil já foi feito”, que foi a reconstrução das casas, mas o “território continua doente. “Há muita ferida que precisa de se fechar, afirmou.

Também na comemoração do dia do município, a 7 de outubro, José Carlos Alexandrino antecipou o futuro de Ana Abrunhosa como ministra considerando que aquela responsável ficaria bem naquelas funções porque o governo precisa de “pessoas competentes”.




Presidente da CCDRC diz que 96,5 % das casas estão reconstruídas e lamenta que haja vítimas que as regras ainda não permitiram ajudar

A presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC) que, ontem, ao final do dia foi indicado pelo primeiro Ministro para Ministra da Coesão Territorial fez, em declarações à Rádio Boa Nova,…

… um “balanço positivo” do trabalho desenvolvido no território afetado pelo grande incêndio de 15 de outubro, onde se inclui Oliveira do Hospital.

No final da inauguração da reabilitação do Jardim de Infância de Midões onde acompanhou o Presidente da República, Ana Abrunhosa referiu que “dentro das regras criadas pelo Governo” a CCDRC enquadrou 822 habitações, estando concluídas 96,5 por cento. “Infelizmente, há um conjunto de famílias que também foram vítimas e devido a um conjunto de regras não pudemos apoiar”, lamentou a responsável, verificando que a CCRCR tem, ainda assim, vindo a conseguir resolver situações de “titularidade, partilhas e licenciamentos “ e por isso, “temos hoje 30 casas em construção” , resultantes de apoios que já foram concedidos em 2019. “Estamos a trabalhar outras situações para ver se conseguimos apoiar as famílias”, assegurou.

Sobre as empresas, Ana Abrunhosa informou que a CCDRC aprovou cerca de 400 projetos que envolveu um investimento de 130 milhões com o apoio do Orçamento do Estado de cerca de mais de 100 milhões de Euros que permitiram fixar/ criar quase 4200 postos de trabalho.

À Rádio Boa Nova, a responsável referiu que as autarquias, a CCDRC e o Governo atuaram para que fosse mais rapidamente possível repor a normalidade “dentro das regras que tínhamos”. Ana Abrunhosa nota porém o excesso de burocracia que leva a que, a esta altura, haja ainda vítimas sem apoio.  “Tínhamos tanta burocracia a cumprir. Pede-se celeridade. mas na hora em que falta um papel, somos todos incumpridores”, referiu, verificando que “isso obriga a que as famílias se entendam”. “ Há casas que não têm licenciamento regularizado. Mas é o país que temos. Aqui a ajuda das Câmaras foi absolutamente preciosa. É muito tempo para as famílias e pouco tempo para nós”, concluiu Ana Abrunhosa”




Presidente Marcelo inaugurou escola ardida há dois anos em Midões

Para “assinalar a memória de há dois anos”, os trágicos incêndios que assolaram a região centro no dia 15 de outubro de 2017, Marcelo Rebelo de Sousa escolheu inaugurar, ontem,…

…a reabilitação do Infantário de Midões, no concelho de Tábua, que ficou reduzido a cinzas na trágica noite, uma vez que “a educação é a melhor garantia de um futuro melhor”

Para o Presidente da República, a recuperação “não se vê tão depressa” como uma “obra pública”. “O efeito de uma escola só se vê daqui a vinte, trinta ou quarenta anos”, defendeu o Chefe de Estado.

“Temos aqui um exemplo de como todos juntos, na força que só a união traz consigo, pode dar uma escola quer é a mesma mas é nova, que hoje está a renascer”, disse Marcelo Rebelo de Sousa perante a multidão que assistia à cerimónia.

Para o Presidente da República, “esta escola é um símbolo do que há de mais importante no futuro do nosso país” que são as crianças.

Comovido pela situação, José Alberto Pereira, presidente da Junta de Freguesia de Midões, mostrou-se feliz por “devolver às crianças, educadores e auxiliares o espaço que lhes foi roubado há dois anos”.

“Havia ardido algo que pertencia a todos, por onde todos, nos últimos 60 anos tinham passado”, disse, reforçando que “a reconstrução desta escola é uma prova da solidariedade”, uma vez que foram pessoas que “não conheciam nem sabiam onde ficava Midões que escolheram, à distância” ajudar nesta reconstrução. “A todos, o meu bem-haja”, concluiu.

