ANPC alerta para fenómenos extremos de vento, chuva, neve e agitação marítima

ANPC alerta para fenómenos extremos de vento, chuva, neve e agitação marítima

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) alerta para a possibilidade de “fenómenos extremos de vento”, além da chuva, queda de neve e agitação marítima. São os efeitos da depressão Helena, que vem aí caminho.

O cenário meteorológico para os próximos dias vai agravar-se com a chegada da depressão Helena. De acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), as previsões para os próximos dias apontam para precipitação persistente, queda de neve, intensificação do vento, com possibilidade de fenómenos extremos, e agravamento da agitação marítima em toda a costa.

Detalhadamente, no que toca à precipitação, esta será pontualmente forte, e afetará as regiões Norte e Centro com mais intensidade já a partir da tarde desta quinta-feira, estendendo-se progressivamente às restantes regiões.

Para amanhã, dia 1 de fevereiro, prevê-se precipitação mais significativa até ao final da manhã nas regiões Norte e Centro, que pode ser acompanhada de trovoada e granizo, sendo as regiões do Sul as mais afetadas no período da tarde.

Quanto ao vento, este soprará do quadrante Oeste moderado a forte no litoral (<45 Km/h) e nas terras altas (<50 Km/h), com rajadas que podem atingir os 65 e 85 Km/h, respetivamente. Está previsto um agravamento da intensidade do vento, que será mais significativo no litoral e as terras altas a norte do cabo Mondego, com rajadas que podem atingir os 110 Km/h nas terras altas e 85 Km/h no litoral.

O cenário meteorológico prevê também queda de neve acima dos 1000 metros a partir do final do dia de hoje, quinta-feira, descendo a cota para os 600 a 800 metros (nordeste trasmontano) e até 800 metros nas restantes formações montanhosas no Norte e Centro (podendo ainda atingir a serra de S. Mamede), até final da manhã de amanhã.

A Proteção Civil alerta ainda para a agitação marítima, com ondas de noroeste de quatro a cinco metros a norte do Cabo Raso, com previsão de agravamento a partir da próxima madrugada, com ondulação que pode exceder sete metros e picos máximos até 15 metros (com forte rebentação na costa), prevendo-se que o período mais crítico ocorra entre 12h e as 21h de amanhã, dia 1.

Face às condições descritas, a ANPC alerta para os efeitos expetáveis e recomenda o cidadão a adotar comportamentos preventivos.

Por isso, deverá ter atenção ao piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água e gelo; à possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem; à possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis.

São esperadas também inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem; danos em estruturas montadas ou suspensas; dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preia-mar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis.

A Proteção Civil alerta ainda para a possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento mais forte; possíveis acidentes na orla costeira e ainda fenómenos geomorfológicos causa da desestabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência.

Previous Fundador da Sociedade Portuguesa de Medicina Chinesa alerta para a lei que regula o ensino e o exercício profissional (áudio)
Next Moimenta da Beira: PJ investiga jovem encontrada morta em casa

Artigos Relacionados

Sociedade

Ajudante da Conservatória de Oliveira do Hospital vai ser julgada por peculato, burla qualificada e falsificação de documento

Uma funcionária da Conservatória de Oliveira do Hospital que, no ano passado, foi demitida por suspeita de receber montantes indevidos de clientes,…

Informação

Detido com sete armas diferentes após queixa de violência doméstica na Figueira da Foz

A PSP deteve esta segunda-feira, na Figueira da Foz, um homem de 41 anos pela posse de várias armas proibidas.

Informação

Gala das Confrarias Gastronómicas vai premiar quem mais se destacou na promoção dos territórios

No próximo dia 15 de dezembro, vai realizar-se a terceira edição da Gala da Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas (FPCG), em Condeixa-a-Nova. Este evento, que acontece de três em três

Última Hora

Região: GNR identificou seis homens pela prática do crime de incêndio florestal

O Comando Territorial de Viseu, através dos Núcleos de Proteção Ambiental de Viseu, Mangualde e Moimenta da Beira, identificou, nos dias, 21 e 22 de maio, seis homens,…

Informação

Morte de idoso coloca Hospital da Guarda novamente sob investigação

A morte de um homem de 90 anos, esta segunda-feira, no hospital da Guarda, deu origem a um novo processo de investigação àquela unidade de saúde.

Destaque

Rádio Boa Nova lança calendário promocional 2019

A Rádio Boa Nova, que no próximo dia 19 de março comemora 33 anos, lança esta semana o calendário promocional 2019. Esta é uma de várias iniciativas que a Rádio

Última Hora

Câmara de Seia aprova Orçamento de 24,9 milhões de euros para 2019

A Câmara Municipal de Seia aprovou 24,9 milhões de euros para o seu orçamento de 2019, onde “prossegue com uma política de proximidade às pessoas e a favor da economia

Última Hora

Cidadãos de Pedrógão Grande manifestam-se hoje em Lisboa e no Porto

Um grupo de cidadãos de Pedrógão Grande manifesta-se, esta tarde, contra as alegadas irregularidades na reconstrução de casas atingidas pelo fogo.

Última Hora

Tempestade Leslie: Governo alarga apoios a mais oito concelhos na região

A tempestade Leslie atingiu a região Centro do país nos dias 13 e 14 de outubro, provocando estragos em diversas explorações agrícolas.

Informação

GNR promoveu operação “Internet Mais Segura” – Resultados

A Guarda Nacional Republicana (GNR) promoveu, entre os dias 5 e 8 de fevereiro, em todo o país várias ações de sensibilização com o objetivo de prevenir comportamentos de risco

Destaque

“Em vez de seis meses parecem seis dias. Foi tudo demasiado rápido e com desafios permanentes…”

Passaram seis meses após o grande incêndio, mas para o presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, José Carlos Alexandrino parece que passaram “seis dias”.

Última Hora

Incêndios: mais de 50% de casas de primeira habitação estão concluídas

Neste momento, 811 casas de primeira habitação, do total de 1.452 afetadas pelos incêndios em 2017, já estão com obras em execução ou concluídas, ficando a faltar mais de 300