Beiras e Serra da Estrela instalam videovigilância para detetar incêndios

A Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela (CIM-BSE) anunciou hoje que deu início à instalação de um sistema de videovigilância para deteção de incêndios rurais.

ACIMBSE refere em comunicado que “iniciou já a instalação das torres de vigilância integradas no projeto designado por SARADO (Sistema de Acompanhamento Remoto e Apoio à Decisão Operacional) “.

“O projeto SARADO visa dotar a região de um sistema de deteção e auxílio no combate aos incêndios florestais, composto por 18 torres com câmaras [de vigilância] com alcance de mais de 30 quilómetros, que cobrirão a quase totalidade do território da comunidade intermunicipal”, lê-se na nota.

Em junho, a CIM-BSE, que tem sede na cidade da Guarda, anunciou que tinha decido investir 753.900 euros na aquisição de um sistema de videovigilância para incêndios florestais, que cobrirá a “quase totalidade” do seu território.

O SARADO, adquirido no âmbito da prevenção e gestão de riscos de incêndio, contempla a instalação de torres de videovigilância e de apoio à decisão, “que estarão ligadas a dois Centros de Gestão e Controlo, um na Guarda e outro em Castelo Branco”, indicou a fonte.

Com o sistema, aquela entidade pretende “dotar os agentes de proteção civil, especialmente bombeiros e GNR, de mecanismos que possibilitem uma intervenção mais rápida na verificação de riscos de incêndio e um apoio à decisão mais eficiente no combate aos fogos” rurais.

O projeto é apoiado por fundos da União Europeia através do Portugal 2020, no âmbito do POSEUR – Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos, com uma comparticipação de 85% do Fundo de Coesão.

A CIM-BSE é constituída por 15 municípios, sendo 12 do distrito da Guarda (Almeida, Celorico da Beira, Figueira de Castelo Rodrigo, Fornos de Algodres, Guarda, Gouveia, Manteigas, Meda, Pinhel, Seia, Sabugal e Trancoso) e três do distrito de Castelo Branco (Belmonte, Covilhã e Fundão).

Fonte: Lusa