Por sua vez, Mário Loureiro, presidente do Município de Tábua, relembrou o difícil início do presente mandato autárquico “pela catástrofe dos grandes incêndios” e, por isso, propôs um minuto de silêncio em “memória de todos os que perderam a vida naquela tragédia”.

Apesar das dificuldades, dada à tamanha destruição, o autarca relembra que o concelho “não baixou os braços”.

Na ocasião, Mário Loureiro lembrou que a inauguração da reabilitação do infantário teve por base um “protocolo” celebrado entre o Município de Tábua, a APPI e a Level Constellation, “em conjunto com os donativos de empresas, verbas da conta solidária e o apoio do Fundo de Apoio Social da União Europeia”.

Segundo o presidente, esse protocolo permitiu, no dia de ontem, “devolver a estas crianças um espaço de felicidade para uma aprendizagem mais feliz”.

 

Clique aqui para ver a galeria fotográfica da cerimónia.

Veja ou reveja a cerimónia em vídeo »»»»




GNR apreendeu artigos contrafeitos no valor de cinco mil Euros  

O Comando Territorial de Coimbra, através do Destacamento Territorial de Cantanhede, apreendeu , no dia 13 de outubro, …

… 95 peças de material contrafeito, na Feira da Tocha, no concelho de Cantanhede.

Em comunicado enviado à Rádio Boa Nova, a GNR refere que “no âmbito de uma fiscalização efetuada à atividade de feirantes e vendedores ambulantes, que visou o combate à contrafação, ao uso ilegal de marca e à venda de artigos contrafeitos, os militares apreenderam sapatilhas e fatos de treino que se encontravam expostos para venda, com um valor estimado de  cinco mil euros, por não terem sido apresentados quaisquer documentos comprovativos da proveniência da mercadoria, apurando-se que se tratava de material contrafeito”.

Foram identificadas duas mulheres de 19 e 28 anos e um homem de 48 anos. Os factos foram remetidos ao Tribunal Judicial de Cantanhede.

Nesta ação estiveram empenhados militares dos Destacamento Territoriais e do Destacamento de Intervenção do Comando Territorial de Coimbra e do Destacamento de Ação Fiscal de Coimbra.




Dois anos após o fogo: PCP entende que região está “mais pobre e mais abandonada”

O PCP, visitou as zonas afetadas pelo grande incêndio de 15 de outubro , com uma delegação com Ana Mesquita, Deputada do PCP na Assembleia da República …

…  e sublinhou que desde a primeira hora sinalizou que, para além de medidas avulsas, o que faz falta são os meios, designadamente financeiros, que garantam a rutura que é necessária nesta área.

O PCP, que “esteve na origem da Lei do Apoio às Vítimas” e que apresentou, no debate do Orçamento do Estado para 2018 e para 2019, propostas para garantir esses meios, “não deixará, seja no quadro institucional, seja no quadro da acção política, de exigir medidas concretas para dar resposta aos problemas que persistem”.

Passados dois anos, e lembrando que desde a primeira hora reclamou medidas para ressarcir os prejuízos das vítimas dos incêndios, o PCP, reconhecendo que algumas respostas foram dadas, assinala as principais insuficiências no muito que há por fazer, nomeadamente “compensações para os rendimentos perdidos na área agrícola, reposição do potencial produtivo”. “Com o quadro que se conhece, pode dizer-se que estas regiões, já de si deprimidas, saem deste doloroso processo, ainda mais pobres e mais abandonadas”, constata o PCP.

Na área das habitações, o PCP, verifica que “apesar das sucessivas propostas do PCP, a decisão do Governo do PS foi a de não apoiar a reconstrução de moradias de segunda habitação”.

“Depois das decisões do Governo PSD/CDS, de retirarem 150 milhões de euros do PRODER à floresta nacional, a opção do Governo PS de proceder à produção intensiva de legislação, não deu, como não podia dar, resposta ao essencial do que está por fazer”, acrescentam.

“A não se alterar radicalmente a política prosseguida até hoje, sem uma intervenção reforçada do Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, é com toda a preocupação e seriedade que o PCP afirma que, infelizmente, grandes incêndios florestais podem voltar a acontecer”, acrescenta o PCP.

 




Há três distritos sob aviso laranja devido à chuva forte e persistente

Os distritos do Porto, Viana do Castelo e Braga estão hoje sob aviso laranja devido à previsão de períodos de chuva, por vezes forte e persistente, …

… segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

De acordo com o IPMA, estes três distritos vão estar sob aviso laranja entre as 18h00 de hoje e as 03h00 de quinta-feira, passando depois a aviso amarelo até às 09h00 de quinta-feira.

O IPMA emitiu também aviso amarelo por causa da chuva para os distritos de Viseu, Vila Real, Aveiro e Coimbra.

O aviso para estes quatro distritos vai estar em vigor entre os 15h00 de hoje e as 06h00 de quinta-feira.

O IPMA prevê para hoje nas regiões do Norte e Centro céu geralmente muito nublado e períodos de chuva na região Norte, estendendo-se gradualmente à região centro, e sendo por vezes forte e persistente no Minho e Douro Litoral a partir da tarde.

Está também previsto vento fraco a moderado do quadrante sul, soprando por vezes forte no Litoral a norte do Cabo Mondego a partir da manhã.

Nas terras altas, o vento será moderado a forte do quadrante sul com rajadas até 75 quilómetros por hora.

A previsão aponta ainda para neblina ou nevoeiro matinal, pequena subida da temperatura mínima e pequena subida da máxima no Interior.

Para a região Sul estão previstos períodos de céu muito nublado, apresentando-se geralmente pouco nublado no Baixo Alentejo e Algarve e vento em geral fraco do quadrante oeste, soprando por vezes moderado nas terras altas.

O IPMA prevê ainda para a região sul neblina ou nevoeiro matinal, pequena subida da temperatura mínima e pequena subida da máxima no Interior.

As temperaturas mínimas no continente vão oscilar entre os 6 graus Celsius (na Guarda) e os 14 (no Porto) e as máximas entre os 15 (na Guarda e em Bragança) e os 24 (em Santarém).

Hoje, no concelho de Oliveira do Hospital, as temperaturas variam entre 9 graus de mínima e 19 graus de temperatura máxima.




Presidente da República entende que “região mostrou uma força de vontade enorme que ultrapassou as expectativas”

No dia em que se assinalam dois anos após o grande incêndio de 15 de outubro de 2017 que devastou a região Centro,…

… o presidente da República constatou que a região mostrou “uma capacidade de reação” e “força de vontade enorme que ultrapassou as expectativas”.

Marcelo Rebelo de Sousa presidiu, esta tarde, à inauguração da reabilitação do Jardim de Infância de Midões, no concelho de Tábua, que à data do grande incêndio era frequentado por 21 crianças. Agora, com 31 crianças, o espaço que foi requalificado com o apoio da ação “A Escola de Todos Nós” é um marco da capacidade de recuperação da região. Caso para o Presidente da República considerar que “vai haver no futuro melhores condições” para que estas crianças permaneçam nestes territórios.

“Porque uma coisa que se revelou, nestes dois anos, foi que esta região deu uma capacidade de reação em termos económicos e sociais, com uma força de vontade enorme que ultrapassou as expectativas”, afirmou Marcelo Rebelo de Sousa aos jornalistas. Destacou a “economia da região que ficou muito afetada e reagiu e foi ultrapassando aquilo que foi uma situação muito cítica”. “Se isto foi assim em dois anos… há aqui potencial para estas crianças ficarem cá”, disse confiante.

Para o Chefe de Estado os autarcas e os empresários “estão a dar o salto” e “a fazer coisas diferentes”. “O que renasceu é diferente e melhor”, considerou, compreendendo que todos desejem uma reconstrução mais rápida. Porém, comparando com os incêndios que antecederam os de Outubro, Marcelo verificava que “aqui houve genericamente uma massa crítica maior que permitiu uma reação mais forte e mais esperançosa para o futuro”.

Sobre a problemática da floresta, Marcelo Rebelo de Sousa, verificou que o “ordenamento florestal “é sempre mais lento”. “Continua a haver este acordo, que dentro do mais lento, tem que ser o mais rápido possível”. O cadastro “é fundamental, mas “fica muito aquém”. O Chefe de Estado não saiu de Midões, sem antes plantar uma árvore no recinto da escola.




2 anos após o grande incêndio: “Há um sentimento de dever cumprido mas que ainda não é suficiente” (com vídeo)

No dia em que faz precisamente dois anos após o trágico incêndio de 15 de outubro de 2017, que assolou a região centro do país,…

…José Carlos Alexandrino garante que o “processo das habitações está concluído” e defende que “Oliveira do Hospital foi exemplo em termos de recuperação”.

Presente da cerimónia de inauguração da reabilitação do Jardim de Infância de Midões, no concelho de Tábua, que ficou reduzido a cinzas devido à tragédia, em declarações à Rádio Boa Nova, o presidente do Município de Oliveira do Hospital referiu que, apesar da forte recuperação do concelho, “ainda há coisas para fazer. “Há um sentimento de dever cumprido mas que ainda não é suficiente”, disse, referindo-se ao atraso na recuperação de empresas, a falta de apoio na agricultura e o processo de reflorestação.

“Temos problemas que temos a consciência que vão demorar décadas a resolver”, referiu o autarca que também enaltece o “trabalho coletivo do povo” no reerguer dos territórios.

A esta altura, José Carlos Alexandrino garante que “o processo das habitações está concluído” e adiantou que agora é tempo de iniciar o “processo das segundas habitações”, com um investimento de um milhão de euros do orçamento municipal. “As pessoas são a nossa prioridade”, defendeu.

Quanto à vinda de Marcelo Rebelo de Sousa a Midões para proceder à respetiva inauguração, este ato não surpreende o autarca oliveirense. “Toda a gente sabe que eu admiro a forma de estar e de aproximação com as pessoas”, justificou, fazendo uma comparação consigo mesmo, na medida em que promove também a “política de proximidade”.

E prova disso é a nova medida que o executivo municipal de Oliveira do Hospital vai lançar: o pagamento de medicamentos a idosos do concelho. José Carlos Alexandrino reforçou ainda a forte aposta no programa de incentivo à natalidade que, aproveitou para informar, vai passar a ser pago trimestralmente e não mensalmente.

 




Oliveira do Hospital promove Trail “Colcurinho Sky Race” com mais de 250 participantes

O Trail “Colcurinho Sky Race”, promovido pelo Município de Oliveira do Hospital em parceria com a Rede de Aldeias do Xisto, parte no próximo domingo, dia 20 de outubro, às 9h30, do mítico Santuário de Nossa Senhora das Preces,…

…em Aldeia das Dez, até ao Monte do Colcurinho, a 1242 m de altitude, na Serra do Açor, de onde se avista uma das mais belas paisagens do interior de Portugal.

Integrado na tradicional Festa da Castanha de Aldeia das Dez – um evento que celebra a autenticidade do mundo rural em torno deste produto endógeno –, o Colcurinho Sky Race, com mais de 250 participantes inscritos, faz parte do Campeonato Distrital de Trail Runnig ADAC 2019 e desenrola-se em três vertentes: trail longo de 25 km; trail curto de 12 km e caminhada de 12 km.

Com vista privilegiada para a Serra da Estrela, os participantes deste trail de montanha percorrem sítios únicos com a autenticidade do mundo rural e são desafiados pela organização a subirem ao Monte do Colcurinho, a 1242 m de altitude, de onde se avistam paisagens de cortar a respiração.

A boa organização e as belas paisagens têm sido, aliás, alguns dos aspetos mais elogiados pelos participantes nas edições dos anos anteriores.

Ano após ano, esta prova tem vindo a afirmar-se como um evento de referência na região.

Com a realização do “Colcurinho Sky Race”, o Município de Oliveira do Hospital visa incentivar a política de desporto para todos e, simultaneamente, promover o turismo de natureza através do valiosíssimo património natural e paisagístico dos territórios de montanha.

Nesse sentido, está também agendado para o próximo dia 10 de novembro a “Subida Épica do Colcurinho”. São quilómetros de constante subida da Ponte das Três Entradas, onde os rios Alva e Alvoco se unem, até aos 1.230 m do Alto do Colcurinho, numa das mais espectaculares subidas épicas do nosso país.

As inscrições para o“Colcurinho Sky Race”, com brindes de boas-vindas para todos os participantes, podem ser efetuadas online até ao próximo dia 16 de outubro em http://www.prozis.com/colcurinhosky2019




Coimbra celebra ano jubilar dos Mártires de Marrocos e de Sto. António

Coimbra celebra em 2020 o “Jubileu dos mártires de Marrocos e de Santo António”, assinalando os 800 anos do martírio dos primeiros frades franciscanos e a sua importância na vocação de Santo António, foi hoje anunciado.

A evocação, que decorre entre 12 de janeiro do próximo ano e 17 de janeiro de 2021, em Coimbra, integra, além de celebrações religiosas, diversas iniciativas, designadamente de caráter científico e cultural, como concertos, entre os quais “Missa de Santo António”, de António Vitorino de Almeida, que estreará, em 19 de julho de 2020, no grande auditório do Convento São Francisco, em Coimbra, foi anunciado, durante uma conferência de imprensa de divulgação do programa.

Promovidas pela Diocese de Coimbra, igreja de Santo António dos Olivais de Coimbra e Mosteiro de Santa Cruz (Coimbra), em colaboração com a Câmara Municipal e juntas de freguesia da cidade e Turismo Centro de Portugal, entre outras entidades, as comemorações, além dos seus “objetivos específicos”, pretendem também tornar-se numa “possibilidade de um conhecimento mais aprofundado do Mosteiro de Santa Cruz” e da sua importância para Coimbra e para o País, disse o bispo Virgílio Antunes.

É no Mosteiro de Santa Cruz que se encontram as ‘Relíquias dos mártires’ e onde Fernando de Bulhões foi sacerdote e estudou – “não foi por acaso” que veio, mais tarde, a ser “consagrado como um dos poucos doutores da Igreja’ – referiu o bispo de Coimbra.

Tão impressionado ficou com o martírio dos frades que decidiu tornar-se frade franciscano, ingressando no convento de Santo António Abade dos Olivais, também em Coimbra, assumindo o nome de António, e de onde partiu para o mundo, “numa missão” que fez dele “um dos santos mais notáveis da cristandade”.

Os mártires de Marrocos invocam “todo o esforço no passado e no presente para o diálogo inter-religioso”, sustentou ainda o bispo Virgílio Antunes, salientando que se trata de “um caminho que se tem vindo a fazer, mas que está em grande parte por fazer”.

É necessária, apelou, a “congregação de esforços e de pessoas” para que “seja erradicada a realidade dos mártires”.

O presidente do Turismo Centro de Portugal, Pedro Machado, explicou a cooperação desta entidade com a iniciativa, designadamente com a importância do turismo religioso para a região e para o país — “e não apenas o mariano e o associado ao caminho português de Santiago”.

Subscrevendo a ideia de que perder a memória é perder o futuro, o presidente do município de Coimbra, Manuel Machado, recordou, designadamente, que Pádua (outra referência, para além de Lisboa e Coimbra na vida de Santo António) é cidade geminada com Coimbra.

Para além da estreia do concerto de António Vitorino de Almeida, outras iniciativas integram o programa comemorativo, como a oratória “De Fernão se fez António” (concerto de encerramento, 17 de janeiro de 2021) ou, por exemplo, a criação de um roteiro turístico antoniano, em Coimbra.

‘Diálogos com António 2020’ é designação de um ciclo de conferências, nas quais serão abordados diferentes assuntos, nem sempre diretamente relacionados com os protagonistas das celebrações.

lusa.pt




Biblioteca promove sessão “À conversa com…”

Ana Paula Sançana é a convida da próxima sessão “À conversa com…” promovida pela Biblioteca Municipal de Oliveira do Hospital, no âmbito do Ciclo de Conversas “Da literatura à Ciência”. A iniciativa alusiva ao tema “da Abelha ao Mel”…

… acontece no próximo dia 17 de outubro, pelas 14h30.

Ana Paula Sançana, é engenheira e responsável técnica da Cooperativa Agrícola dos Apicultores da Lousã e concelhos Limítrofes.




Município exige resolução para o estado calamitoso da saúde em Seia

O Presidente da Câmara Municipal de Seia anunciou , ontem, ter solicitado uma audiência ao Primeiro-Ministro António Costa, tendo em vista a resolução do estado calamitoso em que se encontra a saúde em Seia.

Segundo comunicado enviado à Rádio Boa Nova, “em causa está a falta de médicos no Centro de Saúde de Seia e a elevada degradação daquelas instalações, para além do contínuo esvaziamento de serviços e valências do Hospital de Seia”

“Filipe Camelo quer que, os novos deputados, tratem o assunto em comissão parlamentar com a Ministra da Saúde, Marta Temido, para que esta se pronuncie sobre a situação”, lê-se no comunicado.

O Presidente da Câmara disse esperar que “os recém-eleitos deputados ajudem a resolver o problema, lembrando que, as anteriores reuniões mantidas pelo município com a atual ministra da tutela, a ARS e a Unidade Local de Saúde (ULS) da Guarda, não produziram resultados”.

O autarca, em funções desde 2009, um ano depois da criação da Unidade Local de Saúde da Guarda, refere que “este modelo que resultou da agregação de todas as unidades de saúde do distrito não beneficiou Seia, pelo contrário. Para além da atual situação gravíssima do Centro de Saúde, olhe-se para o Hospital Nossa Senhora da Assunção, uma unidade hospitalar que tem vindo a perder importância e influência, sendo hoje rotulada como um ‘apêndice’ do Hospital da Guarda”, destacou.

“É preciso lembrar, pese embora os constrangimentos, nomeadamente ao nível das instalações, que o Hospital de Seia era dos que tinha melhores níveis de eficiência e desempenho (antes de ser integrado na ULS), pelo que ninguém compreende que o Hospital de Seia, tendo condições estruturais (novo edifício) e capacidade instalada, não esteja devidamente aproveitado”, adiantou o Presidente do Município.

Diante dessa manifesta incapacidade, a Câmara Municipal defende que o hospital de Seia deve constar entre as unidades que deverão recuperar autonomia de gestão para contratar e fazer investimentos, no âmbito do plano anunciado pelo Governo há mais de um ano.

“Só um modelo de gestão autónoma para o Hospital de Seia pode repor uma situação de normalidade, serviços e valências perdidas, ganhos de eficiência e maior produtividade, inclusive numa lógica de sustentabilidade, como demonstram os 40 anos de sucesso do Serviço Nacional de Saúde, assente num modelo de gestão descentralizado dos serviços que deu excelentes resultados”, afirmou.

“A Câmara Municipal tem vindo a desdobrar-se em múltiplos contactos com a administração da ULS e a Administração Regional de Saúde (ARS) do Centro, em estreita articulação com a Comissão de Infraestruturas e Coesão Territorial da Assembleia Municipal de Seia”, assegura em comunicado.




Município de Oliveira do Hospital entrega 120 mil árvores autóctones para ações de reflorestação

O Município de Oliveira do Hospital anunciou que vai entregar, no próximo mês de novembro, cerca de 120 mil árvores, de espécies autóctones, …

… para incentivar os proprietários florestais a arrancarem os eucaliptos que nasceram espontaneamente em consequência do incêndio de 15 de outubro de 2017, que consumiu 97 por cento da área florestal do concelho.

Esta iniciativa, que resulta do projeto “Reflorestar”, lançado pela autarquia oliveirense para devolver as áreas verdes à floresta do concelho de Oliveira do Hospital que foi dizimada pelo fogo, resultou na aprovação de 338 candidaturas apresentadas por proprietários.

Os proprietários contemplados neste programa, cuja segunda fase terminou a 30 de Setembro de 2019, terão em breve acesso às árvores e arbustos autóctones disponibilizados pelo Município de Oliveira do Hospital, como castanheiros, sobreiros, medronheiros, carvalhos e pinheiros-mansos, por exemplo.

A plantação das árvores terá que ocorrer até 31 de dezembro de 2019 e para garantir o sucesso das operações, o Gabinete Técnico Florestal do Município de Oliveira do Hospital prestará todo o aconselhamento técnico necessário aos candidatos, que ficam obrigados a cumprir com as normas definidas no “Projeto Reflorestar”, assim como lhes assegurará uma breve ação de formação para garantir a correta plantação das árvores.

O Presidente do Município de Oliveira do Hospital, José Carlos Alexandrino, alerta para a importância desta medida “num concelho em que os eucaliptos têm estado a invadir o território por via da germinação descontrolada das sementes, formando mantos contínuos que impedem o crescimento de outras espécies”.

“Precisamos de um novo reordenamento florestal e não abdicaremos de lutar por uma floresta sustentável, com biodiversidade, mais resiliente e de muito menor risco ao nível da propagação dos incêndios”, sublinha o autarca.




Lançamento do livro “Memórias” revelou-se num momento de “amor” (com vídeo)

A emoção e o sentimento tomaram, ontem à tarde, conta do lançamento do livro “Memórias – Música, Prosa e Poesia” da Rádio Boa Nova .

O livro, em jeito de coletânea, que conta com 53 autores surgiu no âmbito do programa conduzido por Natália Novais aos domingos à tarde.


A partir das 16h00, hora a que habitualmente vai para o ar o programa “Memórias – Música, Prosa e Poesia, sucederam-se momentos de homenagem e reconhecimento à entrega de Natália Novais ao programa à Rádio Boa Nova.

Embargada pela emoção, Natália Novais deu conta do seu orgulho de fazer parte da Rádio Boa Nova e de apresentar o programa, cujo nome lhe foi sugerido pelo diretor da Rádio, Albino José. Com humildade disse não se sentir mais rica ou mais importante com o livro, mas antes sentir-se “bem”. Mostrou-se grata por tudo o que estava a acontecer em seu redor. “Sinto-me muito orgulhosa”, confessou, citando Miguel Torga “Quem faz o que pode, faz o que deve”.

Toda a família da Rádio Boa Nova marcou presença no lançamento do livro, assim como ouvintes, autores que participaram no livro, amigos, familiares, autarcas, entre outros. A apresentação ficou a cargo de Liliana Lopes, jornalista da Rádio Boa Nova, que considerou ótima a ideia deste livro. “A Rádio Boa Nova apresenta o livro Memorias – Música, Prosa e Poesia, programa que em cada domingo à tarde vem colhendo, através da voz terna de Natália Novais o afeto de gentes do concelho, da região, do país e do mundo. O livro conta poemas e prosas inéditas de 53 autores e faz referência a pessoas que leem textos de outros autores”, referiu, destacando ainda a beleza da capa e marcador do livro da autoria do amigo Isaías Marinho, no Brasil.

No lançamento do livro, Natália Novais fez-se acompanhar pela família contando a seu lado com a “super neta”, como foi apelidada, Beatriz Pais, que mostrou o “orgulho enorme” pela “super avó” a quem agradeceu todas as palavras certas que lhe disse, porque sempre esteve na “linha da frente da sua educação”. Também agradeceu o apoio de Zé Conde e o cuidado que tem tido para com a sua avó. A todos referiu que a homenagem feita à sua avó é “muita merecida”. “Tinha de a receber”, referiu Beatriz Pais.

“Uma mulher assim tinha que escrever um livro”

Apresentador da sessão de lançamento do livro e muito amigo de Natália Novais, Vítor Neves é também o autor do prefácio do livro. Partilhou, ontem, que  Natália é “pessoa delicada, dedicada, bonita” e lembrou a “mulher sem idade” que “gosta de memórias”, que gosta de “contar memórias em poesia e em prosa”. “Uma mulher assim tinha que escrever um livro”, atestou Vítor Neves.

Também Albino José, presidente da direção da Rádio Boa Nova, considerou Natália Novais como a “locutora mais jovem” da estação. Regozijou-se por, em menos de um ano, a Rádio conseguir lançar dois livros. “Este é também um livro feito por gente da Rádio”. “Foi fácil, foi pedir a colaboração de todos. O livro está aqui para memória futura”, afirmou Albino José. Sobre Natália Novais, referiu com carinho que “é a menina da nossa rádio”. “Muitas das vezes é ela que nos motiva”. notou.

Envolvido na coordenação e edição do livro, Jorge Ramos, colaborador da Rádio Boa Nova partilhou também da missão de agradecer a Natália Novais a sua caminhada de quase oito anos de, ao domingo à tarde, fazer um programa de poesia que entra pelos ouvidos de todos. “São assim Memórias”, referiu.

Presenta na sessão e acompanhado pelo seu executivo, o presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, José Carlos Alexandrino elogiou a família da Rádio Boa Nova e o trabalho que tem vindo a ser feito pela estação. No lançamento do livro e na homenagem que estava a ser feita a Natália Novais, extensível a José Conde, o autarca oliveirense considerou estar diante de um “momento de amor”. Par além de elogiar Natália Novais e Zé Conde, José Carlos Alexandrino teceu grandes elogios a Vítor Neves a quem chegou pedir um aplauso por ser uma voz pela defesa do interior e pelos sacrifícios que tem feito em relação à Rádio Boa Nova.

“Felizes os municípios que têm uma rádio desta estirpe”

Amigo de Natália Novais de há longa data, José Dias Coimbra, provedor da Santa Casa da Misericórdia de Arganil, felicitou o Município oliveirense por ter “uma rádio com gente que sabe o que é rádio, que ama a rádio e proporciona este ambiente”. “Felizes os municípios que têm uma rádio desta estirpe”. Sobre Natália Novais referiu: “esta menina sempre foi uma senhora”. Desejou-lhe as melhores felicidades, mas também  a José Conde que “bem a merece”. Recordou ainda a mãe de Natália Novais, a “Tia Rita Novais, uma referência em Arganil”.

No final da sessão de lançamento, Zé Conde agradeceu a presença de todos. “É uma tarde de emoções, alegria e festa. Hoje ficamos sem palavras porque toda esta grandiosidade que se mostrou e calor humano é indescritível. É por isso, que vale a pena estar na Rádio e fazer a Rádio. Muito obrigado a todos”, referiu José Conde, que entregou algumas lembranças a elementos da Rádio Boa Nova.

A Sessão de Lançamento contou com a participação do Choral Poliphónico do Alva, Eduardo Gonçalves e Paulo Ribeiro. Houve ainda momentos de leitura de poemas de autores do livro “Memórias”.  Duarte Mendes Quaresma, com 9 anos, sobrinho-neto de Natália Novais, leu o poema “Eu sei em quem acredito” da autoria do seu avô já falecido, o prof. José Ramos Mendes. Mateus Lopes Varão, filho da jornalista Liliana Lopes, também com 9 anos, leu o poema “Gostar de Ti” de Maria Eugénia Machado.

Veja aqui a reportagem fotográfica realizada por Beatriz Cruz>>>




Prova de Trail em Penacova antecede a grande corrida de novembro

Mais de duzentas pessoas correram este domingo na quarta prova “Rotas Conhecer Penacova”, promovida conjuntamente pelo Município de Penacova e pelo Centro Trail Carlos Sá.

Esta foi a quarta e derradeira prova do ano com o objetivo de dar a conhecer quatro rotas do território Penacovense. Para o dia 10 de novembro, são esperadas centenas de pessoas  na prova competitiva de trail running inserida na Feira do Mel e do Campo. As inscrições já abriram e assegurada está a presença de atletas de diversas nacionalidades, como França, Holanda, Inglaterra, EUA, Brasil, Espanha, Luxemburgo, para além de Portugal.

As provas nestes percursos preparatórios tiveram início em março deste ano, com a Rota da Lampreia, que começou no Penedo da Carvoeira e terminou nos Moinhos da Atalhada, seguindo-se em junho a Rota dos Moinhos, com ponto de partida no Penedo de Castro e de chegada na Fonte Histórica de Lorvão, passando pelos Moinhos de Gavinhos e pelos Fornos da Cal. Em setembro a Rota das Praias teve arranque na Praia fluvial do Reconquinho, terminando na do Vimieiro. A prova que teve lugar este domingo, designada Rota dos Ribeiros, percorreu o Mosteiro de Lorvão, Ribeira de Valbom e Ribeira dos Arcos, com cerca de 20 kms de corrida ou, em alternativa, 15 kms de caminhada. No total das quatro provas, 1200 pessoas participaram na iniciativa de desporto na natureza, promovida pelo Município de Penacova.

De acordo com Humberto Oliveira, presidente do município penacovense, “estes eventos proporcionam uma divulgação do território, dado que as pessoas vão passando pelos diversos locais, ao mesmo tempo que fomentam o nosso posicionamento enquanto concelho voltado para o desporto na natureza e promotor de uma vida saudável”.

O intuito das quatro provas é também o de uma preparação para o grande evento desportivo de 10 de novembro que, tal como no ano passado, estará inserido na programação da Feira do Mel e do Campo. Os atletas poderão optar por quatro níveis de dificuldade, desde a caminhada de 12 kms à maratona de 42 kms. De acordo com Carlos Sá, “esta prova que terá lugar em novembro é certificada pela Associação de Trail Running Portugal e pela ITRA, organismo internacional, bem como pelo UTMB – Ultra Trail Mont Blanc.

Como sublinha Humberto Oliveira, “ambicionamos, não só em Penacova como na Região, dinamizar o trail e transformá-lo num espaço de eleição para esta modalidade. Fruto do trabalho de anos, Penacova está na linha da frente, tem um conjunto de trilhos marcados, e isso proporciona que os atletas possam autonomamente treinar no nosso território”. Carlos Sá acrescenta que “outra grande mais-valia da criação do Centro de Trail em Penacova é que hoje há muitos habitantes do próprio concelho a praticar este desporto, e antes isso não se verificava”. E deixa um exemplo entre os praticantes: “o próprio presidente Humberto Oliveira é a prova disso!”